sexta-feira, maio 11, 2012

INQUIETAÇÃO DAS PÁLPEBRAS...


Sob a inquietação das pálpebras germina a dor
E a surpresa...

Nada que os olhos não saibam...

Por isso se fixam no azul como refúgio
E se alargam ao horizonte cálido da solidão
De outros olhos – peregrinos que sejam!

Há sempre uma gota desalinhada
No orvalho das manhãs
E uma promessa disfarçada
Em cada gesto de bebê-la...


Assim meus lábios a sorvam
E meus cuidados a vejam...

"Movimeno Circular" - B. Sassetti












12 comentários:

São disse...

A solidão habota-nos sempre...nada a fazer!

Mas do poema, gostei.


Fica bem

Gisa disse...

Orvalhos matinais, a possibilidade de ver algum arco-íris no frescor da manhã.
Um grande bj querido amigo

Rogério Pereira disse...

"Nada que os olhos não saibam..."

Se o olhar falasse
a outro olhar que se não calasse

A promessa não se dava
disfarçada
e a solidão era nada

jrd disse...

Uma gota. Uma lágrima por Bernardo.

alice macedo campos disse...

sentimento de luto neste dia triste para portugal... um abraço, herético*

lino disse...

Uma bela homenagem ao Bernardo!
Abraço

ღα૨gѳђ ખ૯૨ท૯૮ઝܟ disse...

Às vezes, o olhar se distancia como se quisesse alcançar o que já não está mais ao alcance das mãos da alma....


Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

uma belíssima homenagem ao Bernardo, o músico que buscava o silêncio.

um poema muito sentido.

um bom fim de semana

beij

VÉU DE MAYA disse...

coerência, inquietação e talento musical em sintonia neste belo poema do B. Sassetti...que descanse em paz e que pelo menos as suas criaços musicais não sejam esquecidas. Obrigado por compartilhares este poema profundo que não conhecia.

Abraço,

Véu de Maya

VÉU DE MAYA disse...

corrijo:

E que as suas criações musicais não sejam esquecidas.

C Valente disse...

Um artista (poeta, compositor, musico) não morre, simplesmente ausenta-se deixando as suas mensagens
Que descanse em paz Sassetti
Saudações amigas

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Hereticamigo

Aqui cheguei por via do nosso AC, e que bom o ter feito.

Bernardo Sassetti teve que ser um Homem Bom. Raras vezes, neste desgraçado País, tantos se unem no dizer bem dele. Isso diz tudo.

Esta ideia de o teres trazido aqui é singular - e excelente. De tudo o que sei dele, de tudo o que li, ouvi e vi, fico com uma pena imensa: não o ter conhecido pessoalmente.

É tudo, ou melhor, é nada.

Queres ir até à TRAVESSA? Obrigado

Abç