quinta-feira, janeiro 06, 2011

"INDIGNEZ, VOUS"!...



Stephane Hessel nasceu em Berlim a 20 de Outubro de 1917. Apesar de ter nascido na Alemanha, Stephane Hessel obteve a nacionalidade francesa em 1937. Combatente da resistência, foi prisioneiro de guerra num campo de concentração nazi, do qual se evadiu.

É diplomata, embaixador de França e foi agente do Bureau Central de Renseignements et d'Action (o serviço de inteligência francês). Trabalhou com De Gaulle na resistência e no após da guerra, sendo, porém, Pierre Mendès France e seu governo de “unidade de esquerda” o político que mais admira.   
Em 1948, participou na elaboração da Declaração Universal dos Direitos do Homem.
Publicou, recentemente, uma pequena brochura com o impressivo título “Indignez, Vous!” e que constitui um libelo acusatório ao actual “estado das coisas” em França, na Europa e no Mundo.

Apela Stefane Hessel aos cidadãos, sobretudo os jovens, para que expressem a sua indignação contra as ameaças presentes de retrocesso social e as desigualdades que afectam hoje a humanidade e o Mundo e que, em sua perspectiva, justificam uma verdadeira insurreição, pacifica embora.
Não consta que o livrinho, um verdadeiro best seller em França, tenha sido publicado em Portugal, nem sequer merecido, tanto quanto se sabe, a mais leve referência pelo mainstream cultural, certamente, mais empenhados, uns e outros, em temas mais light.
E, naturalmente, em subserviente atenção ao que se publica, em inglês, no outro lado do Atlântico…

13 comentários:

lino disse...

Preferem a Margarida Rebelo Pinto e os livros da Palin.
Abraço

jrd disse...

Oui, Je suis trés indigné.
Amitiés

rouxinol de Bernardim disse...

«J'accuse!», noutro tom, por outras motivações...

Actual e pertinente este post...

Cristina Fernandes disse...

Uma história e ser lida por alguns e relida por outros. Um abraço grande e um excelente ano!
Chris

C Valente disse...

Há situações que não se entende
Saudações amigas e bom ano

Rogério Pereira disse...

Há uns anos, penduramos a memória e a inteligência numa árvore da natal que nunca chegamos a desmontar... E passa mais um dia de reis sem que o tenhamos feito...

Mel de Carvalho disse...

Somos um povo que já se não indigna ... tristemente.
Melhores dias virão, espero.
Fraterno abraço
Mel

SILÊNCIO CULPADO disse...

Querido Amigo
Temos o dever de nos indignar. Não apenas pacificamente mas activamente.
Nos últimos 10 anos o número de pessoas em carência extrema subiu a um ritmo de 3 milhões/ano.
Os 500 mais ricos do mundo consomem recursos equivalentes aos de 46 milhões dos mais pobres.
Em Portugal mais de 1 milhão de idosos vive com menos de 300 euros. Somos o 2º. País da Europa (Letónia é o 1º.) com maiores desigualdades sociais.
Em tempo de crise e de desemprego em 2010 subiram em Portugal as aquisições de carro de luxo.
Bem, vou parar por aqui porque caso contrário não páro.
Voltei à blogosfera para gerir o meu Silêncio Culpado colectivamente tal como estou a fazer com a Página Comunitária O CHÃO E A VIDA.
Voltei para me indignar e para reunir indignações.

Abraço apertado e saudoso.

C Valente disse...

Saudações amigas

. intemporal . disse...

.

.

. é o que [não] temos .

.

. neste país onde a praça da ribeira é por ora em S. Bento .

.

. beijo meu . sempre .

.

Graça Pimentel disse...

O povo português gosta de refilar com os amigos. Mas agir... não é com ele.
Um povo que se ajudou a comer, a sofrer e a não fazer nada.
Se o futuro de Portugal é preto, o da Europa é cinzento escuro mas quase todos continuam a confiar nela.
Adorava ler esse livro.

beijos

São disse...

É o "J ´accuse" actual. Quanto à mediocridade intelectual portuguesa, enfim...

Beijo

Claudia disse...

Acho impressionante o "impressivo". Tirando esse pormenor, o panfleto exmplar de Stéphane Hessel é de louvar.