quarta-feira, janeiro 25, 2012

O PINTOR NA PAISAGEM...


Amolecem os dedos como pássaros
Em círculo de fios prisioneiros e o canto
Amarelecido…

Apenas o alvoroço da névoa e o azul breve
Mitigando o colapso da tarde
Sobre o Tejo …

Cacilheiros são os dias assim furtivos
Ida e volta como ondas sobre o cais
Desmaiadas e sem rumo que em eco
Desfalecem…

Mar de sargaços e de bruma.
Os olhos embargados
E sombra sobre a tela…






11 comentários:

Maria disse...

mas fluem-te as palavras entre os dedos. e hoje é dia de festejarmos as palavras. e os poetas, e a poesia.

Beijos.

M. disse...

Gosto muito. Uma pintura de palavras. Muito bonito.

Canto da Boca disse...

Ainda que um tanto melancólica, a paisagem sobre a tela, é belíssima!

;)

Rogério Pereira disse...

ESPELHO

Estoiram os dedos como asas
Em círculo de fios deles liberto e o canto
Em verde de esperança, que esvoaça…

(ainda hoje te perguntaram porque não publicas... o espelho que te ofereço é apenas a ilustrar réplicas que sugeres... É que sem poetas, não há poesia...)

hfm disse...

Belo e com um final soberbo!

Mel de Carvalho disse...

Na bruma dos dias são as palavras, luzentes guias das paisagens.

belo, muito belo.

bem-haja. abraço fraterno e amigo
Mel

quanto pesa o vento? disse...

e o meu ser amolece com estas tuas palavras.
viva a ti.
abraço.

lino disse...

Lindíssimo poema!
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

um olhar poético sobre o rio
O Tejo
sempre

gostei muito

um beij

jrd disse...

Mesmo assim poeta: Paisagem e deslumbramento...
Abraço

BlueShell disse...

Gostei desse azul...dessa tarde, desse Telo assim pintado...
um beijo
BS