sexta-feira, junho 06, 2008

Fragilidade(s)...


Passo a passo, António
E o mundo
Em cada esquina.

E em cada homem
Um abraço...

E a mão que te encaminha
E o calor de quem passa...

E a voz que te embaraça...

E a queda
E o erguer de novo
E o fel
E o mel
E o lume
Do caminho...

E o olhar em cima
E o vigor em teimar ...
E o fogo dos céus
E toda a água do mar...

E grito que em ti clama
E o sangue solidário...
E o choro
E o riso...

Passo a passo ...
Breve
Que seja!...

Assim a vida, António!...

34 comentários:

Frioleiras disse...

É o teu filho?
amoroso.............

mdsol disse...

hum! cheira a a... babado! certo?
De qualquer modo...Vida boa para o antónio
:)

Sophiamar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sophiamar disse...

É a nossa vida a prosseguir...sangue do nosso sangue...passo a passo, titubente assim vai fazendo caminho rumo ao futuro.
O passado ampará-lo-á,exultante, abrindo-lhe os braços e enchendo-o de abraços e beijos.

Para ti, um abraço apertado.

Graça Pires disse...

Passo a passo, António.
Poema lindíssimo e sensivelmente frágil...
Um abraço.

M. disse...

Que bonito! Ele irá gostar de ler o que lhe dizes. Um dia mais tarde. Por enquanto só sente a ternura do teu olhar pousado nele.

isabel mendes ferreira disse...

que seja. Todo ele feliz.



__________________.

grata.



.

Sophiamar disse...

A escrita da manhã, titubeante ( é assim que se escreve) conduziu ao erro.

Tanta ternura! O poder encantatória das palavras e dos sentimentos que as perpassam.

Lindo!

Beijo

jrd disse...

Passo a passo, António,
irás correr para os amanhãs do mundo.

Maria Laura disse...

São estas as fragilidades que dão sentido à vida. Que o António viva num mundo mais feliz que este, um mundo que o mereça! Passo a passo.

alice disse...

;) amoroso ver os primeiros passos de uma criança e retê-los em tão bonitos versos, herético. um beijo e bom fim de semana.

VEU DE MAYA disse...

Tão cristalino e inocente que se torna comovente.Gostava de saber quem é o pai/mãe da criança-meu caro herético! Mas este teu gesto poético é sem dúvida puro e generoso.


abraços

São disse...

Comovente e belo...
Que Deus proteja essa criança ( e todas as crianças do mundo).
Feliz fim de semana.

Maria disse...

Ternurento....
O nosso futuro, aqui, também.

Beijos

um Ar de disse...

Se há nome que eu gosto, é António! como João! como José!
.
Já não é um querido "polimorfo"... :)
.
É um menino decidido, que sairá aos seus, certamente, apesar dos tempos serem outros... porque serão!
.
Mas a tua mão, a tua atenção, o teu amor, com a paciência redobrada para o filho de um filho... tenho a certeza... não tenho dúvidas... acredito... ajudarão na caminhada!
.
É lindo o António, também há que dizê-lo... e assim é o poema!...
.
[Beijo encantado]

samuel disse...

Que bonito texto!

Abraço

Vieira Calado disse...

Um poema esbelto, solto que apreciei.
Um abraço.

Oliver Pickwick disse...

Tem um talento nato para os versos. Consegue passar um sentimento grandioso e épico neles.
Vida longa a este símbolo da continuidade da vida, o pequeno Antônio.
Um abraço!

P.S.: Estou de volta depois de uma maratona intensa de trabalho e de sucessivas viagens. Desculpe a ausência temporária.

mundo azul disse...

...e viva o Antonio!!!
Nada mais lindo que uma criança, quando começa a andar...
Lindos versos para o garoto!
Beijos de luz e um final de semana maravilhoso...

dona tela disse...

Tenho lá um desafio muito giro.

P.S. Então é assim: Como ainda não sinto categoria para comentar, vou deixando o mesmo recado em todos os senhores(as). Certo??


Até logo.

Licínia Quitério disse...

Lindos!! O menino, a palavra, a emoção (de quem escreve e de quem lê).

Abraço fraterno.

Bandida disse...

parabéns!! passos largos os dos que não páram...

:)

mariam disse...

que lindo!
o poema... o António... e... a sensibilidade do seu "EU"!

bom fim-de-semana
um sorriso :)

© Piedade Araújo Sol disse...

quanta ternura!

a foto, linda!

beij

Justine disse...

A ternura atenta do adulto, vendo António a descobrir o mundo, redescobrindo-o em simultâneo.

M. disse...

De uma ternura infinita.
Como a vida, a queda e o erguer. que ele nunca se esqueça que é mesmo assim.

Beijo aos dois

Tinta Azul disse...

Assim a vida, António.
Feliz António por ter quem, assim, lho diga.
:)

Vera disse...

Uma ternura!!
Assim a vida António! A tua e a nossa :)

Beijinhos

velha gaiteira disse...

Filho ou neto?

Beijoquinhas grandes
para ti

un dress disse...

assim a vida assim

o tempo

assim

crescer

renovar

assim viver:

:és lindo

antónio! :)




beijO

Marinha de Allegue disse...

Lindas e fráxiles palabras, tan lindas e fráxiles coma o pequeno Antonio.

Apertas para Antonio e para ti.
:)

Menina_marota disse...

Comovente, frágil e forte, este momento.

E assim Poeta, o sangue do teu sangue continua a girar...

Gostei de saber-te em Poesia. Tinha saudades... de ler-te assim... :)))

Um beijo ao António e um abraço para ti ;)

Auréola Branca disse...

Onde está a intensidade de um primeiro passo? Onde está a teimosia de levantar depois de um tombo? Onde está a alegria por conseguir chegar a algum lugar, mesmo que engatinhando?

Gostaria de recordar meus primeiros meses da vida.

foryou disse...

:) que prazer tão grande senti em ler-te aqui :)


É isso mesmo, António :) um passo aqui, outro ali, uma queda acolá e mais um passo... assim a vida, António :)