quarta-feira, junho 10, 2015

NOTÍCIAS DE BABILÓNIA LXVII


Babilónia é alfobre de “mitos urbanos” – Hammurabi dixit!...

Ele próprio, Hammurabi, o legislador, se encena em seus irrisórios mitos (que não outros, helás!...) – dizendo o que disse, para desdizer o que está dito...

Os babilónios agrilhoados, qual Sísifo à pedra, aguentam... aguentam... – erguendo, por vezes, o olhar ao pico da montanha...

A Praça, eufórica, celebra o pontapé da bola – que, prolífera, multiplica os mitos com pés de barro...
...............................

Um velho alfarrabista, mergulhado em livros antigos: “Mais vale o rosto solar dos heróis, que “eloquência muda” dos mitos...”

E exorta: “Babilónicos, rebentem as grilhetas e ousem a montanha...”       


10 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Um babilónio, sempre indeciso, não deixou de se interrogar se a tal montanha não parirá um rato e deixou-se, incrédulo, ficar quieto

Lídia Borges disse...



O "mito urbano"!... Acho que prefiro o mito rural.
Sempre há de ser menos poluído...

:)

Genny Xavier disse...

"rebentem as grilhetas e ousem a montanha..."
Exortação que muito me agrada.

Meu beijo.
Genny

Majo disse...

~~~
~ Os babilónicos andam estupidificados...

~~~~~~ Bj ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
.

Agostinho disse...

Enquanto isso
entretêm-se
com os mitos
de cortiça!

Arre!

Teresa Durães disse...

ousar a montanha não será pôr em causa a estagnação?

O Puma disse...

Por vezes há luz que renasce das sombras

Abraço sempre

CÉU disse...

A "Babilónia" está quase a cambiar, não de sítio, posto, mas de rosto.
É de alegrar, pke, como sabe, eu tenho uma paixão "imensaaaaaaaaaa" por Sir Tony. Cada palavra, por ele proferida, é como pétala de rosa, que suaviza os meus sentidos. A voz de "meu amor" é cálida, terna, motivadora, romântica e apaziguadora. "O amor é cego", pois eu sei, mas neste caso, não é o caso (que "ganda" redundância, mas ele merece).

Bom fim de semana, aliás, há muita gente k esta semana está ainda a fazer pontes, férias e aquedutos. E viva a "crise"! Eu fui trabalhar no feriado, sem remuneração, mas eu sou pobrezinha, sou serva da gleba, melhor escrevendo, mas sinto-me bem neste estrato social. Ele há coisas!

G- Souto disse...

... babilónicos descrentes de tudo...

beijo

Carmem Grinheiro disse...

Os babilónicos aguentam... mas aguentarão para sempre? Ainda acreditam piamente no antigo provérbio - ouvido da boca dos mais antigos - de que "o que não tem remédio, remediado está"...

abç amg e boa semana