domingo, outubro 28, 2007

Cem mil anos é agora?..

Esta manhã (26.10.2007), inesperadamente, entrei em estado de choque. Receei pelo meu pobre coração. Mais grave ainda. Receie pelos meus genes, por quem tenho, elevada estima. O caso não é para menos, como compreenderão. Eu explico...

Fiquei a saber, através do “Diário de Notícias”, que “a espécie humana pode vir a subdividir-se em duas”. E melhor que La Palisse, acrescenta o jornal que “as duas subespécies vão dar origem a uma classe superior e a uma inferior”...

Os descendentes da classe superior serão “altos, magros, saudáveis, atraentes, inteligentes e criativos”, enquanto que os descendentes das classes inferiores serão baixos, feios e pouco inteligentes, “uma espécie de goblins” (não sei que raio seja, mas não é certamente coisa boa!). Fundamenta-se o jornal nas últimas descobertas do especialista em evolução(?) Oliver Curry, da London School of Economics...

Entrei em pânico, garanto-vos!.. O meu pânico assumiu foros de catástrofe ao saber que os homens – da classe superior está bem de ver – “vão ter feições mais simétricas, o queixo mais quadrado, a voz mais profunda e o pénis maior...”

Pénis maior, já viram! Querem maior castigo?!... A natureza é madrasta, sem dúvida. Não poderia, ao menos, o pénis ficar fora da distinção de classes?!...

Acalmei quando, em segunda leitura, percebi que o risco é apenas para daqui a cem mil anos e que a espécie humana vai atingir o pico de evolução no ano três mil. Pus-me então a fazer contas, a partir do homo sapiens e dos milhões de anos desde então e suspirei fundo... Afinal, talvez os meus genes ainda se safem e o meu neto – uma terna criança de escassos meses - não esteja condenado a ostentar as orelhas de um goblin...

Fiquei mais confortado quando soube que “vamos mastigar menos” (isto deve ser música aos ouvidos de Sócrates) e “ficaremos com os maxilares menos desenvolvidos e com os queixos mais pequenos”. Pudera!...

E foi já com bonomia que recebi a explicação de que “não podemos prever exactamente o que irá acontecer, mas podemos fazer previsões com base no conhecimento que temos...”. Era o que faltava que não pudéssemos fazer previsões. Não vos parece o máximo rigor científico?!...

Melhor apenas o Zandinga!... Ou o argumento do laureado James Watson, de que bastará reparar num empregado de café para se concluir que os negros não possuem a inteligência dos brancos...

Claro que tudo isto é de gargalhada. Mas não são inocentes estas novidades. Os “fazedores de opinião” batem sempre a mesma tecla, com novos métodos, seguindo a linha do tempo. E a roupagem científica dá sempre jeito...

As fantasiosas mutações genéticas poderão ocorrer apenas daqui a cem mil anos. Mas tão bombásticas revelações são ideologicamente produtivas no presente. Escutem o murmúrio subliminar – as desigualdades estão instaladas na matriz biológica da natureza e inscritas no ADN da Humanidade...

A espécie humana está assim fatalmente condenada a divisão em classes. Já não apenas classe sociais, historicamente superáveis, mas “subespécies vão dar origem a uma classe superior e a uma inferior”, predeterminadas pela natureza...

Perante tamanha fatalidade, cientificamente proclamada, porquê lutar contra as injustiças? A natureza é injusta, porquê então preocupar-nos?!... Não será melhor conformar-nos e adaptarmo-nos ao sistema? E sobreviver, pois claro! Salve-se quem puder...

Há, porém, aqui, um pormenor intrigante. Foi a London School of Economics – uma escola de economia política - a difundir semelhantes teorias sobre a evolução da espécie humana. Compreende-se. A ciência é coisa demasiado séria para ser deixada apenas aos cientistas...

Bem melhor seria, porém, que os “sacerdotes” do mercado e os gurus do liberalismo económico, em vez de especulações à distância de milhares de anos, tomassem consciência do eminente “beco sem saída” que o capitalismo, de que são oficiantes, está a empurrar a humanidade...

38 comentários:

O Puma disse...

GOSTEI

É PRECISO NÃO DAR TRÉGUAS

Á CANALHA

PELO SONHO E PELA VIDA

Klatuu o embuçado disse...

Pois é meu caro, pois é... o Huxley bem que tinha avisado!

Já não bastava os pobres não terem cu... agora sem pénis... Ai, ai.

P. S. Como gosto de ti... se quiseres arranjo-te uma cunha para te tornares monárquico... apesar de seres um marxista inveterado! ;)

Abraço!

M. disse...

Adorei! A ironia é uma boa arma de combate.

Vieira Calado disse...

Aparece com cada um!...
Mas deve trazer água no bico...
desconfio...

OrCa disse...

