sexta-feira, outubro 10, 2014

NOTÍCIAS DE BABILÓNIA LX



 Babilónia tem um Crânioe um Crato!...

Hammurabi, o legislador – outro Crânio!... – atribuiu,  não se sabe bem se ao Crânio do Crato, se ao Crato do Crânio  a tarefa de iniciar os jovens nas subtilezas do Ábaco...

Então o Crato do Crânio inventou o Caos... 

E a teoria da imponderabilidade – os professores são e não são e nunca se sabe onde estarão...

A Praça encolhe os ombros e murmura que o Crânio do Crato é uma mera cacofonia...
........................................................................................

E um velho fantasma, que se quer bem sepulto: “Para quê mais? Aos babilónios basta saber ler, escrever e contar (pelos dedos)...”








11 comentários:

Lídia Borges disse...



Há dias ouvi um ator conhecido, em entrevista, dizer que o ataque à Cultura parece ser uma ação concertada dos regimes capitalistas para melhor dominarem os povos, porque, segundo ele, essa era uma realidade que comum a muitos países. Não sei se corresponde à realidade. Sei que cá, na "Babilónia", é uma dolorosa evidência.

Lídia

Rogerio G. V. Pereira disse...

Meu amigo
"isto" tem de dar em livro

(acho que já te tinha dito)

Majo disse...

~
~ ~ Eles precisam da "classe média", uma classe que não é avaliada de acordo
com nenhum critério cultural, mas segundo os rendimentos auferidos.

~ ~ A classe media é a "burra de carga": é ela que paga todos os desvios, todas as
derrapagens, todas as fraudes, todas as corrupções e todas as mordomias.

~ ~ Ora, os professores pertencem a essa classe que contribui sem, sequer, pestanejar.

~ ~ Esta perseguição é mesmo mais do que burrice, é "ratice" do homem do ábaco que
tem cérebro menor do que o roedor que com ele rima.

~ ~ ~ ~ Um fim de semana agradável. ~ ~ ~ ~

Graça Pires disse...

O "velho fantasma" pensava assim e parece que estes novos fantasmas também pensam...
Um beijo, meu amigo.

jorge esteves disse...

A tragédia (que não é de opereta) é que ainda há memória da trave mestra do Estado Novo: a trilogia do Futebol, Fado e Fátima.
Apesar disso outra surge, de tal modo se mostra insidiosa que, hoje, apenas um encolher de ombros responde a cerca de 2500 horas de telenovelas (pelas três TV's repartidas, e que dá qualquer coisa como começar a 1 de Janeiro para só parar, sem interrupções, a 15 de Março), isto sem contar com casas de segredo, em festas, dias com Júlia e outros tantos. Depois os Cratos tatos, Portas que chiam, Passos que soalham todas as casas, outros que dão e não Cavaco. E os futebóis, claro, que resistem e fazem estafermos dos santos espíritos do Povo, que existe e parece que desiste.
Há-de chegar a altura de perceber a diferença:
do Povo, para o Povo e pelo Povo, está errado.
Terá de ser do Povo, para o Povo e pelo Povo!
abraço.

Helena disse...

Semelhante ao que ocorre por aqui: a política do pão e circo. Mas o pão, escasso; circo, a todo momento. Uma oportunidade agora de fazer alguma mudança... Mas o nosso Crânio do Crato está passando, mais uma vez, por uma lavagem cerebral.
Quanto "ao mestre, com carinho!" só mesmo quando os pais mandam pequenos mimos para homenageá-los no seu dia (por aqui comemorado no dia 15 de outubro), pois motivação para começar a mudança pela base é mínima (por vezes nenhuma).
Sorrisos e estrelas no teu domingo,
Helena

Ana Tapadas disse...

Sobre esta Notícia...escreveria uma tese...se pudesse e não temesse o regresso de tantos fantasmas...

bj

Teresa Durães disse...

Há duas formas de tornar um povo inculto: sonegar-lhe a informação ou dar-lhe a mais. Qual escolhe? Eu diria que é um equilíbrio bem conseguido que se desloca consoante a ocasião.

ॐ Shirley ॐ disse...

Alegremo-nos, "ainda" temos a liberdade de espernear...
Beijo, heretico!

O Puma disse...

Os fantasmas repetem-se

democraticamente
nas urnas

mas nem tudo é preto
inamovível
também por isso resistes
à canalha
Abraço poeta

G- Souto disse...

Não entendo o que se passa com o 'actual' Crato. Era um bom pedagogo, cabeça lúcida, equilibrada, homem da ciência.

Rodeia-se de incapazes ou de capazes... de o destruir? Tanta asneira em tão pouco tempo (?)

Vindo deste homem, não consigo entender...

Sempre muito bom visitar-te.
beijo