domingo, maio 18, 2014

POEMAS CATIVOS - CONVITE




 Manuel Veiga___________________

 apontamento. apenas.


quando o homem se respira intimamente respira-se na bainha da Poesia. seja grito denúncia anseio ou lástima.  é como levantar a pele do coração e deixar que as asas do verbo lancem luz no invisível.


assim faz Manuel Veiga. ao arrepio do facilitismo cómodo ou de um romantismo falsamente embrulhado no celofane das modas.


é uma poesia em taça de fé com conteúdo espiritual e de uma estética apurada.


enche - nos o peito impositivamente. as metáforas são introspectivas certeiras e feitas da matéria do mundo íntimo do Homem.


há uma ascese e um desejo de voo em quase toda a sua linguagem que ganha sentido a cada poema a cada imersão verbal e nos convoca ora à ruína ora ao prazer. como se um léxico novo lhe caísse na voz em culto e em mediação da palavra com o silêncio.


num tempo de arrivismos para.poéticos onde vale um certo insólito este livro é uma entrega ao tempo da verdade. afinal a grande musa de todos os sentidos.
______________________________
certamente que alguém se encontrará em cada poema. em cada envolvência. que é fora das amabilidades que somos legentes e participantes deste livro que é uma implosão de labaredas com Wagner a ser "maestro".


arrojo e sensibilidade. garra e lirismo.  virtudes e supurações bem sedimentadas.  espessura. e ritmo.


seguro este livro como um sinal, e agradeço o convite para ser olhar neste breve apontamento sobre o expressionismo de Manuel Veiga. o mítico metafísico é sempre um destino da poesia.  aqui presente”.


Isabel Mendes Ferreira


.............................................................................

BEM VINDOS TODOS AQUELES(AS)
QUE VIEREM POR BEM...

No próximo dia 24 - Sábado - pelas 18 horas - Biblioteca Municipal José Saramago - LOURES

Edição - "Poética Edições" - Virgínia do Carmo

Manuel Veiga


12 comentários:

Ana Tapadas disse...

Concordo inteiramente com a apresentação. Não o diria melhor!
É uma poesia de palavra inteira e madura.


Beijo

Mar Arável disse...

A minha amiga Isabel sempre
nas palavras inteiras

Lá estarei como sabes

Abraço

jrd disse...

Poeta, tu que me desafias a interiorizar a poesia.
Lá estarei para te agradecer.

Um abraço irmão

Rogerio G. V. Pereira disse...

...é meu fado, vou chegar atrasado... mas não falto

Luis lourenço disse...

Meu caro!

Que surpresa bonita!
Não podendo estar para te dar um abraço amigo e poético...sei que o conteúdo do teu livro de poemas só poder ser intenso e profundo. terei que o solicitar à Editora, a partir do lançamento para o ir lendo...embora não tenha o hábito de ler poetas, nem a mim próprio. O que se escreve morre no instante mesmo que perdure na luta da memória contra o esquecimento.

Deixo-te o meu forte abraço de aplauso e de parabéns,

Véu de Maya

heretico disse...

Meu caro, Luis Lourenço

grato pelas tuas amigas e amáveis palavras.

que vindas de um poeta maior como tu és, são especialmente gratificantes

compreendo que não possas estar presente, o que seria para mim um enorme prazer e um privilégio

forte abraço

Manuel Veiga

lis disse...

Nem imaginas o quanto lamento estar tão distante deste dia e nem imaginas também o prazer que será adquirir tão logo esteja disponível.
Sou fã ardorosa de ti, como poeta e como amigo ,
E parabenizo a Isabel Mendes Ferreira que tão bem soube escrever o que todos sentimos sobre a forma bonita que imprime nos teus poemas.
Parabéns e sucesso.
com abraços

Graça Sampaio disse...

Lindíssima, poeticamente bela e sentida a apresentação do livro. Completamente na linha dos poemas do autor.

Tenho pena de não poder estar lá. Mas sei que vais estar muito bem acompanhado e que tudo vai correr muito bem.

Beijinho.

Sónia M. disse...

Belíssima apresentação.
Na impossibilidade de estar, resta-me desejar o merecido sucesso.

Beijo

Maria Luisa Adães disse...

Não conheço, mas conheço Ana Tapadas e acredito nela.

Desejo todas as felicidades num mundo
em que a poesia morre lentamente...

Escrevo poemas e tenho livros publicados e um livro para ser lançado em Setº. ou Outº., isto porque gosto de escrever, mas sem esperanças, numa época voltada para os lados negativos onde a beleza
é negada, a quem tem o valor de a poder transmitir.

Lamento que seja verdade!

Desejo felicidades e para mim também,

Maria luísa "os7degraus"

AC disse...

O tempo disponível não tem sido muito, só agora vi.
PARABÉNS!
(Infelizmente não poderei estar presente. Nem é pela distância, é que o trabalho burocrático nas escolas começa entrou agora numa espiral frenética)

Abraço

Jorge Castro (OrCa) disse...

Como o tempo nos traz, de vez em quando, uma percepção mais nítida de que está vivo e nós com ele, assim um homem (poeta) considera ser este o tempo maior da partilha, para que outros de nós possam estar com ele.
Não se pode, então, fugir a estes destinos. Lá estarei, amigo.