terça-feira, janeiro 29, 2013

NOTÍCIAS DE BABILÓNIA - 6

 
Havia em Babilónia um estranho filósofo – não falava do Bem e do Mal, ensinava a difícil arte de pensar...

Com ele, cedo os babilónicos compreenderam que o barro que amassavam não lhes pertencia...

Decidiram então amassar o futuro, como amassavam o barro – com alegria e trabalho!

Sem Magos, nem Profetas, Hammurabi, o legislador, tremeu e inventou a glória dos mercados...
...................................
Como um “espectro”, sobre Babilónia tomba a sombra do “velho” filósofo...

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Não sei o que fazer
Caro poeta
Com este pedaço de barro
Que me resta

Que tal uma bandeira?

Mar Arável disse...

Sem muros nem ameias

Venceremos

Lídia Borges disse...

"Decidiram então amassar o futuro, como amassavam o barro – com alegria e trabalho!"

Onde? O nosso barro...


Lídia

heretico disse...

na Babilónia, na Babilónia...

onde mais poderia ser, amiga?

quem és, que fazes aqui? disse...

heretico, posso dar uma sugestão e fazer um pedido ao Rogério, posso?

Obrigada!

Em vez de fazer uma bandeira escreva ABRIL, com o barro que lhe resta. E, como o seu barro é em maior quantidade que o meu, deixe, Rogério, que seja eu a pôr a pinta no ' i' . Deixa?

Beijinhos para ambos


Laura

Maria João Brito de Sousa disse...

Também eu! Uso frequentemente essa analogia do barro, em relação aos meus poemas... e é verdade!


Abraço!

Mel de Carvalho disse...

...quanta verdade existe nestas notícias da Babilónia. e o que dói constatá-las.

talvez, à semelhança do Marquês, tenhamos de, no barro que é nosso, firmar os pés, a bandeira, e, acima de tudo o mais, o orgulho MAIOR de sermos o povo que somos.

... e, de uma por todas, colocar ao largo, numa barca sem fundo, quem nos teima em afundar!


fraterno abraço
Mel