domingo, janeiro 03, 2010

“O Seringador”


Provavelmente, a maioria dos meus leitores não conhece “O Seringador”. O que é pena, em verdade vos digo!...

Nem sequer conhecerão o seu eterno rival, “O Borda d´Água”, mais “intelectual”e, portanto, mais adequado ao gosto cultivado e urbano de meus amigos, mas que não chega aos calcanhares do verdadeiro ícone da arte de mandar chuva, no acerto das previsões...

Tudo ali está previsto, em “O Seringador”!... Com o rigor matemático de quem domina o balanço dos tempos. Desde as fases da lua, ao tempo meteorológico que irá fazer, à conjugação dos astros que governam os homens, ao momento certo para plantar nabos ou abóboras, até à inegável vantagem da indicação dos dias dos santos padroeiros ou referências detalhadas a festas, mercados e feiras...

No espaço social da minha infância, nos primeiros dias de cada ano, “O Seringador” entrava nos lares, com a afabilidade de uma vista esperada, que vinda de longe, traz as novidades para todo ano e, na sua picaresca ousadia, subvertia a ordem estabelecida no picante das suas anedotas, em que a padralhada era a visada e que destapavam o gozo dos homens e a piedade imaculada de tias velhas e solteiras...

Em círculo, afagando o crepitar da lareira, por entre os uivos de vento e de chuva zurzindo, lá fora, o negrume da noite, os homens - patrão e a clientela de servos, que à casa se acoitavam, sem pão e sem trabalho, nas longas invernias – batiam o jogo da sueca ou do chincalhão, por entre jarros de vinho quente nas gargantas, gargalhavam com as picardias de “O Seringador”; ou então, solenes, meditavam nas sábias considerações com que o “Juízo do Ano” fazia o balanço dos últimos 12 meses passados e perspectivava o devir os meses futuros, conforme a conjugação dos astros.

Pois não é que o sabichão e matreiro “O Seringador” acertava sempre?!...

Quem aliás poderia duvidar de tão sábias previsões, feitas sob a impetração de Deus para que “as coisas boas se cumpram integralmente, crendo sempre que acima de todos os juízos é Deus super omnia”?!...

Deliciosas eram as Conversas da Tia Brízida com o Seringador. “Diálogos filosóficos” sobre a vida, o tempo e as coisas comezinhas, em que espíritos mais argutos e homens mais vividos, liam aqui e além, nas entrelinhas, como discretas, mas verrinosas críticas sociais e políticas, o que leva a acreditar que se Deus está acima de todas as coisas, não é menos verdade, que, nos caminhos da Terra, haverá sempre um grão de areia a perturbar a ordem do mundo e a natureza das coisas.

Mesmo nas noites mais escuras, ou “em tempos de servidão”, há sempre uma bruxuleante luzinha, que teima, conforta e anima...

É, pois, sob o signo de “O Seringador” que inicio as crónicas para 2010. Cá estaremos, portanto, seringando rabos-de-palha e narizes de cera, maroteiras e malfeitorias, tanto quanto o ânimo o deseje e a capacidade o permita. Esconjurando os maléficos “voodoo economics” (bruxarias económicas) e os políticos milagreiros.

Celebrando, sempre que seja o caso, o mérito das boas causas e o triunfo da razão e do futuro...

E, uma vez por outra, um poeminha. Amorosamente amassado. Como quem amanha a terra, donde ao fim e ao cabo nunca chegarei a sair...

Bom Ano de 2010.

23 comentários:

Mar Arável disse...

Seringando o teu espaço

aqui me fico

contigo

no amanho desta terra

Força nas tuas belas palavras

Abraço amigo

Licínia Quitério disse...

Não conhecendo O Seringador, aguardo sempre as tuas seringadelas certeiras nas gentes e factos que nos povoam os dias.
Quanto à poesia, espero-a sempre e com ela me encanto.

Paula Raposo disse...

Interessante O Seringador.
Vamos...vá, atravessemos o 2010 na sua onda! Seringando...
Beijos de bom ano, menino.

