sexta-feira, julho 08, 2011

A COR DO SONHO...







Colhe o poeta a cor do sonho na paleta
Com as nuvens sobre a esfera onírica porém presa
E na nesga rasgada sem saber se sai ou entra
O mar ao longe...

Advinham-se corpos irreais em transparência
Reclinados sobre colchas sem memória
Como sombras pressentidas na luz imensa
Que o dia clama...

Talvez crianças caprichosas ou velhos faunos
Desfaçam a cortina ou a subtil brisa os descubra
Desnudados e sem culpa ou sem remorsos
Bárbaros e puros...

Talvez deste lado da paisagem onde beijos correm
Como ondas e os dedos do poeta se deslaçam
O azul capriche no tempo breve e em suave tarde
Os corpos reinem...






18 comentários:

VÉU DE MAYA disse...

"Detém-te ó momento"...Lindo de viver.

abraços,

Véu de maya

Virgínia do Carmo disse...

A paleta da poesia é mágica. Infinita. Inviolável.
E o poema é imenso.

Um abraço

hfm disse...

Gostei de percorrer a melodia e as palavras construtoras de imagens. Belíssimo!

jrd disse...

E o pintor adivinhou o poema...
Um abraço

N. Barcelli disse...

Talvez...
Mas o poema é uma excelente certeza.
Gostei, pois claro.
Caro amigo, bom fim de semana.
Abraço.

lino disse...

Por enquanto os sonhos ainda não pagam impostos, mas lá chegaremos.
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

só os poetas conseguem pintar sonhos com palavras.

belissimo poema.

beij

Maria disse...

A cor do sonho é azul! E o teu poema é lindíssimo!

Beijos.

Teresa Durães disse...

é pintar um poema!

Rogério Pereira disse...

Talvez os corpos reinem
na cor do sonho da tua paleta

(tão necessária a palavra como a cor)

C Valente disse...

Poeta e pintor duas conjugações de beleza
Saudações amigas e boa semana

C Valente disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mixtu disse...

corpos
num vento de sentires barbaros e puros
abrazo serrano

Mel de Carvalho disse...

"Colhe o poeta a cor do sonho na paleta" é já pura poesia.

Gratidão pela partilha. Bem haja,
Fraterno abraço
Mel

um Ar de disse...

Continuo a gostar dos teus poemas... Muito!

:)
[Beijo...@]

Lis disse...

Me queria menos triste e mais sonhadora com sonhos assim coloridos na paleta
o que vejo são bocados de nada.
" que o sol capriche ..."
nos gestos , nas palavras e nas coisas impossíveis.

abraço

Fragmentos Culturais disse...

Poeta e pintor se unem na transcendência da alma que poisam...

Um beijo afectuoso
(sempre me encantas na tua 'paisagem' poética)

jawaa disse...

Talvez, talvez.

Um abraço