sexta-feira, outubro 19, 2007

O Nariz Torcido...

“O Nariz Torcido...”

“O teu nariz avança insolentemente
No Mundo; inflama-se a tua narina...
É por isso, homenzinho altivo,
Rinoceronte sem chifres que tu és, que cais sempre
Para diante!
De tal modo que vemos sempre juntos
A altivez rígida e o nariz torcido...”


Frederico Nietzsche – in “A Gaia Ciência”
..............................................................................

Terminou a Cimeira Europeia? Que viva então a Cimeira!...

Entretanto, duzentas mil pessoas manifestaram-se no Parque das Nações, em Lisboa, pela dignidade do quotidiano...

Sabe-se lá onde mora a História!...
O pêndulo continua a balançar. Sempre!...

37 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

e a História faz-se de enganos e caminhos.alguns desviantes. outros sem lógica.


e paga-se. a História.


_________________

ora boa noie.

Peter disse...

Sempre, desde que me conheço, vejo dezenas ou centenas de camionetas a transportarem gente para Lisboa, em manifestações de apoio, ou de protesto.
Independentemente do regime, independentemente dos partidos.´
São pessoas de Alguidares_de_Baixo e de outros locais afins. Não sabem, em 90% dos casos, o que vêem fazer, sabem que vêem passear a Lisboa.
200 mil pessoas, na melhor das hipóteses, são 2% da população portuguesa ...

SILÊNCIO CULPADO disse...

E que o Pêndulo continue a balançar sempre para marcar o ritmo. Porque são cada vez mais os que se revoltam neste Portugal onde os de nariz torcido impõem a alienação para que possam ter o nariz cada vez mais torcido e os outros sejam cada vez mais distância.
Eu oiço o teu ritmo.

vida de vidro disse...

Imagem de marca, essa altivez quase insolência com que o homenzinho desconsidera os protestos daqueles para quem a vida está cada vez mais difícil.
Apesar de tudo, acho que a História fixará mais o tratado europeu que os protestos. Dependendo do que se seguirá.
É bom que este pêndulo continue a balançar. Pelo menos acorda-nos. **

Nilson Barcelli disse...

O "Nariz Torcido" tem alguma coisa a ver com a manifestação?
Uma coisa que admiro é a capacidade de mobilização da CGTP/PCP.
bFS, ABRAÇO.

Mar Arável disse...

Ainda bem que há um relógio de pêndulo

para que não se confundam os olhos abertos

velha gaiteira disse...

Cheguei aqui pelo blog da Bandida.
Sou uma caloira, nestas coisas da informática! Mas, o que tenho lido vale mais do que ir meter-me num cursinho destes que estão a fazer ao fim do dia .
Muito obrigada pelo que aprendi consigo!

Frioleiras disse...

A história é e sempre foi assim...

O homem é o grande inimigo de si mesmo...
Sempre o será e não tenho grande esperança no futuro (decente) da humanidade...

(leio-te,
sempre!)

Maria disse...

A História não mora.
A História faz-se!!!!!

Abraço

Marinha de Allegue disse...

Sería xenial que a nosa vida cambiara a historia e certos desaires mudaran...

Confiemos en non hai mal que por ben non venha.

Unha aperta grande.
:)

un dress disse...

nada é o que alguns teimam em nos meter pelos olhos - e pelos outros sentidos, dentro...

de facto da importância de se reflectir e dizer.

ou de dizeres.



beiJO

OrCa disse...

Sempre assim foi: há quem veja moinhos onde outros divisam gigantes.

Mas se o Peter se queda nos moinhos, o Sócrates perturba-se com elefantes - o que é outra maneira de ver. Mais míope, enfim... com aquela miopia para a qual a História não dá óculos.

Eu entendo, de alguma forma, o cepticismo do Peter, mas gostaria de chamar a atenção para o singelo facto de que os poucos (?) 2% da população portuguesa - como ele refere - , se comprassem os meus livros, fariam de mim um dos escritores com mais êxito no mundo; diria, também, que se esses parcos 2% decidissem gritar, em uníssono, à minha porta, ensurdeceria em três tempos...

Na verdade, bem mais do que 200.000 são aqueles 'conscientes' que vão todas as semanas à bola. E saberão esses o que lá vão fazer?

É tremendo este mal da Humanidade: o não saber o que anda a fazer!

Mas, afinal, tenho para mim que aqueles 200.000 gritadores eram capazes de ter uma ideia aproximada das razões que os levaram a juntar esforços e vozes naquele dia. É que estava mesmo ali, ao lado do coração: era a carteira vazia.

Os calados é que não se ouviram...

Um abraço, meu caro Herético.

bettips disse...

Rinocerontes, eternos chafurdadores. E há 2 milhões de pobres, 90% deles nem sabem bem porque o são com tanto dinheiro por dia a chegar das "chimeiras". Os 50 e tal mil da Madeira não puderam vir, de camioneta. Em "alguidares de baixo" ainda ficaram alguns. Quando morre alguém e fecharam o Centro de Saúde, é só uma pessoa ou duas que morrem. Percentagens são o que são. A clivagem são a surdez dos números, é a disparidade entre o que nos mostram os sorrisos televisivos e o "Inverno do Nosso Descontentamento". As asas da gaivota não cabem não, porque nos vôa o pensamento com ela. Abraços

aquilária disse...

arrogância, pois. aquela que as tristes circunstâncias lhe(s) permitem...

grata pela leitura do que vou deixando nas areias da minha ínsua, e pelos comentários, sensíveis e inteligentes.

Gi disse...

