terça-feira, agosto 19, 2008

Uma outra perspectiva da guerra...

O urso ferido (e provocado) mostra as garras. Bush franze o sobre olho e engole em seco (que remédio!...). A senhora Rice exibe toillets pelas capitais da “velha Europa” e sai com as mãos a abanar. A NATO reúne na emergência. E a velha sabedoria parece ter travado a retórica belicista. E até o nosso beatífico Guterres, de discurso encomendado, por lá, seraficamente, ostenta sua capa humanitária...

Bom seria que todo este afã mediático não ignorasse o Povo da Geórgia. E o que pensa dos seus dirigentes, nesta ocorrência. Deixo-vos uma outra perspectiva...

Comunicado do Comité de Paz da Geórgia

“A Geórgia foi lançada em mais uma sangrenta situação de caos. Na terra georgiana deflagrou com nova força uma guerra fratricida. Para grande infelicidade nossa, não surtiram efeito os alertas do Comité da Paz da Geórgia e de personalidades progressistas da Geórgia sobre o carácter pernicioso da militarização do país e sobre o perigo de uma política pró-fascista e nacionalista. As autoridades da Geórgia, mais uma vez, organizaram uma guerra sangrenta, sentido o apoio de alguns países ocidentais e de organizações regionais e internacionais.

A vergonha vertida pelos actuais detentores do poder sobre o povo georgiano demorará dezenas de anos a limpar.

O exército georgiano, armado e treinado por instrutores americanos e utilizando armamento também americano, submeteu a uma bárbara destruição a cidade de Tskhinvali. Os bombardeamentos mataram civis, ossétios, irmãs e irmãos nossos, crianças, mulheres, idosos. Morreram mais de dois mil habitantes de Tskhinvali e dos arredores. Morreram igualmente centenas de civis de nacionalidade georgiana, tanto na zona do conflito, como por todo o território da Geórgia.

O Comité da Paz da Geórgia expressa profundas condolências aos familiares e amigos dos falecidos. Toda a responsabilidade por mais esta guerra fratricida, por milhares de crianças, mulheres e idosos mortos, pelos habitantes da Ossétia do Sul e da Geórgia cabe exclusivamente ao actual presidente, ao Parlamento e ao governo da Geórgia. A irresponsabilidade e o aventureiríssimo do regime de Saakachvili não têm limites. O presidente da Geórgia e a sua equipa, sem dúvida, são criminosos e devem ser responsabilizados.

O Comité da Paz da Geórgia, juntamente com todos os partidos progressistas e movimentos sociais da Geórgia, vai bater-se para que os organizadores deste monstruoso genocídio tenham uma punição severa e legítima. O Comité da Paz da Geórgia declara e pede à ampla opinião pública que não identifique a actual direcção georgiana com os povos da Geórgia, com a nação georgiana e apela a que apoie o povo georgiano na luta contra o regime criminoso de Saakachvili.

Apelamos a que todas as forças políticas da Geórgia, os movimentos sociais, o povo da Geórgia se unam para libertar o país do regime antipopular pró-fascista de Saakachvili!...”


O Comité da Paz da Geórgia

Tbilissi, 11 de Agosto de 2008

15 comentários:

Peter disse...

Adoptando uma atitude apolítica, como é meu timbre, não posso deixar de concordar inteiramente com o comunicado do Comité de Paz da Geórgia.

jawaa disse...

Parece haver alguma semelhança entre Ossétia do Sul e Kosovo, embora não seja bem a mensagem que passa...

Maria disse...

Às tantas, o Comité de Paz terá as suas razões...
Este comunicado podia (devia) ser objecto de notícia na nossa com. social, já que o resto também é...

Beijos

Mar Arável disse...

O chamado ocidente democrático

continua estrábico

Véu de Maya disse...

Ainda estou de passagem...li com atenção...que cobiça desenfreada...para quê?

abraço afectuoso

Menina_marota disse...

Num "teatro" que cada vez mais aterroriza, a palavra PAZ tem um significado quase divinal.

Beijinho ;)

M. disse...

o sonho de uma paz é inalcançável enquanto permanecer uma tirania de classe incapaz de gerir um estado, responder às necesidades do povo impondo regimes de opressão... que imbecilidade! há sempre um país a parir monstros e ditadores..

jrd disse...

Talvez fosse bom que o Tribunal Penal Internacional se preocupasse com estes novos genocidas

manhã disse...

é preciso salientar que o governo georgiano foi eleito democraticamente, sem maioria mas eleito e que uma das promessas eleitorais era conquistar a Ossétia do Sul.

Sophiamar disse...

"Bom seria que todo este afã mediático não ignorasse o Povo da Geórgia."

Mais importante que tudo o resto.

Beijinhos

batista disse...

as viseiras impostas pelos grandes meios de comunicação... impedem, não só de perceber o que ocorre ao lado...

deixo o meu abraço fraterno.

Maria Laura disse...

Seja qual for a motivação desta guerra e muito se fala, desde o petróleo de Mar Cáspio até à preocupação russa com a importância estratégica de ter um "inimigo" ali ao lado, aquilo que menos parece importar é o que o povo sofre com tudo isto e que inclusive é, na medida do possível, escondido da opinião pública mundial. E assim vai o mundo...

Dona Sra. Urtigão disse...

O homo sapiens se estabeleceu no planeta devido a sua capacidade inventiva e principalmente bélica, quando pela posse de armas expulsou outros hominideos de seus territorios, exterminando-os, como por exemplo aos neanderthais. Essa é nossa herança, nosso desenvolvimento, nossa história e para alguns, nossa vergonha, fazermos parte dessa natureza humana.
Bravo pela denuncia, congratulações por ser alguem que não fica sòmente repetindo discursos normativos das midias dominantes a serviço do poder interesseiro.

SILÊNCIO CULPADO disse...

Herético
Absolutamente. Concordo.

Abraço

Vieira Calado disse...

Sem conhecer nada do que se estava a passar, vi logo quem eram os instigadores desta guerra.
São sempre os mesmos, secundados pela maior parte dos países europeus que comem do mesmo tacho.
Um abraço