sábado, fevereiro 11, 2012

"Não à exploração, às desigualdades e ao
 empobrecimento.

Outra política é possível e necessária..."

13 comentários:

Rogério Pereira disse...

Vi tantos tantos mil
que me lembrei de Abril

São disse...

O meu coração alegra-se com esta fotografia!!

Bons sonhos

Canto da Boca disse...

Nesse momento ouço, Maio Maduro Maio, passei o dia inteiro ouvindo o Zeca Afonso. Passei o dia de hoje (como tantos outros) emocionalmente ligada à Portugal!

Mesmo sendo fevreiro, eu canto:

"Qu'importa a fúria do mar
Que a voz não te esmoreça
Vamos lutar"

Beijo!

Maria disse...

Foi tão bonito!!!

BlueShell disse...

Oh, sim...sem dúvida! Apoio!

Olha, te agradeço a visita e as palavras...
Te abraço com amizade e carinho.
Obrigada
BS

Mel de Carvalho disse...

em absoluto. importa agir, não reagir. dizer que não e fazer acontecer um mundo mais justo mais atento ao outro.

bem-haja
Mel

jrd disse...

E o mar (de gente) foi dar ao rio.

Abraçpo

© Piedade Araújo Sol disse...

não estive lá, mas é como se estivesse...

um beij

Teresa Durães disse...

foi um sucesso!

Carlos Ramos disse...

É certo, mas não vai mudar, infelizmente as pessoas que o poderiam fazer são as que se aproveitam do sistema instituído. Nunca o irão mudar. Por outro lado, os cerca de 50% que votam abdicaram na sua maioria do exercicio da mudança.

Abraço

gina henrique disse...

Sem dúvida, que todos nos lembrámos de Abril e de Maio também, aquelas manifestações que pelo seu simbolismo farão sempre parte das nossas memórias,infelizmente eu também acho que continuaremos a lutar contra uma muralha de aço não sei por quanto tempo mais !

heretico disse...

Gina,

a "coisa" está difícil, tens razão!

mas não podemos baixar os braços: o caminho faz-se a andar... ainda que de pequenos passos.

bem vinda.

jawaa disse...

Para mudar é preciso que todos queiram, que todos se empenhem de uma forma ou de outra. Enquanto metade do povo se demite dos seus direitos que pode o resto fazer?
(Bem digo eu que deixaram a alma pelos mares longe...)

Não somos responsáveis, não responsabilizamos aqueles em quem depositámos confiança para governarem o nosso dinheiro, não usamos os nosso direito de voto.
Assim isto não anda!

Abraço