sábado, abril 12, 2014

HÁ NESTA MEMÓRIA...


Há nesta memória uma inóspita dor. Subterrânea.
Ou talvez uma gravidez calada.
E um rastilho aberto (ainda não fogo).
E um murmúrio de água que se deslaça do interior da pedra
Antes da fonte. E os dedos de colhê-la.

Ou a sede que se pressente
Neste arfar. E no desalinho da cidade...

Há nesta espera um novelo
Que os olhos desfiam. Gota a gota...

E há um estio bravio. E uma inquietação que lampeja.
E uma dor que se faz canto e uma centelha
Que almeja. E o fio oculto da chama.
Ou um grito.

Há talvez um dia outro - que a memória se desprenda!...
Ou uma brisa. Que incendeia. Ou um mar. E gente
Sofrida que não cala.

Há talvez alamedas. Míticas e cheias.
E flores no cântico das armas.

Que então a pedra seja chama. E as praças sejam parto.
E os corpos se incendeiem.
E a água seja cântico.

E Abril seja límpido. E claro.
E a justiça viceje no rosto do meu Povo.
E na boca dos famintos...

Manuel Veiga
...............................................
25 de Abril, Sempre!...

Beijos e abraços.
Até breve...

 

25 comentários:

Graça Sampaio disse...

Muito belo! Muito conseguido! Como sempre, Poeta!

Um beijo de Abril.

Mar Arável disse...

Pássaros silvestres

famintos

do pão dividido
em liberdade

Abraço sempre

jrd disse...

Chegará o dia em que havemos de incendiar os corpos à beira do grito 25 de Abril, Sempre!

Grande Abraço Poeta

Rogerio G. V. Pereira disse...

Poema-bandeira
e hino
e prece

com sabor a memória do futuro

ॐ Shirley ॐ disse...

Adorei esse poema. Riqueza na construção e nas ideias de cada verso. Perfeito!
Beijos, heretico!!!

lis disse...

Belíssima visão constatada desejada e invocada no poema.
_ o poeta Manuel nada tem de heretico quando num 'arfar' desfia nao só o'desalinho',também as 'flores'.
Transcrevo um trecho comparativo, tão lindo quanto o que leio aqui.
Pra sintetizar:
"...o seu olhar, que é um farol erguido no alto de um promontório/
sai uma estrela voando nas trevas,/ tocando de esperança o coração dos homens de todas as latitudes/.
E os dias claros/ inundados de vida/perdem o brilho nos olhos do poeta/ que escreve poemas de revolta/ com tinta de sol na noite de angústia/ que pesa no mundo."
É isso heretico _ és um farol e usa as palavras brilhantemente.
Parabéns e até muito breve ( vou a Portugal)
fica meu abraço_ até aí.rs


Vieira Calado disse...

Gostei muito do poema.
E... 25 de Abril, sempre!
Um forte abraço!

Pérola disse...

Há, na certa, inspiração e palavras belas.

beijinhos

Maria disse...

Tão belo...
Tão verde-rubro de Abril!

Beijos.

AC disse...

25 de Abril, sempre!

Abraço

Jorge Castro (OrCa) disse...

Lá mais para baixo pareceu-me ouvir as fontes rumorosas... E eram, mesmo. De fontes, sim, se tratava!

Graça Pires disse...

Excepcional! Pressinto a dor e a sede e o desencanto. Mas quero a luz da Liberdade para sempre e que "Abril seja límpido. E claro.
E a justiça viceje no rosto do meu Povo. E na boca dos famintos..."
Um beijo, meu amigo e boa Páscoa.

MARILENE disse...

Forte e belo, como haveria de ser. A memória tem que evitar o silêncio porque sofrimento oculto não produz efeitos. E é sempre tempo de justiça. Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

incendiar as palavras e os cravos ganham nova cor...

muito bem!

:)

Anónimo disse...

Sabe-se lá quando a natureza das gentes explode como um poema?
Assim.
Oxalá!
Abç da bettips

Laços e Rendas de Nós disse...


Até Abril e num mesmo ABRIL!

Beijinho

Maria João Brito de Sousa disse...

Um poema que me levou direitinha a esse Abril futuro, bem presente à custa de tão imaginado ser, Heretico.


25 de Abril, sempre!!!


Sónia M. disse...

Do inicio ao fim, todo o poema nos enche de esperança...Excelente!

Bom fim de semana.
Páscoa feliz.
Beijo

Vieira Calado disse...

Abril, sempre!
Convido-o ver o meu vídeo Portugal 2014, no meu colectivo lagos, de acesso fácil a partia da barra lateral da minha poesia.
Um forte abraço!

Ana Tapadas disse...

Eu gosto tanto de lê-lo...é o meu íntimo que aqui projecto!

Beijo grande

Maria Emilia Moreira disse...

Que bem se canta Abril por estas bandas! Precisamos urgentemente de uma Nova Revolução. Necessitamos de fazer uma grande limpeza em S. Bento e em Belém...
Parabéns Poeta!

G- Souto disse...

Inspirado como sempre, 'Herético'... e inspirador.

Boa Páscoa !
Beijo

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Dias vermelhos, inspirados :-)

Feliz Páscoa !
Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

já comentei este poemas, mas gostei de o ver noutro palco.

:)

BeatriceMar disse...

Para assinalar este dia, levei este poema por empréstimo.
Espero que não se importe.
Beijinho