segunda-feira, junho 18, 2007

Outras Paisagens - 5º Congresso do MST

Realizou-se nos dias 11 a 15 de Junho, em Brasília, o 5º Congresso do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra. Presentes 17.500 trabalhadoras e trabalhadores de 24 Estados do Brasil e 181 convidados internacionais em nome de 21 organizações camponesas de 31 países, entre outros amigos e amigas.

Foi tema central do Congresso discutir e analisar os problemas da sociedade brasileira e procurar alternativas para os problemas do Mundo Rural.

Eis alguns dos compromissos assumidos:

“Comprometemo-nos a prosseguir na organização do Povo para que lute pelos seus direitos e contra as desigualdades e as injustiças sociais. Por ele, pelo Povo, assumimos os seguintes compromissos:

1. Articular-nos com todos os sectores sociais e as suas formas de organização para construir um projecto popular, que enfrente o neoliberalismo e as causas estruturais dos problemas que afectam o Povo brasileiro.

2. Defender os nossos direitos contra qualquer política que intente retirar direitos conquistados.

3. Lutar contra as privatizações do património público, (...) e pela nacionalização das empresas públicas que foram privatizadas.

4. Lutar para que todos os latifúndios sejam expropriados e prioritariamente as propriedades de capital estrangeiro e dos bancos.

5. Lutar contra (...) a queima dos bosques nativos para expansão dos latifúndios; exigir dos governos acções concretas para restringir essas práticas criminosas contra o meio ambiente; combater o uso de agro tóxicos e monoculturas em grande escala de soja, cana-de-açúcar, eucalipto, etc.

6. Combater as empresas transnacionais que pretendem controlar as sementes, a produção e o comércio agrícola brasileiro, entre outras, Monsanto, Syngenta, Cargill, Bunge, ADM, Nestlé, Basf, Bayer, Aracruz, Stora Enso; impedir que continuem explorando a nossa natureza, a nossa força de trabalho e o nosso País.

7. Exigir o fim imediato do trabalho escravo e a hiper exploração do trabalho e o castigo dos responsáveis; todos os latifúndios que utilizam qualquer forma de trabalho escravo devem ser expropriados, sem nenhuma indemnização, como prevê o Projecto de Lei já a aprovado no Senado.

8. Lutar contra toda a forma de violência no campo, assim como contra a criminalização dos Movimentos Sociais; exigir o castigo dos assassinos – mandantes e executores – dos lutadores e lutadoras da Reforma Agrária, que permanecem impunes e com processos parados no Poder Judicial.

9. Lutar por um limite máximo do tamanho da propriedade da terra. Pela demarcação de todas as terras indígenas (...); a terra é um bem da natureza, deve estar apenas vinculada aos interesses do povo”...


Há mais Mundo para além da Ota, não vos parece!...

2 comentários:

M. disse...

Fazes bem em nos lembrares estas "Outras paisagens". Só temos a agradecer-te.

António Melenas disse...

E bem precisam de se organizar e lutar unidos os Sem Terra do Brasil, já que o Sr. Lula da Silva parcee ter-se esquecido do apoio que eles lhe deram para chegar ao poder. Agora já o tem... pois, pois

Abraço