domingo, setembro 23, 2007

Marcel Marceau

"Je sais des rêves qui ne reviendrons plus

A l'heure fugitive ou les visions passent,

Les enfants comme les vieillards

pensent à leur passé pour que rien ne s'efface"

22 comentários:

vida de vidro disse...

Um exemplo bem marcante de que, muitas vezes, as palavras não são necessárias. Num dos sites sobre ele, encontrei esta citação que lamento que esteja em inglês:
"Do not the most moving moments of our lives find us all without words?"
Partiu. Os sonhos não voltam, perduram. **

isabel mendes ferreira disse...

eu sei dos sonhos.



sei dos "mimos"


sei da morte.


sei.


da eterníssima BELEZA.


do fogo. branco e ávido.



beijo.

Graça Pires disse...

Marcel Marceau fazia sair de suas mãos os sonhos de todos nós. Esses permanecem para sempre no coração dos que continuam a sonhar.
Um abraço.

PintoRibeiro disse...

RIP.
Boa semana, abraço.

Chahy disse...

Ficámos sem o gesto que falava mais que muitas palavras.

Parece ser o ano das grandes perdas, Pavarotti, M.Marceau...

Vieira Calado disse...

Vejo no post anterior que faleceu o Marcel Marceau, um grande artista da mímica.
Há imenso tempo que não ouvia falar dele. Até julguei que j´por cá não andasse há muito tempo.
Ficará para sempre na memória dos que conheceram a sua arte.
Boa semana.

Vera disse...

Uma prova de que não precisamos de palavras, pelo menos nem sempre!
Bela homenagem!

Beijinhos

Gi disse...

"Para mimar o vento, temos de nos transformar em tempestade. Para mimar um peixe, temos de mergulhar no mar".

Marcel Marceau

Um verdadeiro "mimo". Como a bonita e singela homenagem que lhe prestas.

Um beijinho

Frioleiras disse...

Oui, c'est vrai mais...

e o presente?

o Presente CONTA !

Recordar ,
demasiado,
é não

Marinha de Allegue disse...

Máximo exponente da comunicación máis alá da palabra...

Unha gran perda a esencia continua.

Unha aperta.
:)

Sophiamar disse...

Morreu o rei da arte de mimar. Com ele ri até ás lágrimas. Mais uma grande perda!
Beijinhos

Licínia Quitério disse...

Tes gestes ne reviendront plus.
Néanmoins, des papillons s'envollent devant nos yeux en larmes.

Abraço.

O Jacaré 007 disse...

É verdade meu amigo, aquelas coisas que nos pareciam perenes e imortais vão infelizmente desaparecendo....

Túlio Hostílio disse...

muito bem homenageado...ficará para sempre na nossa memória...

M. disse...

Oh que saudades me trouxeste! Vi-o em Paris quando tinha eu acabado de fazer 18 anos e fiquei completamente apaixonada e atordoada.

un dress disse...

...sim tudo isso.

e aqui, mais que nunca,

a ausência

obrigatória

das palavras.



beijO

aquilária disse...

"a arte do mímico é um grito que vem do fundo da sua alma" - m. marceau

...e o que são os sonhos, senão asas macias de pássaros breves?

hfm disse...

Em silêncio. Com silêncio. Por silêncio. Para que se veja, se escute, se pense.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Acabo de nomear, no meu blogue, "Relógio de Pêndulo" para o prémio de visitante destinado a distinguir, pela assiduidade e qualidade, os comentaristas. Crente que os visitantes são parte fundamental do nosso trabalho, espero que os incentive continuando a corrente.
Um abraço

hora tardia disse...

para "avisar" entre muitas aspas que reabri o Piano....:=))))))
____________________


beijos.


e um "mimo".

:)))))))))

foryou disse...

rappelant nous gardons le rêve, ou non?!

Nilson Barcelli disse...

Imortal.
Era um mimo vê-lo...
Bfs, abraço.