sábado, dezembro 26, 2015

EM CADA NOME UM RASGAR DE ÁGUAS...


Fecundemos as palavras. E seus nexos.
Na decifração dos sinais que habitam
As coisas por dizer.

Em cada nome um rasgar de águas
Qual placenta. E o grito surdo do barro sob os dedos
Talhando o rumo por ora encoberto...

E deste lado onde o poeta se agita
A espera. E a palavra inominada. E a palavra outra.
A que demora. E a que em trânsito se liberta.

Amplexos são os movimentos inversos
Em que o Verbo se faz sarça.
E lume...

Assim o dia. E o bago em bocas pregoeiras.
E as emoções aladas em cascata de sentidos.

Manuel Veiga


15 comentários:

Laura Santos disse...

Só com "emoções aladas" se podem fecundar as palavras, sempre tão dependentes do sentido que lhes damos.
Belo poema!
xx

jrd disse...

Assim se desprende o poema.

Abraço fraterno

Suzete Brainer disse...

Todo o poema fonte cristalina de beleza e
um caminho genuíno de nascimentos e renascimentos
fecundados pelas palavras que habitam o espaço
não revelado, de "emoções aladas em cascatas de sentidos"...
Em que o Poeta colhe os significados da sua grandiosidade
inspirada: "A palavra inominada. E a que em trânsito
se liberta."

Esta tua trilha poética (sempre) magistral e bela
são essenciais aos apreciadores da grande arte
poética (literária)!!

Mar Arável disse...

Num fósforo
surpreendemos o corpo das palavras

e já é tanto

Abraço meu caro poeta

Janita disse...

Fecundar as palavras
dar-lhes vida num sopro,
é pura magia!

Parabéns, Poeta!

Um beijo.

Marta Vinhais disse...

E nasce o poema com uma simples palavra...
Lindo...
Beijos e abraços
Marta

hfm disse...

Obrigada e o melhor para 2016. Helena Monteiro

AC disse...

A eterna busca da palavra certa, que toque, que faça a diferença...
Muito bem, meu amigo!

Abraço

© Piedade Araújo Sol disse...

e o poema com palavras certas e simples.
gostei!
muito obrigada pelas visitas e comentários ao longo do ano.
desejo um bom ano de 2016.
um beijo
:)

Majo disse...

~~~
~ É fecunda a poética
que leva o vate à busca do termo belo e especial,
perfeitamente adequado ao que quer transmitir...

~ O mesmo não se passa
quando os autores colhem palavras como de lindas
flores se tratassem e dispõem-nas num poema, como
este fosse uma composição decorativa...

~ Torna-se Indispensável
o equilíbrio entre a mensagem e a perfeição formal,
qualidade essencial, que, com gosto, aqui encontro.


~ Para si, Poeta amigo,
muitos dias de imensa harmonia, luz e inspiração.
~~~ Beijo. ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

Luis Lourenço disse...

Meu caro herético.

vim cheirar o teu poema granítico

e deixar-te o meu abraço, com os votos De FELIZ ANO NOVO.

lis disse...

Palavras palavras e seus percursos...
variadas,elas são _ coloridas, desbotadas,perfumadas,rasgantes,férteis,sem nexo mas todas necessárias.E ,algumas perfeitas .
Como o poema do heretico.
Um Ano Bom vim desejar _com palavras e com afeto.

Ana Tapadas disse...

Quase uma bela prece na dança tão bela das palavras...

Um 2016 melhor!

bj

Agostinho disse...

"O Verbo se faz sarça", ardente,
incendiando possíveis "emoções
aladas", assim as queira a gente.
O poeta refina a cor das canções...

Um bom ano 2016.

mariam [Maria Martins] disse...

Maravilha! Feliz 2016! beijinhos :)