terça-feira, janeiro 26, 2010

Orçamento Sandwich

Apenas os néscios poderiam acreditar noutra saída. Estava escrito nas estrelas, que é como quem diz, nos desígnios alcatifados dos interesses do capital financeiro. O CDS e o PSD, que no último mandato de maioria absoluta do Eng. Sócrates, andaram a fingir ser oposição, não tiveram outro remédio, face a contrariedade da maioria relativa, senão colocar a mão por baixo do menino e apara-lhe as necessidades...

Teremos, pois, o Orçamento de Estado aprovado na Assembleia da República ...

Há quem diga, em versão sexy, que será um orçamento de Estado produto de uma “ménage à trois”. Mas, com franqueza, quando imagino as bochechas (salvo seja) do senhor ministro das Finanças a saltar, felizes e risonhas, em gravidade de Estado, ou o dentinho cavernoso do senhor ministro de Assuntos Parlamentares, em gulosa ascese, mais me parece que teremos um “orçamento sandoca”...

Aliás, será glorioso e imperdível o momento em que o Eng.º Sócrates irá entrar em cena, qual entremeadinha grelhada, ensandwichado entre o senhor Paulo Portas (das feiras) e Dona Ferreira Leite. Reconheçam que, com uns perdigotos de Belém à mistura, será espectáculo a não perder. A menos que a vossa alergia a coiratos (com perdão dos coiratos genuínos) não vos permita suporta-lhes o (mau) cheiro...

Como eu vos compreendo!...

Habituem-se, pois, à “sandoca”!... Já se sabia que, em Portugal, mais de dois milhões de pessoas vivem abaixo do limiar de pobreza, para quem uma refeição diária será um luxo. E destes, 700 mil são assalariados e outros tantos serão pensionistas e reformados, o que demonstra, à exaustão, que os problemas maiores do país são a falta de trabalho, os baixos salários e as baixas reformas.

Agora as dificuldades irão aumentar e, com este orçamento, irão “subir”, ainda mais, à dita classe média, numa tendência geral de proletarização da sociedade e de concentração da riqueza nuns quantos.

No entanto, em Portugal, como no resto do Mundo, a crise tem causas e responsáveis. E entre estes, para além dos casos de gestão danosa, manipulação financeira e outros crimes, sob a alçada de Justiça, estão aqueles que, do lado da civitas, dão corpo a políticas enfeudadas aos grupos económicos e financeiros dominantes e que tem expressão essencial no orçamento de Estado, ora acordado entre os partidos de direita e PS/Sócrates.

Porém, como sustenta a Organização Internacional do Trabalho aqui, a saída da crise exige ruptura com políticas de fundamentalismo financeiro, a valorização do trabalho e a dignificação dos trabalhadores, bem como o estímulo à economia produtiva.

Mais do que por vagos moralismos ou considerações ideológicas, portanto, esta mudança de rumo nas orientações políticas como fundamento de superação da actual crise, impõe-se por razões estritamente económicas.

Fosse Marx mais lido e saber-se-ia que as crises do capitalismo são fundamentalmente crises de sobreprodução “em relação à capacidade de consumo solvente”, quer dizer, em relação à capacidade de pagamento de que a população dispõe.

De facto, na sua “contradição insanável”, o capitalismo desenvolve exponencialmente a capacidade produtiva, mas com a apropriação desenfreada da mais valia e a permanente acumulação de capital provoca, por outro lado, a pauperização crescente da sociedade.

Ora, quando a pretexto de resolver a crise, se agravam os problemas do emprego e se esmagam salários os trabalhadores para aumentar lucros ilegítimos, diminuindo assim o tal “consumo solvente”, é mais que certo que, com o novo orçamento de Estado, novas e mais graves crises virão em futuro próximo.

“Habituem-se”, portanto, como diz o outro...

Ou apeiem-nos!...

20 comentários:

Maria disse...

Será aprovado. Democraticamente aprovado. Para quem ainda diz que o ps é um partido de esquerda é só ver onde ele se encostou assim que foi preciso. Democraticamente encostado, claro.
(Apeá-los não seria má ideia...)
A luta continua!

Beijos e beijos

isabel victor disse...

"tendência geral de proletarização da sociedade e de concentração da riqueza nuns quantos."


Pois ... a História repete-se. E o desemprego é um flagelo. Um mal maior !


(deixo um Bj de boa noite e retribuo a visita)


Volte sempre ... pendularmente

Isabel disse...

o pão da fome.





beijo.



