terça-feira, novembro 27, 2012

FLORES EM TEU REGAÇO?...


Vicejam flores em teu regaço?
Espalha-as em qualquer terreiro ou tece grinaldas
Na fronte curvada dos vencidos...
 
Como o perfume das rosas
Derramado nos espinhos...
 
Coroa que se rasga em dor no corpo insano...
 
E de permeio...
 
Colhe apenas a diferença subtil da perda
(ou daquele ganho) – que a hora passa!
 
Agora...

12 comentários:

quem és, que fazes aqui? disse...


Sabe? Gosto!

Beijo

Laura

São disse...

Agora!

Esperemos que sim.

Um abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

agora!

a urgência das flores no regaço (ou não).

;)

Maria disse...

Agora! Já!
Muito belo!

Beijos.

Rogério Pereira disse...

"Como o perfume das rosas
Derramado nos espinhos..."

Gostava de ter sido eu a escrever isto... :)

jrd disse...

Espinhos perfumados são como pétalas à flor da pele.

Abraço

lis disse...

Há sempre mais ternura quando falamos em flores,
e quando as vemos germinar é hora de 'tecer grinaldas' _
ganha o jardineiro que sabe manusear 'as sutis diferenças' entre rosas e espinhos.
e faz-se a hora,heretico

Lídia Borges disse...


Não há vencedores nesta "guerra". Somos todos vencidos.

"Agora..." É urgente despir essa "coroa que se rasga em dor no corpo insano..."

Abraço

Mel de Carvalho disse...

concordo com a Lídia - nesta guerra somos todos vencidos. é um país a caminhar para o abismo, e, nem mesmo Santa Isabel se cá voltasse teria regaço suficiente para matar a fome que se instalou e a que se adivinha - um caudal, na vontade de quem nos (des)governa, a engrossar cada dia mais.

fraterno abraço
Mel

Miosotis disse...

Suave, embrenhado de forte desalento...

Um beijo, 'Herético'

Fragmentos Culturais disse...

Onde tu me encantas...

Beijo,

O Puma disse...

Hoje não comento

faleceu o Joaquim Benite