quinta-feira, dezembro 13, 2007

Outras Personagens - Óscar Niemeyer

O arquitecto brasileiro, Óscar Niemeyer, completa, no próximo Sábado, 15 de Dezembro, 100 anos de vida.

Niemeyer nasceu no Rio de Janeiro em 1907. É nesta cidade que faz os estudos de arquitectura, depois de ter trabalhado como tipógrafo. Arrojado e inconformista, Niemeyer é brilhante percursor da arquitectura e do urbanismo modernistas, notabilizando-se, nos anos 40, pelo desenho de edifícios como a sede das Nações Unidas, em Nova Iorque. No entanto, o governo norte-americano de então, impediu-o de leccionar na Universidade em Yale, pelo facto de ser membro do Partido Comunista do Brasil.

Nos anos cinquenta, coordena o projecto de edificação da nova capital do seu país - Brasília - sendo responsável, pelo conjunto de edifícios, onde estão instalados os órgãos de soberania do Brasil. Na década seguinte, exila-se em Paris, após a instauração da ditadura militar.

Enquanto refugiado em França, retoma grandes projectos de arquitectura, como a Mesquita de Argel, ou sede da editora Mondadori, em Itália, ou a sede do Partido Comunista, em Paris. De regresso ao Brasil, nos anos 80, após a queda da ditadura, continuou a actividade de arquitecto de renome mundial, mantendo-se sempre dedicado aos ideais da sua vida, ainda hoje preenchida e animada por projectos arquitectónicos, intervenção cultural e pela luta contra as injustiças sociais.

Lisboa teve o privilégio de admirar, há poucos anos, uma exposição retrospectiva da sua vida e obra, no Pavilhão de Portugal, do Parque das Nações, hoje em dia, palco de todas as cimeiras...

.................................................................................................................

Eu sei, tivemos a assinatura do Tratado de Lisboa. E o eléctrico da Carris, vestido de azul, a mudar a sua genuína cor. São estes os tempos!...

Mas que querem?!... Da história dos nossos dias, prefiro registar outras personagens! Que antecipam o Futuro. E a sua beleza...

11 comentários:

batista disse...

Que bom ver Niemeyer por cá.
Um abraço fraterno.

(http://ilhamutuns.zip.net/)

batista disse...

Que bom ver Niemeyer por cá.
Um abraço fraterno.

(http://ilhamutuns.zip.net/)

Anónimo disse...

E faz muito bem!
Niemeyer já tinha antecipado o presente e continua o futuro.

jrd

bettips disse...

E fazes muitíssimo bem que a "obra" destes vê-se mal e é mal explicada. Ficam todos com uma arrogância que os faz parecer "pequenos grupúsculos" de tias a tomar chá. Mau é influírem tanto em tanta gente!
Niemeyer é um homem exemplar e foi bom lembrá-lo. Um dia qualquer passei num amigo (a?) brasileiro que mostrava fotos espantosas de Brasília. Na altura, quase era secreto falar nisso...! Abraços

isabel mendes ferreira disse...

"desformatar" a beleza??????




ah ...pois.



_______________.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Um post didático e cultural com a categoria a que nos habituastes.
Realmente é interessante desenvolver Niemeyer e depois uma breve referência ao Tratado de Lisboa. Coisas da vida.

Tenho andado ausente por motivo de saúde de familiares e amigos próximos. Porém agora que "regressei", tenho no Silêncio Culpado um texto em que me identifico (nome e rosto) fazendo cair o tabu do Silêncio.

Peter disse...

Sempre admirei a obra de Óscar Niemeyer, principalmente, por mais conhecido, o conjunto de edifícios em Brasília onde se instalaram os orgãos de soberania do Brasil, no tempo do Presidente Kubitschek de Oliveira.

Para mim o que conta é o homem e a sua obra, independentemente da sua opção política.

Boas Festas para ti e para os teus.

Gi disse...

Para ti que o aprecias (e eu também)

"Não é o ângulo recto que me atrai

nem a linha recta, dura, inflexível,

criada pelo homem.

O que me atrai é a linha curva e sensual.

A curva que encontro nas montanhas do meu país,

no curso sinuoso dos seus rios,

nas ondas do mar

nas nuvens do céu,

no corpo da mulher preferida.

De curvas é feito todo o Universo.

O Universo curvo de Einstein."


Oscar Niemeyer
---------------


Ele é pura e simplesmente fantástico

Gi disse...

esqueci-me do beijinho

Gi

Maria disse...

Já vi as palavras que a Gi deixou aqui no "tempo das cerejas"...
A Festa do Avante homenageou-o há uns anos dedicando um espaço à sua obra ...

uivomania disse...

Cem anos, cigarrilha na mão, despudorado... foi um prazer ouvi-lo dizer, que teve de sair de uma festa em que gente rica o abordava e se esforçava para dizer coisas inteligentes. Achou, segundo disse, tudo aquilo uma grande merda! É que lá fora, a vida é dura. A miséria e a ignomínia grassa e ninguém deveria fazer vista grossa, refugiado em verborreias elegantes. Disse.