Eheheh... Teoria por teoria, também o é uma outra - esta melhor fundamentada - segundo a qual o Neanderthal não se teria extinguido, mas antes teria sido absorvido pelo geneticamente 'melhor sucedido' homo sapiens... Isto porque, nos corredores e veredas da evolução, ganham os melhores apetrechados, diz-se. Significa isto que anda por aí muita neandertalice dissimulada, inserida na herança genética de muita cabecinha pensadora.

Melhor apetrechados não me parece ser o caso dos exemplares do homo economicus que conheço, os quais, centrando a sua vida no desvelo pelo deficit, dificilmente chegarão a qualquer superavit.

Quanto a isso do pénis maior, é outra falácia. Em primeiro lugar, porque esse estudo descura a evolução do ser humano feminino, o qual, esse sim, tem muito por onde andar, modificando-se - há até quem já aponte para a autosuficiência. Ora é bem sabido que a função faz o órgão, donde, sem função, o único órgão que se safará será o das igrejas; depois, porque não são consideradas muitas outras realidades, a saber, o ser humano vencedor do futuro é preto? Se sim, tudo bem. Se não, o super-homem caucasiano do futuro vai ter muito que bulir até atingir algumas ordens de grandeza que andam por aí...
Só sabem é inventar patacoadas para achincalhar o vivente, essa é que é essa!...

Um abraço

Maria disse...

Pudessemos todos entender o que está subjacente neste artigo da London School of Economics....

Um abraço

linfoma_a-escrota disse...

e eu ingenuasinha a pensar que nus iamos tornar todos mulheres hermafrdoitas com capacidade de se auto fuderem e reproduzirem, ou clonarem, afinal... tb previa transhumanizarmo-nos em eter espacial e unirmo-nos com a natureza mas desde que continuamos a comer a dieta de cogumelos magicos o cerebro continuará a expandir-se tal como tem feito



www.motoratasdemarte.blogspot.com

hora tardia disse...

“altos, magros, saudáveis, atraentes, inteligentes e criativos-


ah mas sem dúvida.


nórdicos!


:)

viva a ironia.


________________

hfm disse...

O último parágrafo é em si uma referência e sobretudo quando congrega com humor o que acima ficou dito. Mais outro grande post!

velha gaiteira disse...

Porque lutar contra as injustiças!
- dizes tu-

Ora eu penso que nós, os que já nos reformámos e tirando uma ida ou outra com os netitos à natação, bem poderíamos fazer qualquer coisa!

Tempo não nos falta agora!

e o ambiente?

temos tanto de lutar pela sua melhoria, para BEM DA HUMANIDADE, JÁ

herético disse...

Klattu

registo o teu empenho. grato.

eu sei que pelos monárquicos também há heréticos, isto é, fora da causa...

abraços

vida de vidro disse...

Desta vez fizeste-me ficar absolutamente em pânico. Afinal, que é que são cem mil anos?
Mulheres da minha terra, sou solidária convosco mesmo daqui a cem mil anos. Primeiro não sei o que nos acontecerá, dado que não temos pénis (nem inveja) para fazer a diferença. Qual será, para além da beleza e da inteligência a nossa diferença enquanto classe superior? Homens, ponham a imaginação a trabalhar... Ou será que as mulheres serão goblins, porque já agora são consideradas inferiores? Ai, isto foi feio de dizer... até porque nesse caso a vantagem orgânica da classe superior de pouco lhes serviria...
Mas mais baralhante ainda é isto de serem os economistas a fazer previsões destas. E se os cientistas passassem a tratar da economia? Sabe-se lá, talvez daí adviessem algumas vantagens!
Não, desta vez excedeste-te. Não só me puseste a pensar, fizeste-me viajar na máquina do tempo... oh sim! :))**

Graça Pires disse...

"Deixa-me rir"... É caso para dizer. Mas como é só daqui a cem mil anos estamos todos livres....
Um abraço.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Já não são novas estas teorias que pretendem, com algumas variantes, estigmatizar grupos humanos com vista a, através das desigualdades fracturantes, explorar ilegitimamente os ditos inferiores.
Quando parecia que se caminhava no sentido de uma maior evolução, vê-se desenterrarem as velhas máximas de Darwin a Gobineau e recuar 100 ou 200 anos.
É altura de dizer basta. Não há raças. Todos pertencemos à raça humana. Que o pêndulo continue a balançar...

NINHO DE CUCO disse...

Este texto, muito bem esposto, e que eu adorei porque a brincar foi levantando o véu de uma situação que está a tomar contornos preocupantes: a atribuição de atributos e/ou estigmas a determinados grupos com vista à sua exploração e submissão aos grandes interesses capitalistas. Um Relógio de Pêndulo faz muita falta para nos avisar destas coisas.

Maria P. disse...

Fantástico!

Beijinho*

manhã disse...

também tu herético, em derrapagem apocalíptica? Não temas, que esta coisa das espécies não é pra já!eheh

Frioleiras disse...

