segunda-feira, março 16, 2009

Evocação da Quaresma...




A Via-sacra era uma borga. No caminho da igreja, a Maria da Purificação ia à frente a ler o breviário. Enquanto todo o acompanhamento se ajoelhava, batia no peito e beijava o chão, apanhávamos nós pelos barrancos flores de cuco e lírios silvestres.

Não sei porquê, a primavera sabia-nos melhor assim, usufruída rebeldemente nas barbas dos adultos penitentes.

- As gotas de sangue, que derramou, foram duzentas e trinta mil...
- Louvado seja tão bom Senhor...
- As lágrimas que chorou pelos nossos pecados, foram seiscentas mil e duzentas ...


Achávamos demais, e ríamo-nos à socapa...

.............................................................................

Miguel TORGA – in “A Criação do Mundo”
Foto – Georges Dussaud – in “Trás-os-Montes” – L´Equinoxe/ Assírio&Alvim

21 comentários:

Maria disse...

Percebo muito bem este teu post... incluuindo a foto...
:)))

Beijos, pois

Tinta Azul disse...

Há coisas que o Torga diz como ninguém
e que o Herético lembra como ninguém, também.
E eu lembro o terço durante o mês de Maria...que borga...

:))

Um bj por cada dia que aqui não vim...assim em jeito de via sacra

Frioleiras disse...

pois... a Quaresma.........

Lembro-me na infância do mixto de respeito, tristeza e "luto"... sim, luto porque durante a quaresma não havia bailaricos, e na semana santa só se ouvia música clássica na rádio... lá fora, nos campos o frio ainda fazia bater os dentes mas eram lindas as procissões nocturnas, cheias de velas e anjos, a banda tocando marchas fúnebres e as colchas e velas às janelas(o Sr da Cana Verde, o enterro do Senhor e a alélulia com as matracas .......)

Ainda hoje vou ao encontro destes rituais..............

jrd disse...

É! Foram não sei quantos mil...

dona tela disse...

Via Sacra? Nunca fui. Já vi o Papa ir, já. Na TV, claro.

Muito boas tardes.

Carla disse...

o Torga no seu profundo conhecimento de uma realidade tão específica escreve como ninguém!
beijos

Peter disse...

"O final do livro reporta-nos essencialmente para a Revolução de Abril e as suas consequências, nomeadamente os golpes e contra golpes até à consagração da Democracia. O autor, ao finalizar esta obra, deixa-nos, por um lado, o desejo de criar o 7º dia da sua vida e, por outro, deixa a ideia de que as suas forças já não o deixam…" (Google)

Maria P. disse...

Que excelente evocação...

;)Beijinho*

mdsol disse...

Herético

O livro "A criação do Mundo" tem para mim um significado pessoal tão, mas tão grande, que até já postei a capa de um das edições que eu tenho!
Que boa surpresa. Obrigada

:)))

isabel victor disse...

belíssimo ...

e é quase dia da poesia


:))



grata pela visita
um beijo (poético)




iv

~pi disse...

ali te vejo

( preciso,

exacto,

tu :)



beijo



~

C Valente disse...

Saudações amigas

C Valente disse...

Saudações amigas

Maria Clarinda disse...

Adorei este teu post!!!!E como me soube bem ler este texto!
Jhs

mariam disse...

Herético,
muito boa escolha! obrigada p'la partilha! ... e a fotografia! fantástica, de brincadeiras que já não há mais... e de 'Torga' recordei agora que não há muito, tive nas mãos uma relíquia sua ainda assinada 'Adolfo Correia Rocha'...mas minha 'bolsa' não chegou p'ra comprá-la.

deixo-lhe um ramo daquelas frésias, um abraço e o meu sorriso
mariam


nota:estava certa ou nem por isso, no infra? :)

Mar Arável disse...

Hoje em dia todos os cuidados são

poucos

o papa pode chegar

sem preservativo

Luana Ferraz disse...

Concentrai vosso coração em equilibrio, ele e o amor, mais nada.

beijos

Véu de Maya disse...

a bela irresponsabilidade...neste caso inocência absoluta...lindo mm seria não deseducar as nossas crianças e jovens...

abraços, meu caro herético... acabei de visitar a nossa amiga blogueira e bem humorada D.Tela.

o texto de Torga é mesmo uma ternura.excelente escolha.

Nilson Barcelli disse...

Sou agnóstico, mas não me rio da fé.
Mas já me ri quando ainda era católico...
Grande Torga, só ele para pegar num assunto destes.
Intencionalmente pubicado por ti, pois claro...
Abraço.

Oliver Pickwick disse...

O velho mestre em um momento-pérola. Guardando as devidas proporções (gigantescas), é um dos meus inspiradores.
A propósito, "borga", aqui, é o mesmo que orgia. E aí, no tempo de Torga?
Percebo que, com tais leituras, há muito já flertava com a heresia.
Um abraço!

Isamar disse...

A Criação do Mundo é um livro fascionante. Uma auto-biografia do poeta, romancista, escritor que tanto admiro. Ambos nascemos por entre torgas.

Beijos

Bem-hajas