terça-feira, novembro 22, 2011

Com A GREVE GERAL, naturalmente...


Quando a dignidade, a justiça, a democracia e a soberania estão em causa, a luta de um povo e todos os sacrifícios se justificam. A situação financeira e económica dos trabalhadores e das suas famílias é dura, as pressões do desemprego, da precariedade e de alguns autoritarismos patronais são violentas.

A proposta de Orçamento de Estado para 2012 perspectiva um ciclo de austeridade, de recessão económica e deterioração orçamental que se irá prolongar, sem se saber ao certo quando poderá terminar.

As políticas que o Governo se propõe adoptar, assentam na recessão económica e tornam o agravamento do desemprego, a facilidade de despedir, o aumento dos horários de trabalho, a redução da retribuição do trabalho e os cortes com as prestações sociais, como factores estruturantes do empobrecimento dos portugueses.

Os trabalhadores da Administração Pública perdem, em média, em dois anos, cerca de 30% da sua retribuição. A proposta de aumento dos horários de trabalho em 2,5 horas semanais não remuneradas, tem é uma ignóbil medida que aprofunda a exploração do trabalho a níveis de escravatura.

Aceitar que tecnocratas ao serviço de credores e agiotas, se dêem ao desplante de virem ao nosso país afirmar na comunicação social as políticas que devemos seguir significa abdicarmos da nossa soberania. As suas sugestões de mais cortes na saúde, nas condições das autarquias e nos subsídios de férias e de Natal constituem autênticas provocações e permitem mais chantagens sobre os trabalhadores.

Para travar os perigos, para resistir com êxito e para ganhar os desafios do futuro é preciso que os trabalhadores e o povo não se conformem e intervenham com a sua luta e as suas propostas.

A Greve Geral é por direitos e condições de trabalho e por direitos sociais fundamentais mas, acima de tudo, por Portugal, contra o retrocesso social e civilizacional em curso e pelo futuro das jovens gerações.




 

5 comentários:

jrd disse...

Com a Greve geral. Mesmo longe.

Abraço

C Valente disse...

Viva a luta dos trabalhadores, A greve é só um principio, precisamos de mais.
Vamos todos aderir
saudações amigas

VÉU DE MAYA disse...

É preciso fazer tudo para salvar a soberania do nosso País e da nossa bandeira.Que o nosso governo esteja à altura das altas responsabilidades. Há limites que não se podem nem devem ultrapassar.Tem de haver o primado da política sobre a especulação financeira. A europa no seu conjunto tem de encontrar uma resposta firme e solidária.

abraço,

Véu de Maya

Jorge Castro (OrCa) disse...

Com a greve, pois. E cumprindo-a.

Vieira Calado disse...

Olá, como está?

Não fiquei muito satisfeito...

Desejo-lhe bom fim de semana.

Saudações poéticas