Maria Quintans disse...

um fantástico ano novo para ti!!

beijo

M. disse...

Pois não conhecia, não, este "Seringador". Realmente, pelo que dizes, deve ser muito mais interessante do que o "Borda d'Água".
Bom Ano, então! E boa poesia, ao teu jeito!

lino disse...

E onde se encontra o Seringador na capital? Queria dedicar-me ao amanho de nabais, que o nabo é que está a dar.
Abraço

heretico disse...

Lino,

tens toda a razão, meu caro. sobra em nabos, na Capital, o que falta em seringadores...

abraço

um Ar de disse...

Um bom ano para ti, também!
.
Não deixo de te ler, na prosa dos dias, ou nos dias de poesia... sempre, com prazer!
.
[Beijo...@]

jawaa disse...

Bem-vindo, Seringador de quem nunca ouvi falar!
É uma delícia este teu escrito.
Bom ano e vou passando, a ver o que «seringas»...
Um abraço

maré disse...

foi o "horóscopo" que norteou tantas e tantas vezes o semear a terra, o fazer a colheita...

e como dizes pretexto para grandes discussões que se chamavam de luz, porque essas coisas da filosofia era conceito desconhecido em casa de gente da terra...

____ há tantos anos que não re.vejo um destes jornalinhos fantásticos


:

um beijo

Nilson Barcelli disse...

Já há muitos anos que não ponho a vista em cima do Seringador nem do Borda d'Água, revistas "especializadas" que chegavam sempre lá a casa, a par do almanaque das missões, muito úteis para quem precisava de previsões e conselhos para a agricultura... para além das anedotas...
Continuas com a mesma linha redactorial, pelo que percebi. Continuarei a seguir-te com atenção, portanto.
Boa semana, abraço.

jrd disse...

Que venham os texpos importunos. Cá os esperamos.
Um abraço

gabriela rocha martins disse...

troco o teu Seringador pelo meu Borda d'Água ,vai?


e à laia de votos de recomeço de novo ano ,um 2010 ainda mais criativo ,se possível



.
um beijo

Maria Valadas disse...

Muito interessantes as tuas crónicas.
Apesar de ter nascido na provincia, nunca ouvi falar do Seringador.

Mas, fico aguardando as tuas seringadelas... e claro está um poema de vez em quando.

Bom ano de 2010.

Beijo meu!

© Piedade Araújo Sol disse...

tem graça mas eu até que vou andar por aqui a seringar...

um bom ano de 2010.

um beij

MagyMay disse...

Venha daí um 2010 seringado a preceito... que é como quem diz, ao teu jeito!

Um beijo e um abraço

São disse...

Esperando as ruas apreciadas seringadelas, fico.

O Borda de àgua conheço desde pequena, este Seringador só agora tive conhecimento da sua existência: mas mais vale tarde que nunca, rrss

Feliz ano novo.

mundo azul disse...

________________________________


Obrigada, pela ótima leitura!


Beijos de luz e o meu sincero desejo de um 2010 maravilhoso!

___________________________________

alice disse...

já tenho comprado o borda d'água, mas o seringador não conheci... de qualquer forma, votos de um bom ano! beijinho.

maria manuel disse...

já vi ambos os títulos, mas nunca li nenhum...

isabel victor disse...

seringando se vai ao longe ...

()






votos de 365 bons dias










iv*

bettips disse...

Conheço os dois - ou não sorrisse amiúde quando leio "plantar os morangos, enxertar as vides", dia de São Cirilo - eu que de terra só me compraram um plano jazigo de família para onde não tenciono ir!
Esperamos - e sempre - o futuro da razão.
Abç de Ano Novo (ainda - e sempre)

Oliver Pickwick disse...

Seringador. É um termo curioso, não consta na maioria dos dicionários de português do Brasil. Encontrei-o apenas em um deles, o Dicionário Houaiss, que o define como indivíduo maçante, aborrecido. No sentido direto, suponho que é aquele que ou o que seringa. Mas confesso que jamais li ou ouvi qualquer menção a este termo.
Vivendo e aprendendo.
Um abraço e feliz 2010!