quarta-feira, setembro 19, 2012

MARIA TERESA HORTA...


 


"Sou uma mulher de esquerda"...
 
"Sempre fui uma mulher coerente; as minhas ideias e aquilo que eu faço têm uma coerência", salientou a escritora que acrescentou: "Sou uma mulher de esquerda, sempre fui, sempre lutei pela liberdade e pelos direitos dos trabalhadores".
 
Para Maria Teresa Horta, "o primeiro-ministro está determinado a destruir tudo aquilo que conquistámos com o 25 de Abril [de 1974] e as grandes vítimas têm sido até agora os trabalhadores, os assalariados, a juventude que ele manda emigrar calmamente, como se isso fosse natural".
 
A autora afirmou que "o país está a entrar em níveis de pobreza quase idênticos aos das décadas de 1940 e 1950 e, na realidade, é ele [Passos Coelho], e o seu Governo, os grandes mentores e executores de tudo isto".
 
"Não recuso o prémio que me enche de orgulho e satisfação, recuso recebê-lo das mãos do primeiro-ministro", deixou claro Maria Teresa Horta . AQUI
 
 
“Foste o meu passado
E serás meu futuro
Mesmo quando o futuro
tiver acabado
 
O princípio e o termo
A luz e o escuro
 
Quando o fim do presente
Já tiver terminado...”  

 

14 comentários:

Luis lourenço disse...

Meu caro;

É honra receber este prémio. mas neste contexto não deixa de ser um acto de coerência admirável recusar a sua entrega das mãos de quem desvaloriza assim os valores do trabalho com a alegação duma inevitabilidade que nem os patrões acham correcta . Mea culpa por conhecer mal a obra de Maria Teresa Horta.

Grande abraço,

Véu de Maya

São disse...

Maria Teresa continua Maria Teresa e, nos tempos que correm já isso é admirável.

Fica bem.

Mar Arável disse...

Ainda há MARIAS

jrd disse...

Aqui está uma Mulher de corpo inteiro.

Abraço

Lídia Borges disse...


Uma atitude a confirmar os ideais de uma vida.

Lídia

Carlos Ramos disse...

Foi de uma imensa dignidade esta grande mulher, fossem mais as vozes e estivessem mais atentas, e talvez pudesse receber o prémio de mãos mais limpas.

Abraço

lino disse...

Grande Mulher!
Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

Mulher com M grande.

beij

jorge esteves disse...

Mulher!...
PRESENTE!

abraço.

maceta disse...

quando ouvi a notícia fiquei contente, ainda há gente que não se vende...

C Valente disse...

Coisa rara hoje em dia Pessoas com verticalidade nas suas convicções
Saudações amigas

Jorge Castro (OrCa) disse...

Isto de se ser gente é coisa que, sendo-nos intínseca, anda arredia de algumas cabeças.
Esta Maria (com enorme maiúscula) nunca perde isso de vista... e é gente a toda a hora! Gente grande!

A propósito, afinal ele há tanta gente, ainda... Basta olhar para o 15 de Setembro: gente por todo o lado!

Grande abraço.

jawaa disse...

Maria Teresa Horta foi sempre uma mulher sem medo.
MULHER de verdade. Obrigada por a trazeres aqui.
Um beijo por isso.

Licínia Quitério disse...

E até agora ainda não lhe entregaram o prémio. Grande Mulher para tão mesquinha gente.