domingo, agosto 20, 2006

Coincidências, ingerências ... e silêncios!

Por Acórdão de 12 de Agosto do mês em curso, o Tribunal de Recurso de Timor Leste (equivalente ao nosso Supremo Tribunal de Justiça) julgou improcedente a impugnação da eleição da liderança da Fretilin. Como as prestimosas trombetas da nossa comunicação social oportunamente proclamaram, a ilegalidade da eleição dos órgãos de direcção da Fretilin, (por ter sido realizada pelo método de braço no ar) foi um dos pretextos para Xanana Gusmão, demitir o Primeiro Ministro, Mário Alkatiri. Recordo que este fora recentemente eleito Presidente da Fretilin, por vontade expressa da maioria dos delegados ao Congresso – 550 votos no total de 586 presenças – eleitos por votação secreta dos militantes.

Aliás, como bem salientou o tribunal, “a opinião do Presidente da República não pode servir de argumento para “ilegitimar” actos do Congresso de qualquer Partido Político, visto que a decisão sobre essa questão cabe ao Tribunal de Recurso (...)”. É caso para perguntar se a actuação presidencial, no caso em apreço, não revelará, no mínimo, uma estranha visão da separação de poderes em democracia, que se deseja para Timor Leste...

Mas o que agora se estranha é a razão do silêncio da comunicação social portuguesa sobre a “absolvição” de Mário Altakiri e da direcção da Fretilin, pelo Tribunal de Recurso de Timor Leste, quando a “magna questão” teve ecos retumbantes, enquanto pretexto para a sua demissão como Primeiro Ministro.

Entretanto, “milagrosamente”, os incidentes nas ruas de Dili, que haviam abrandado, voltam a surgir com maior intensidade, enquanto na ONU, a Austrália, com o apoio dos Estados Unidos, do Reino Unido e do Japão, continua a levantar obstáculos às propostas de Kofi Annan, quanto ao reforço do papel das Nações Unidas e da comunidade internacional em Timor Leste. A Austrália sem rebuço, ou pingo de vergonha, pretende manter a hegemonia militar e o consequente controlo o País, com o petróleo em fundo...

Neste quadro, o nosso impoluto e emérito “Publico”, não apenas ignora olimpicamente, o Acórdão do Tribunal de Recursos de Timor, como continua, sem pudor, a remexer na questão da ilegitimidade da direcção e anuncia, em letra bond e negrito, que a “a oposição interna na Fretilin, partido dominante em Timor Leste, exigiu ontem (19.08.06) a realização de um Congresso extraordinário” para afastar Mário Alkatiri da liderança. Agora já não com fundamento na ilegalidade do voto dos delegados – pudera! - mas alegando que “não é possível ter um Secretário Geral e potencial candidato a primeiro ministro que está a ser investigado pela justiça e é contestado por parte da população...”

Ora vejam! ... Não me digam que não há coincidências....

Discretamente, no outro lado do Mundo, - “Público” dixit – a Administração norte-americana anunciou a nomeação de um chefe para as operações da CIA em Cuba e na Venezuela, “honra” até agora apenas concedida ao Irão e à Coreia do Norte, garantindo que “a Casa Branca está cada vez mais consciente dos desafios que representam Cuba e a Venezuela para a política externa americana...”

Enfim, o Mundo é pequeno - apetece desabafar!... E muito bem cuidado, como é desígnio do “império”! ...
...........................................................................


Bem vindos(as), sempre!...

Grato pela vossa presença amiga.

20 comentários:

Maria P. disse...

Muito bem, como sempre.
Quanto a estas questões à silêncios que tem sons muito fortes que fazem pensar...

Fica bem e boa semana.

FOTOESCRITA disse...

Afinal quem parece que andou em meditação foste tu... E eu a julgar-te em férias!... :-)

disse...

Por vezes o incompreensível martela-nos os neurónios até à exaustão.
Como pode um território tão pobre tão miserável despertar tanta cobiça?
Será que o “ouro negro” tem alguma coisa a ver com esta confusão…?

lazuli disse...

os heróis da resistência nem sempre são os melhores presidentes. Gostei de ler este texto, nas malhas que o império tece..

Licínia Quitério disse...

Não há tréguas. As guerras preocupam-me. Preocupam-nos.Temos de falar delas. Para saber da Paz.
Bem-vindo, Amigo.

vida de vidro disse...

Apre, voltaste a todo o pano! :) Hoje isto tem muita informação para a minha cabecinha... é de vidro e pode-se partir.
Aqui estão mais uma vez os habituais jogos de interesses que, na realidade, governam o mundo.O problema é a forma como o povinho se deixa manipular por aquilo que lhe é dito. Eu cá acho que um "pregador" como tu, faz falta! :)**

OrCa disse...

Serenamente avassalador, como sempre (e eu perco-me nos adjectivos, mas que fazer?...).

Timor é um belo (pequeno ou talvez não) exemplo da santa concertação do mundo. Teoria da conspiração? Nã!... Nem é preciso tanto. Só valores entendidos. Muito bem entendidinhos, diga-se.

E siga a marinha, com os bonzos atrás, brandindo as pandeiretas do nosso (des)contentamento.

- Meu caro, deixei-te um comentário no post anterior.

Um grande abraço.

LibeLua disse...

