terça-feira, janeiro 05, 2016

ÁLVARO CAMPOS - "Dobrada à Moda do Porto..."


Um dia, num restaurante, fora do espaço e do tempo,
Serviram-me o amor como dobrada fria.
Disse delicadamente ao missionário da cozinha
Que a preferia quente,
Que a dobrada (e era à moda do Porto) nunca se come fria.

Impacientaram-se comigo.
Nunca se pode ter razão, nem num restaurante.
Não comi, não pedi outra coisa, paguei a conta,
E vim passear para toda a rua.

Quem sabe o que isto quer dizer?
Eu não sei, e foi comigo...

(Sei muito bem que na infância de toda a gente houve um jardim,
Particular ou público, ou do vizinho.
Sei muito bem que brincarmos era o dono dele.
E que a tristeza é de hoje).

Sei isso muitas vezes,
Mas, se eu pedi amor, porque é que me trouxeram
Dobrada à moda do Porto fria?
Não é prato que se possa comer frio,
Mas trouxeram-mo frio.
Não me queixei, mas estava frio,
Nunca se pode comer frio, mas veio frio.

Álvaro de Campos.
.....................................................................

Em tempo(s) frio(s) insisto nesta "saborosa" dobrada ...

Estarei ausente de vosso convívio por breves dias!

Beijos e Abraços!




12 comentários:

Agostinho disse...

É iguaria que os beefs estragaram com a velha mania do lucro. E a gente desabituou-se...

Boas férias.

Laura Santos disse...

Excelente poema, que também já publiquei no meu blog!
xx

São disse...

É sempre bom ler Pessoa...

Bom retiro e melhor 2016

© Piedade Araújo Sol disse...

reler Pessoa é sempre um bom momento.
boas férias e cá o esperamos.
um beijinho

:)

O Puma disse...

Meu caro Pessoas
como te compreendo

Abraço amigo

Majo disse...

~~~
~ Apesar do afastamento e do frio,

dias calorosos, otimistas e ternos...

~~~~ Beijo amigo. ~~~~
~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

Lídia Borges disse...


Então, até já! Com receitas à temperatura certa.


Bj.

anamar disse...

Vai, vive e volta.

Grande abracinho de um bom Ano de 2016. Obrigada pela tua sentida visita.

Ana

jrd disse...

Álvaro de Campos sabia o que comia e o que escrevia.
E de um dia para o outro ainda se saboreia melhor, sempre quente, claro...
Boa lareira.
Abraço fraterno

lino disse...

Já marchava!
Abraço

luisa disse...

Tinha toda a razão Álvaro de Campos. Onde já se viu servir amor, ou dobrada que seja, a frio? :)

Suzete Brainer disse...

O Poeta maior, o Pessoa, sabia bem o que dizia;
com tantos eus com necessidade de liberdade poética
e prazer para ser vivido nas horas alegres de dias solares!...
Boas férias com horas alegres, Poeta!