Há muito que a humanidade está num "beco sem saída" ...

velha gaiteira disse...

não sou gorda,
não sou baixa,
não sou morena,
mas, sou de raça inferior !

un dress disse...

eu vejo a tristeza todos os

dias.

isso sim.

é o que mais vejo...!!





beijO

bettips disse...

Está tudo "under control" nos manuais da economia! E a novidade serve mesmo para baralhar ...e "enquanto o pau vai e vem, folga ...o liberalismo económico" que é como quem diz: a exploração do próximo! Abç

O Jacaré 007 disse...

Há que perguntar ao tal de Curry, curral em português, em que classe e que ele coloca o Bush filho....

Abraços.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Se eu tivesse qualquer dúvida, a última frase do teu post dar-me-ia a certeza do quanto estamos em sintonia. O Liberalismo económico, este capitalismo selvagem que varre o mundo com a injustiça, a exclusão e a desigualdade, tem que ser combatido. Combatido por quem acredita na construção de um mundo melhor em que o individualismo ceda espaço à solidariedade sem a qual o homem nunca será homem.

Paulo Sempre disse...

"cem mil anos ....", onde a memória não se inventa.
O progresso é, de facto, lento...

Abraço
Paulo Sempre

Miosotis disse...

Pois é!! Imagina que ontem também li essa teoria!! E sorri, tal como tu!

Claro que todos nós sabemos que isso já se praticou há mais me meio século em países ditos evoluídos da Europa! Todos sabemos quais!

Essa da fonte da informação é que me faz pasmar! 'London School of Economics'... hum!

Bom feriado... e cuida-te! Para poderes assistir!
Um beijo

rouxinol de Bernardim disse...

Antes de falarem da Lua antes falassem terra-a-terra...

Nilson Barcelli disse...

Especular, é facílimo.
Pela teoria de Darwin, poderia afirmar que daqui a mil anos o homem vai ter cerca de 3 metros.
O método científico utlizado era a regra de três simples.

Mas o maior problema é especular para amanhã ou depois...
Será que no próximo ano, por exemplo, o desemprego vai baixar?
Ninguém sabe...

Gostei do teu post, é excelente.

Bom feriado, um abraço.

uivomania disse...

As coisas que os especialistas sabem!...

Sophiamar disse...

Fantástico! Bem escrito, bem humorado,bem opinado. Olha, como dizia a minha avó: o que não tem remédio, remediado está.E a luta de classes , que começou com o homo sapiens sapiens, no mínimo,irá continuar. Eu quero descendentes lindérimos mas com alguma inteligenciazita.

Beijinhos

Bom feriado!

D. Maria e o Coelhinho disse...

HOJE, DIA DOS SANTOS, VENHO PEDIR PELO MEU COELHINHO , QUE ESTÁ NO PURGATÓRIO.
JUNTEM-SE A MIM PARA VER SE ELES O EMPURRAM PARA O CÉU!

D MARIA

Charroco disse...

Passo a apresentar um blog sem importância onde se vai dizendo umas parvoíces . Por ora em fase experimental .

«Tou a vêrr , esta cena é uma cena muito imporrtante .»

Abraços .

JPD disse...

Olá

Ha sempre a questão da credibilidade dessas projecções e do rigor e sustentabilidade das mesmas.

Em quase todos os domínios ninguém arrisca uma estimativa a cinco anos. De repente, surge uma a 100 mil anos... Oh!

Um abraço

NINHO DE CUCO disse...

O capitalismo está a derrubar a humanidade mas eu vou passando por aqui e, cada vez que passo, deixo cair uma pedra para que, juntos, possamos construir um muro que o há-de impedir.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Esses gurus do liberalismo económico estão a criar pobreza, miséria e exclusão. Depois vêm com teorias como combater a pobreza. Temos é que os combater a eles.

Peter disse...

"Não será melhor conformar-nos e adaptarmo-nos ao sistema? E sobreviver, pois claro! Salve-se quem puder..."

Não é o que estamos fazendo?

Vera disse...

Ironia é contigo! E gosto disso!

Beijo

Anónimo disse...

A mediocridade resiste ao tempo... por quanto tempo?!

Fazes o que fazes, amigo. Que tuas palavras continuem a ecoar. Por cá, através das ondas do rádio tenho-as feito chegar mais longe, dando-te o crédito, é claro!

Grato, de coração. Deixo o meu abraço fraterno.

batista

António Melenas disse...

Ou dizer-vos da fatalidade do absoluto “Triunfo dos Porcos”? Ou, pelo contrário, proclamar que continuo acreditar na urgência em mudar o Mundo?!...

Excelente a tua análise acerca das teorias do império Forbes., amas eu alinho com o teu último parágrafo.Em género,número e grau.
Ah. e ainda hoje continuo a não
beber cocacola. Não por ideologia, mas porque provei um dia e é uma grande trampa.
Um grande abraço