domingo, julho 24, 2011

Sonhar Marinheiros...


No arco do tempo
A quilha dos barcos fendendo as ondas
E o soprar das águas…

Ou a polpa dos dedos como setas a rasar
O frémito…

A curva azul abrindo o espaço
E o vórtice do sol a assombrar os olhos
Circulares.

Cópula da miragem sobre escombros
Ou o balanço do mar e as gáveas
Sonhando marinheiros…












13 comentários:

Rogério Pereira disse...

Sonhando
com quem sonha
o mesmo sonho de água
esperança e mágoa

São disse...

Que bom poder reencontrar a tua bela poesia...

Feliz semana

Lis disse...

Nesse cais aporta mais um suspiro e
que seja dias só de chegada
no sol do inverno brasileiro também mereço sonhar com o balanço do mar rs
bonito heretico bonito

lino disse...

Lindíssimo!
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

e neste cais aportou um poeta!
belissimo!
boa semana
beijo

Maria disse...

Soberbo! Sem mais palavras.

Beijos e beijos.

Mel de Carvalho disse...

A poesia que não carece de imagens - é plenamente.

Fraterno abraço
Mel

Graça Pires disse...

Marinheiros de nossos sonhos trazemos no olhar a nostalgia de outro céu...
Gosteei do poema.
Um beijo, amigo.

hfm disse...

Respirando nas águas circulares das tuas palavras.

MENSAGENS AO VENTO disse...

_____________________________


Seu poema... É um POEMA! Gostei demais...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

Zélia (Mundo Azul)

__________________________

AC disse...

Há formas de marinhagem que têm que ir para além do sonho. Urgentemente.

Abraço

Mar Arável disse...

Pelo sonho é que vamos

Abraço

VÉU DE MAYA disse...

A palavra poética no seu colo cristalino e puro.

abraços,

Véu de Maya