sexta-feira, dezembro 14, 2012

Como É Bom Ter Um Português em Bruxelas...

 
 
 
 
Uma proposta de Directiva da União Europeia relativa aos contractos públicos, em apreciação no Parlamento Europeu, constitui um capcioso artifício para nova investida contra o chamado “modelo social europeu” e a consequente regressão democrática e social.
A explícita intenção de liberalizar e privatizar a segurança social pública vem escondida no Anexo XVI da proposta de directiva em referência, que faz a listagem dos serviços públicos que passam a ser sujeitos às regras da concorrência e dos mercados e de cuja listagem constam:
- Serviços de saúde e serviços sociais
- Serviços administrativos nas áreas da educação, da saúde e da cultura
- Serviços relacionados com a segurança social obrigatória
- Serviços relacionados com as prestações sociais
 Preto no branco temos, portanto, a imposição vinculativa, em forma de Directiva Comunitária, que o direito interno Estados comunitários irá obrigatoriamente a absorver, a privatização da segurança social pública, a par dos serviços de saúde e outros serviços sociais assegurados pelo Estado.
Um propósito antigo e alvo apetecido do capital financeiro em Portugal e no espaço europeu, que agora entrou em processo legislativo, por impulso da Comissão Europeia e a presidência de Durão Barroso.
Numa vergonhosa golpaça, lembrando velhos tempos do MRPP, escondida num anexo de uma directiva comunitária sobre contratação pública qur, a ser aprovada no Parlamento Europeu, deixará escancarada a porta para a privatização da segurança social pública e outros serviços públicos do denominado Estado Social.
Com total cobertura jurídica da legislação comunitária...
O golpe – insiste-se - surge, sob o alto patrocínio de Durão Barroso que, como sabemos, além de se ter pisgado do governo português com a casa a arder, tem no seu glorioso currículo o papel de mordomo das Lajes na guerra do Iraque e, agora em Bruxelas, faz de tabelião e promotor dos poderosos interesses financeiros, que sufocam os povos europeus.~
Entretanto, cá pelo burgo, para antecipar méritos e apresentar serviço, afincadamente, se procura a “refundação do Estado”...
Como é bom ter um português em Bruxelas!...

9 comentários:

São disse...

Principalmente quando nos foi dito que um dos motivos que o levou a abandonar o cargo de Primeiro-Ministro, que o próprio acha que desempenhou muito bem, era defender os interesses do país!

Pois só temos o que merecemos, penas seja que estas políticas obscenas não atijam só quem votou neste em crituras semelhantes!

Bom final de semana

Mel de Carvalho disse...

triste país, este, que se vende por "tuta e meia" aos designios mercantilistas destas pseudo-elites...

a coberto da legsilação comunitária, sem dúvida. à custa da fome que graça, sem dó, sem piedade, transversal a todos nós, novos e menos novos. crianças, inclusivé; o estado social, verdadeiramente posto em causa. o futuro hipotecado, para as gerações vindouras!!!


excelente post. obrigada, sempre

Mel

lino disse...

Um português em Bruxelas com uma sinecura vitalícia superior a 20 salários mínimos nacionais, sem qualquer contribuição para o efeito!
Abraço

O Puma disse...

saíu cobarde

vive a soldo

e o país sangra

quem és, que fazes aqui? disse...


A visão que tenho do País é de um peixe fora de água, abrindo a boca na agonia da morte.

Beijo

Laura

jrd disse...

Não te esqueças que o homem começou no "delito comum" quando tentou roubar a mobília da Faculdade de Direito, para equipara a sede do mrpp.
É mais um caso de delinquência contumaz, agora internacionalizada.

Abraço

maceta disse...

que jeito deu este mordomo à UE ...

© Piedade Araújo Sol disse...

eu não sei não.

tou fora!

bom domingo

beijo

jawaa disse...


Com o belo currículo que detém, todo se aperaltou para ir receber o prémio Nobel... não é um português qualquer!