segunda-feira, dezembro 08, 2008

Palavras Outras - Guy Debord



1 - “O espectáculo não é um conjunto de imagens, mas uma relação social entre pessoas, mediatizada por imagens.”

2 – “Toda a vida das sociedades nas quais reinam as condições modernas de produção se anuncia como uma imensa acumulação de espectáculos. Tudo o que era directamente vivido se afastou numa representação”.

3 – “O espectáculo não pode ser compreendido como o abuso de um mundo da visão, o produto das técnicas de difusão massiva de imagens. Ele é bem mais uma Weltanschauung tornada efectiva, materialmente traduzida. É uma visão do mundo que se objectivou.”

4 – “O espectáculo submete a si os homens vivos, na medida em que a economia já os submeteu totalmente. Ele não é nada mais do que a economia desenvolvendo-se para si própria. É o reflexo fiel da produção das coisas, e a objectivação infiel dos produtores”.

5 – “A primeira fase da dominação da economia sobre a vida social levou, na definição de toda a realização humana, a uma evidente degradação do “ser” em “ter”. A fase presente da ocupação total da vida social pelos resultados acumulados da economia conduz a um deslizar generalizado do “ter” em “parecer” de que todo o “ter” efectivo deve tirar o seu prestígio imediato e a sua função última. Ao mesmo tempo, toda a realidade individual se tornou social, directamente dependente do poderio social, por ele moldada. Somente nisto em que ela não é, lhe é permitido aparecer.”


Guy Debord – in “Sociedade do Espectáculo”

22 comentários:

hfm disse...

Gostei muito.

Graça Pires disse...

Gostei muito deste texto de Guy Debord. Realmente na sociedade em que vivemos, mais importante do que "ser" é "ter" e "parecer"...
Um abraço, amigo.

vida de vidro disse...

Interessante. Mas, pergunto eu, como escapar a essa alienação da sociedade do espectáculo? É que as soluções dadas por Debord parecem-me "intelectualmente" muito interessantes mas de pouca aplicabilidade, mesmo para quem acredita que pode viver à margem da sociedade dominante. Para sobreviver (em vários sentidos) regressa. Ou não e não sobrevive (como foi o caso dele).

Licínia Quitério disse...

Quem não aparece não existe. E depois? Que importa? Há mais mundo para além do espectáculo.

Isto é só um desabafo. Quem dera que não importasse!

mdsol disse...

Pois! Conta muito a fachada...

:)))

SILÊNCIO CULPADO disse...

Herético

Como não concordar com tão bem fundamentada dissertação?
Isso do "ser" se transformar em "ter" é a perdição das sociedades modernas. Porque não podemos materializar os afectos e eles perdem-se. Porque não podemos materializar valores como a justiça e a liberdade e eles são abafados.
Porque não podemos materializar a felicidade e ela é subalternizada.


abraço

casa de passe disse...

olá simpático. vens?

loulou

Nilson Barcelli disse...

O texto é peremptório.
Não há discussão possível porque é tão verdadeiro como o ar que respiramos.
Gostei de ler, obrigado pela partilha.
Abraço.

jrd disse...

O espectáculo -nao- deve continuar.

Mar Arável disse...

Até nas plateias se representa

São disse...

O único reparo é não teres acrescentado um homem tão bonito quanto a senhora, rrrsss

Fica bem.

Tinta Azul disse...

Com este texto fiquei a pensar ainda mais sobre coisas em que tenho andando a pensar...


Bjs

bettips disse...

Fiquei-me pelo 1)!!!
Deve ser por isso que sou-sinto tão anti-social.
Bj
(imaginas qual a palavra para verificar? não? ... é "dandi"!!! ainda hoje nem tinha brincado, só coisas sérias.)

Arabica disse...

Levaram o teatro para casa.
Ensaiaram longamente.
Mascararam o rosto com um sorriso.
Em gesto largo, esperaram o aplauso final...Mas os objectos, mudos, inanimados, nunca bateram palmas.


Beijinhos

Lord of Erewhon disse...

Um espectáculo triste.

Abraço.

Véu de Maya disse...

A mulher tem piada...e o espectáculo vai continuar...É isto O Mundo?...que Deus lhes perdoe..

Abraços

pront'habitar disse...

na vida, na morte, o espectáculo...

Carla disse...

este fabuloso texto diz tudo. O ter e o parecer que se sobrepõe ao ser!
beijos

~pi disse...

conhecia o texto.

poderosíssimo.

como sair?]]



beijo

Maria P. disse...

Mesmo depois do pano descer...
Fantástico.

Beijinho*

Mariz disse...

The show must go on!
No palco, na tela, nos textos, na vida real..tudo serve para Ser e Parecer, ou apenas Ser!
Gostei do texto...embora pela aparência...
reticências...
Abraço
Mariz

isabel mendes ferreira disse...

um abraço.



.



discreto.


simples.


. que seja um dezembro bom.