quinta-feira, julho 15, 2010

Que os homens sejam chama!...

Agora a montanha é seca e sobre a urze
A brisa é pasto. Fogo que se desenha
No canto da cigarra...

Apenas o milhafre se atreve
Na garganta. E as rasteiras sardaniscas
No alvoroço dos passos...

Talvez a urdidura da pedra
Seja lacrau doirado em sua dor e seu feitiço
Ou apenas o tempo desafiante
A mordedura do sol...

E olhos de água sejam aluvião sonhado
E a águia se erga...

E os homens sejam chama!...

15 comentários:

São disse...

...e as mulheres também!

Gostei, mesmo.
Abraço grande.

hfm disse...

Belo!

lino disse...

Lindíssimo.
Abraço

Maria disse...

Belíssimo!
Sabes que gosto de pedras?

Beijos.

jrd disse...

Agreste! Belíssimo!
Abraço

Rogério Pereira disse...

e os homens sejam chama
eterna, firme e quente
longe de qualquer extinção

Desculpe, apropriei-me do seu poema e dei-lhe um final heróico!
(acho que a Humanidade precisa...)

casa de passe disse...

A minha pobre cultura de leitor do Reader's Digest não me permite estar à altura de certas escritas. No entanto, deixe-me que lhe diga: Gostei muito.

E que o homem seja chama que queime a erva daninha.


Ernesto, o avô

maré disse...

talvez os homens se ergam
com uma bússola de espanto
para que a esperança se acenda.


___

é bom regressar e encontrar mastros sobre a água

Luana disse...

Passando para conhecer seu blog e fiquei muito contente!
___um beijo
Luana

alice disse...

sabe que ainda ontem pensei que a vida é como uma chama acesa só durante algum tempo... e ninguém sabe o tamanho do pavio... um grande beijinho, heretico.

© Piedade Araújo Sol disse...

de vez em quando sai um poema...e sempre muito bom.

beijinho

Maria Valadas disse...

De regresso às visitas dos meus blogues de eleição ( sinto-me em falta, porque, deveria ser a primeira a comentar), e este é um deles.

Fiquei fascinada com este poema, e... deveria escrever muitos mais.

Um bom poeta, não pode guardar a chama da sua escrita.

Beijo.

Maria

Virgínia do Carmo disse...

Talvez se acendam as almas...

Abraço

maria manuel disse...

excelente poema! com uma mensagem de esperança, apesar de tudo. urge, essa "chama".

um abraço.

Licínia Quitério disse...

Hão-de ser. Chama e água.

Lindo!