Ler jornais para quê? A verdadeira Imprensa descomprometida e livre, está aqui. Confesso que nunca entendi muito bem os bastidores da situação em Timor. E a tua análise vem contrariar a célebre frase, de autor desconhecido: "Se saiu no jornal, é porque é verdade." Um abraço e grata pela amizade de sempre.

DIAFRAGMA disse...

Meu caro amigo, isso é maneira de fazer a "rentrée"?
Ando eu já completamente perdido com a questão do Líbano (as minhas leituras já vão em 2001) para ver se percebo o impercebível, e vens tu calmamente criar-me uma manobra de diversão deste tamanho!
Agora a sério. Seja Timor, seja Líbano, seja Cuba, Coreia etc., e como disse a Vida de Vidro, é fundamental haver pessoas que nos abanam para estes problemas.
Mantém-te em ebulição, fazes favor.

JPD disse...

A crise de Timor tem muito que se lhe diga e jamais esteve confinada à destribuição de armas pelo numeroso grupo de militares desmobilizados do exército que rumaram para as montanhas, com ou sem a cumplicidade de alguns membros do Governo.
Numa primeira fase estas movimentações e algumas "dicas" sobre as negociações da exploração do petróleo sustentavam a verdade das informações oficialmente difundidas.
A esta distância e passado este tempo todo, ficou a saber-se que o PM Alkatiri não estava "abençoado" pela Igreja Católica, era considerado um estorvo pela Austrália.
Não estou seguro se ele aceitou afastar-se e terá resignado a lutar pela sua nomeação em congresso para evitar savcrifícios da população, se recuou para mais tarde poder, moralizado, disputar cargos. Não sei.
O que tem sido reiterado é que a Austrália tem ambições na zona e promete ser mais eficaz na regulação das tensões na ilha do que seria uma força com mandato da ONU.
Timor teve um impacto enorme em Portugal por ter constituido o nosso derradeiro sublimador da descolonização portuguesa.
Timor estará cada vez mais distante de Portugal. Tanto e durante tanto tempo quanto estiveram as cerca de 50 famílias que acamparam debaixo dos eucalíptos do Estádio Nacional até terem sido lembradas por D. Duarte, mais tarde por todos.
Um abraço

Paulo Sempre disse...

«Ó tu, Sertório, ó nobre Coriolo,
Catilina, é vós outros dos antigos
Que contra vossas pátrias com profano
Coração vos fizeste inimigos:
Se lá no reino escuro de Sumano
Receberdes gravíssimos castigos,
Dizei-lhe que também dos Portugueses
Alguns traidores houve algumas vezes» (Camões - lusídias, IV, 58)

"Separação de poderes em democracia" é apenas um desafio...!

"Silêncio da comunicação social"...tão facil...! As avionetas incendiarias...qual foram?
Relação Diogo Infante/Sócrates...quem mandou remover de todos os motores de busca da NET....?

Volte sempre.
Obrigado pela visita.
.Paulo

Ant disse...

A história de Timor nunca será bem contada. Bem como a das outras terras por onde andámos.
abraço

Klatuu o embuçado disse...

A mim parece-me um «enredo» digno da «Floribela»!

Ranhette du Nez disse...

Visité le neuf blog, Le Cacilhiére Fantôme, pour aprecié une golle de rum.


http://ranhettedunez.blogspot.com

Je gostê beaucoup de tom dissertacion.

hfm disse...

Gostei desta análise, tão verdadeira!

Menina_marota disse...

Claro que há coincidências.... e, vontades expressas...

... mas as férias não são para descansar e esquecer os problemas do Mundo?!...

Gostei deste regresso!

Um abraço ;)

sabr disse...

Excelente olhar. Atento e lúcido. Boa tarde.

Ranhette du Nez disse...

Ó la la.
Mais vous savez parlez français trés bien.
Merci pour ta visite.

Renhette

Peter disse...

Um belo artigo, como sempre. Afastado do mundo, aqui nestes areais onde predomina a celulite, mas onde se vêem também coisas muito jeitosas, desconhecia o desenvolvimento do caso Alkatiri.
Claro que é como tu dizes:
"A Austrália sem rebuço, ou pingo de vergonha, pretende manter a hegemonia militar e o consequente controlo o País, com o petróleo em fundo..."

Abraço

OvelhaNegra disse...

Sejas bem «retornado». É sempre um prazer ler-te. As férias fizeram-te bem. Vens com o olhar aguçado. Risos.
Sabes bem que o 4º poder, a comunicação social, é uma excelente fazedora de opinião. Infelizmente só escrevem aquilo que convém quando têm por objectivo que os leitores tenham uma determinada opinião. É o caso.
O papel hipócrita e interesseiro da Austrália não pode ser revelado.
Os jogos de bastidores que estão por detrás da crise Timor-Leste...devem ser «esbatidos»
Também quem fez a revolução em Portugal...foi afastado e denegrido porque, na altura, não convinha que estivessem no poder.
É sempre assim. A História isso nos revela.
Apetecia-se cantar os «Vampiros» do Zeca Afonso:«
A toda a parte
Chegam os vampiros
Poisam nos prédios
Poisam nas calçadas
Trazem no ventre
Despojos antigos
Mas nada os prende as vidas acabadas»

Um sorriso e um beijo*