Que se inflame o nariz . que se sinta alguma coisa num país de cegos e surdos. Onde nada faz sentido porque
falham os "sentidos".

Que siga o balanço enquanto tantos balançam ...

Graça Pires disse...

Sabe-se lá onde mora a História!...
Concordo.

Bandida disse...

e que balance!!



beijo


B.

disse...

A capacidade de mobilização é visível dada a insatisfação generalizada.
Mas eles teimam em não demonstrarem temor.
Só têm medo das “urnas”

Maria P. disse...

Que o pêndulo não pare! Mas que balance para o positivo.

A história?!...É outra história...

Beijos*

manhã disse...

a história faz-se assim, dos que reúnem para decidir e dos que reúnem para reivindicar, dos que reúnem, tout court.

D. Maria e o Coelhinho disse...

O PÊNDULO PODE PARAR EM MIM,
AGORA QUE PRECISO!



SAUDADES DO COELHINHO ...

O LUTO É RECENTE E TENTO ESPANTAR A DOR CANTANDO, CANTANDO MUITO, UMAS ÁRIAS DA "OPERA PROIBIDA" (da Cecilia Bartoli).
ÁRIAS TRISTES COMO A MINHA ALMA QUE CHORA A AUSÊNCIA , O MEU ACTO DESESPERADO, O TÊ-LO MORTO,

OH INSÂNE!

OH QUEM ME DERA SER LADY MACBETH E LAVAR, LAVAR, SEMPRE AS MÃOS , SEMPRE, SEMPRE .

VIM PARA AQUI VER SE APAZIGUO A MINHA ALMA ENCHARCADA.

D. MARIA

Anónimo disse...

Amigo-irmão... a História? onde mora?! dentro de ti, certamente... e com muita generosidade a distribuis a mancheias, pois apesar de todos os dissabores, tristezas, atrocidades, História é Vida, comportando assim, ao lado das mazelas, alegrias, partilhas...
Quanto àqueles que pensam fazer/ditar a história e marcham a passos de ganso – entendem mesmo é de mediocridade, que é a não-vida.

Deixo o meu abraço fraterno e saudoso,

batista (http://ilhamutuns.zip.net)

Vladimir disse...

Vai ficar conhecido pelo "Tratados dos 200 mil".....

Jasmim disse...

A história é feita de tanta pequena coisa, mas no fundo só fica registado aquilo que aparentemente é grandioso.
Dos herois como nós não reza a hsitória...

Peter disse...

Heretico

Obrigado pela visita.
Talvez não alinhemos pela mesma equipa, mas não há dúvida que jogamos no mesmo campeonato.

Abraço

foryou disse...

E não é que Nietzsche continua actual?!... Quem diria...

Efemerum disse...

para o teu pêndulo é indiferente a cadência dos nossos passos...
os tempos de hoje em ritmos diferentes dos de ontem...e, talvez dos de amanhã.

apenas as pegadas deixadas hoje marcarão as direcções dos trilhos do amanhã.

para o teu pêndulo o tempo decorrerá da mesma forma....paulatinamente.

beijo de boa noite

herético disse...

Efemerum,

como bem se compreende "o Pêndulo" é apenas um simbolo e como tal redudor...

assim, impõe-se a precisão - o (meu) tempo social não é mecânico, mas "dialético";

e, nesta perpectiva, tens razão: "apenas as pegadas deixadas hoje marcarão as direcções dos trilhos do amanhã".

por isso, modestamente, teimamos em dizer!...

herético disse...

"redutor", como é óbvio...

david santos disse...

O caso Cláudia, não está perdido. Mandem Mails a esta gente e não só:

geral@embaixadadobrasil.pt

Temos que estar solidários com a menina Cláudia.

Pede a outros blogues que façam o mesmo.

Isabel disse...

Ainda bem que o pendulo balança, antes balançando que apontando seguro numa direção sem que a altivez e a rrogância o deixem olhar noutras direções ou pensar que talvez aponte na direção errada.

Não quero ser demasiado agressiva mas a altivez rigida e o nariz torcido são caracteristicas próprias da mediocridade.

Quem apendeu a humildade sabe que essa é a verdadeira lição de vida.

O nariz altivo impede a visão.

Há que cortar o nariz torcido do pensamento!

Miosotis disse...

O nariz esse pouca importância tem!

Os efeitos da altivez é que podem ser perniciosos...

Houve tratado!? Sabes qual? Tentei descobrir e depois de várias tentativas, desisti!
Quereria estar informada! É um dos nossos direitos! Direitos?!

Eu gosto do teu olhar atento e predador' sobre os males deste 'reino'!
Alertas os que te lêem! Missão muito 'valerosa'!

Sensibilizada pelo olhar poisado em 'fragmentos'!

Nota - Saúdo em ti as 'pétalas guerrilheiras'!

jawaa disse...

Não esqueças de dar-lhe corda. Sempre. É preciso.
Abraço

Entre linhas... disse...

O pêndulo continua a abanar para as grandes verdades.
Bjs Zita

isabel mendes ferreira disse...

e vai cair para que lado?????

____________________________o pêndulo....claro.

Vlad disse...

E parece que o PM, na sua megalomania galopante, queria enviar a polícia para identificar cada um dos manifestantes.
Ao que parece pelo meio da cadeia de comando algo falhou ;)

SILÊNCIO CULPADO disse...

E ainda está a balançar o pêndulo felizmente. E ainda bem que o pêndulo continua a balançar e eu também caminho ao ritmo do pêndulo. Porque há pessoas que sofrem neste País tresmalhado e são tantas e tantas e tantas, que não nos podemos calar.