(imf)

© Piedade Araújo Sol disse...

pois é!

um poste muito pertinente e real.

um beij

São disse...

E viva a hipocrisia!

E viva a nossa brandura de costumes, já agora...

Fica bem.

Licínia Quitério disse...

Era de esperar que o pacto se concretizasse, não vão desagradar às agências de rating que ainda há bem pouco tempo louvavam o sucesso das economias da Irlanda e da Finlândia. Logo, logo foi o que se viu. E agora nós cá estamos para pagar o tributo da incompetência e da submissão. Até quando? Isto está a demorar tanto tempo, digo eu que venho do fundo de outro tempo.

Um grande abraço.

lino disse...

E os votos continuarão a dançar entre o muito mau e o péssimo. Há muito proleta que gosta de continuar na sarjeta.
Abraço

alice disse...

apetece-me aqui escrever que temos os governantes mais feios do mundo, mas não sei se seria mais inestético o meu comentário ou as bochechas do sr. ministro... :)

um grande beijinho pelo seu comentário de hoje, bem haja.

jrd disse...

Excelente.
Os "orçamentistas" precisavam de passar uns tempos a pão e água, mas o cidadão-eleitor Tuga, continua dar-lhes o presunto. É lamentável.
Abraços

Vieira Calado disse...

A gente vê que o PS é um partido
de direita.

Portanto, não espanta o casamento.

E a muito povo...

também não parece que espante...

a avaliar pela paz podre

que se vive...

Aí é que está o problema,

democraticamente

ámen!

Um forte abraço

~pi disse...

os comboios passam ao largo

nada que não estivesse...

... vaticinado,

nada que fuja às previsões de braudillard e doutros,

[ aplicado ao nosso jardim, nas suas particularidades e traduções...





beijo





~

Frioleiras disse...

pois..........e como diz Darwin, não será o mais esperto nem o mais inteligente que sobreviverá.... será o que mais se adaptar.............

bjnhs

Hereticozinho

José Augusto Nozes Pires disse...

PS-CDS, casamento do mesmo sexo. O Portas dos submarinos, pois claro. A madame do PSD que já nos fornicou quando foi ministra. O Santo Mercado parece que queria mais do mesmo. Esperam-se bravas lutas. Com o nosso contributo...
Abraço

Mel de Carvalho disse...

Caro Herético,

aqui está um claro exemplo de como, a "brincar", se pode colocar à mesa da "re[flexão]feição", para debate, temas tão importantes quanto este.

se
1) se agravam os problemas do emprego
2) se esmagam salários...

"novas crises virão em futuro próximo."

e disso, creio que não haverá dúvidas. Está mais que escrito nas estrelas. Até os mais néscios conseguem ver, caramba!!!


Um fraterno abraço
Mel

Chris disse...

Como se cozinham os da números da hipocrisia do que ainda chamamos democracia...
Parabéns pelo texto.
Um beijo
Chris

bettips disse...

Esta agora das agências dos ratings (medição dos ratos? dos que mais ratam?) foi uma merda de moda que pegou. Não consegui dizer doutra forma. Quanto a orçamentos à força até vejo MS num riso de bom senso consensual - ele que fez o primeiro governo contra-natura deste país após democracia. E a madama-sinistra que hipotecou fundos. E o economista de bombas de gasolina. Parece um café de bairro, aquela assembleia a quem pagamos (eu só paguei alguns mas comem todos).
Vamos indo, vamos resistindo enquanto a luta for pela justiça social.
Abç

Alvarez disse...

Amigo,

"Sem mais nem ontem..."

Um abraço,

Alvarez

jawaa disse...

Pois, meu amigo, eu estou farta de globalização, alguém tem de conduzir as massas, o problema é que o poder corrompe. E como corrompe!

É claro comno água que o barco vai mal, mas o que me assusta é que também estamos num barco maior que anda completamente à deriva. O que dizes da constatação da gripe que não era coisa nenhuma e gastou milhões ao erário público numa mentira que todos - os informados - sabiam desde o início que existia?

Eles comem todos, eles comem tudo, que lhes interessa quem passa fome?
E quem tem fome, o que faz para arranjar o que comer? Pede.
«Sou lúcido. M.!»

Graça Pimentel disse...

Sábias palavras. Está tudo dito.

beijinho

Maria P. disse...

Sempre assertivo!:)

Beijos*