domingo, outubro 04, 2009

“Vibrato"

Que as palavras sejam
Canto de pássaros sob a máscara
Ainda quente de outros cantos
Recidivos...

Que se cumpram os prenúncios.
E a polpa dos dedos
Seja arrepio de pele sobre o dorso
Da vertigem...

E violoncelos tangendo a combustão
Dos corpos...

Livro de Horas
No mistério dos sentidos...

31 comentários:

jrd disse...

Vibrante!
Abraço

Vieira Calado disse...

Também gostaria de abraçá-lo
e conhecê-lo pessoalmente no dia 15, na Barata!

Um forte abraço

Paula Raposo disse...

Sensualíssimo! Beijos.

Licínia Quitério disse...

Um vibrato à flor da pele. Sentidos em combustão. Muito belo.

lino disse...

Excelente "vibrato".

triliti star disse...

possam as recidivas combustões dos corpos fazer a leitura dos mistérios dos sentidos...

MagyMay disse...

Palavra...Canto...Pele... Música...Livro...
Um império de sentidos o que li.

Beijo de Boa Semana

Peter disse...

Deixo-te com os poetas, agradecendo as tuas palavras sobre a minha prosa.

Abraço amigo

Mar Arável disse...

Sempre

Abraço

São disse...

Que a tua semana siga o som dos violoncelos...

Um abraço.

hfm disse...

"E violoncelos tangendo a combustão
Dos corpos...

Livro de Horas
No mistério dos sentidos... "

Um poema dentro do poema.

Miosotis disse...

'Vibrato'... só pode ser divino. sensual. pessoal... na 'memória dos sentidos'.

Um beijo
Sensibilizada, sempre!

* hemisfério norte disse...

que as horas vibrem
mesmo que
nu

relógio d'inverno

bjs
a.

Graça Pires disse...

Boa noite poeta. Gostei muito do poema.
Um abraço.

tolilo disse...

tão bonito, tio Heretico!

(e a minha tia Lígia que tanto gosta de violoncelos!)

Chuac!_

(o tio Triniti será filósofo? :)))

casa de passe disse...

Ai, que belas recordações este poema em mim despertou. Desgraçadamente já nem com a polpa dos dedos eu me governo. Que não mo permitem as artroses.


Ernesto, o avô.

ps-mas gostei muito do poema.

Auréola Branca disse...

Que seja tão e quão intenso.
Que se mova diante de todos os contornos da vida.
E que faça de mim uma obra de arte vida!

Abraços.

Nilson Barcelli disse...

Excelente, caro amigo. Gostei imenso do teu poema, onde as tuas palavras vibram como violoncelos...
Abraço.

Véu de Maya disse...

Puríssimo e belo este vibratto...
com estética muito sensitiva.

abraços,

Véu de Maya

Lord of Erewhon disse...

Há em ti um poeta a querer soerguer-se acima da engrenagem dos dias...

Abraço!

M. disse...

Muito belo!

vida de vidro disse...

A vertigem das palavras que nos dizem dos sentidos. Belíssimo. **

mdsol disse...

Faço minha a palavra do JRD

:)))

© Piedade Araújo Sol disse...

muito sensual.

E violoncelos tangendo a combustão
Dos corpos...

gostei!

bom fim de semana!

tulipa disse...

HOJE faço uma homenagem à minha sobrinha Tânia do Bookcrossing, falecida em Março passado:

Minha querida, um “grande amigo” recente, também da blogosfera, mas já real, em Abril passado, já depois da tua partida para sempre da minha vida, fez o percurso “Caminhos de Santiago” ( conheceu-te através de mim, do meu sofrimento, da partilha de emoções) e, juntamente com os seus companheiros de caminhada rezaram por ti e fizeram uma oferta pela tua alma, deixando no local um símbolo e umas florzinhas do campo.
LINDO, não é?
Aqui estão duas imagens desse “momento”.
Faço-te homenagem nos meus dois blogues, neste "teu dia".

Mel de Carvalho disse...

No livro das Horas, caríssimo Herético, a sua poesia, há muito a exigir registo em papel,
inscreve-se e perpétua-se.

Cada trabalho seu que leio, mais me torna convicta de que, o senhor, é um notável escritor/poeta.

Sou-lhe grata por nos disponibilizar, generosamente, aqui, o que nos torna unos à face da terra: a nossa percepção, a nossa cognição, o seu lirismo.

Fraterno abraço
Mel

Maria Clarinda disse...

E no livro das horas tanta coisa fica nas entrelinhas...precisamente por ser o livro das horas e elas passarem tão rápido!
Lindo o poema. Jhs myos.

maria m. disse...

tantas coisas podem ser as palavras. e o teu poema vibra de sentidos e sonoridades. gosto muito de ler a tua poesia.

um abraço!

Carla disse...

E neste mistério dos sentidos cumpre-se o prenúncio do prazer ( com que se lê tão belo poema)
beijos e boa semana

Maria P. disse...

Que seja sempre "Vibrato".

Regresso...beijinho*

Maria Clarinda disse...

Muito bonito este teu Vibrato!
Jhs