domingo, janeiro 01, 2012

LETRA A LETRA...


Letra a letra, António
Como quem atravessa o sobressalto
E leito rugoso do sentido…

A palavra não tem métrica. Nem máscara.
Apenas encena a dor e a fantasia
E o gesto redentor de quem soletra:
- Letra a letra!…

A escrita são teus passos
E o lastro que deixamos…

E também a pedra bruta que solta a chispa.
E o cinzel que a regista. E o fulgor
Dos dedos derramando a excessiva pauta
Da música que a sublima. Ou a subverte…

E todas as vezes que falhamos…

Fugaz o fogo da Palavra – é bom que saibas!
Cinza de montanhas ardidas na memória
Que somos dia a dia…

Por isso, letra a letra, António.
E a palavra certa! ...


17 comentários:

Maria disse...

Que pensará o António quando um dia, já homem, ler este poema que o avô lhe escreveu?

Beijo, avô ternurento.

jrd disse...

Belo e comovente.
E que letras o Avô lhe vai deixar.
Um neto feliz.

Abraços

© Piedade Araújo Sol disse...

muito sábio do avó babado.

um bom ano

beij

hfm disse...

Letra a letra contigo ele aprenderá. Belíssimo!

Mel de Carvalho disse...

É enorme, e enormemente belo, este poema.

Feliz o António, e em boa hora, por saber do amor dos que o rodeiam, ao caso o avô. Assim fora com todos os meninos do mundo e, por certo, um dia homens adultos, seriam bem melhores pessoas. E o Mundo seria, indubitavelmente, bem melhor.

Gratidão pela partilha
Mel

lino disse...

Vai, certamente, aprender com o avô a palavra certa!
Abraço

O Puma disse...

Tudo o que de melhor

desejo para o meu
Abraço

São disse...

O António vai ficar orgulhoso do poema que lhe dedicas, quando for adulto. DE certeza!

Bom ano para ti e para ele.

Canto da Boca disse...

António saberá que a letra A não é a letra primeira do alfabeto, mas a que inaugurou um mundo e ressignificou o amor, que também começa com A.
E saberá escrever belezas com as letras que aprenderá, também com o Avô!

Lindo poema!

Canto da Boca disse...

Será um prazer e uma honra, tê-lo em meu blogue, obrigada eu!

;)

bettips disse...

É muito belo
saber assim dos novos avós!
Um abraço grande, como a esperança
em olhos de criança.

Evanir disse...

Agradeço o carinho e cordialidade
que recebi nessa passagem de Ano.
Todas as palavras não
expressa meu carinho e gratidão.
Obrigada por tanta sensibilidade de coração
muito feliz venho agradecer.
Uma linda semana a primeira de 2012.
Beijos carinhos.
Evanir.

Jorge Castro (OrCa) disse...

Não sei que mais me encanta: se o amor de avô, se a arte de te saberes inspirar na vida que cresce a par com a tua...

Mas, seja como for, um belo poema resulta neste alvorecer de ano novo, para nosso deleite.

A partilha tem esta coisa magnífica: de súbito, fizeste de todos nós um pouco o avô que és. Belíssimo.

Um forte abraço.

Rosa Mattos disse...

Ia perguntar ser o poema uma dedicatória...mas pelos comentários já vi que sim. Achei tão bonito! Se eu recebesse palavras assim, certo que encheria os olhos de lágrimas.

Parabéns/! Um 2012 esplêndido*

~pi disse...

porque as palavras são podem se tão vãs como incontornáveis...

aprender a aprender. juntos, homem e menino, é lindo:-)






~

jawaa disse...

Venho em passos raros e por vezes encontro pérolas. Esta é uma delas.
Fico a desejar,não um Ano, mas muitos anos de cumplicidades entre estes dois homens meninos.
Que sejam eternos.

Um beijo

Graça Pimentel disse...

Quando li o poema não sabia que era um avô a escrever a um neto mas a sensação foi a de deixar uma herança. O que tem de melhor o ser avó(ô) é o poder transmitir o espólio que fomos colhendo ao longo da vida. E é tão bom! A mim delicia-me.

beijo