domingo, janeiro 27, 2013

PAISAGEM VERDE...

Para o Rogério, meu irmão e meu amigo

 
De amor e guerra são as palavras que soltamos
Como quem o húmus afeiçoa
Bem sabendo ser escassa a terra arável
E que em inóspitos fraguedos semeamos...
 
Habita-nos no entanto esta miragem
De exceder as circunstâncias
E em cada gesto pressentir o ressumar
Das colheitas no vermelho das espigas
Em maduros Maios do futuro...
 
E os punhos que agora se levantam
Serão então barcos e hinos
E o rosto dos homens a paisagem verde
Que ferve na força em que nos damos...

 

12 comentários:

Maria disse...

Muito bonito. Muito!!!!!
Beijos aos dois!

Rogério Pereira disse...

Minha Alma se comoveu, com o que leu
Eu também me comovi, com o que li
Meu Contrário, mais frio e resistente, disse: "guarda esses versos no olhar, junto da paisagem que se quer verde, até que o sonho vos aconteça"

É onde vai ficar guardado

Obrigado meu irmão e amigo

São disse...

Que os futuros e maduros Maios cheguem depressa!

Um grande abraço para ambos.

jrd disse...

Belo poema!
E é este verde que um dia vai amadurecer o Maio que partilhamos.

Abraço

quem és, que fazes aqui? disse...


Lindas palavras para o Rogério!

Se o Eu e a Alma dele se comoveram, confesso que eu e a minha também.

Precisamos de /que...

Beijo

Laura

lino disse...

Mais uma bela homenagem!
Abraço

Sandra Subtil disse...

Que lindo! Já tinha lido a segunda estrofe lá no Rogério. Uma merecida e belíssima homenagem.
beijinhos aos dois

Graça Pimentel disse...

Bonito poema.
É tão bom ter irmãos!

beijo

O Puma disse...

Um belíssimos abraço

encarnado

© Piedade Araújo Sol disse...

estão os dois de parabéns.

e maio está bem perto...

beijo

Lídia Borges disse...


De facto, este poema é...
Para guardar na caixinha das coisas mais belas em que vou tropeçando.

Um beijo

M. disse...

Reconfortante terem-se assim como irmãos e amigos.