domingo, janeiro 10, 2016

POEMA RIDÍCULO...


Desfolho a pétala
Que o vaivém da onda
Nega. Como se fora
E não fora...

Sorvo o vento
No búzio do tempo
Glória sem eco
Que me devora...

Alinho ternura
No arco sem volta
De qualquer procura...

Denso perfume
Que se acende em lume
Na ilusão de ser…

Ausência rola
Como se mágoa fora
Fingindo não ser...


Manuel Veiga

........................................................

Poema ridículo!... Como os amores de Pessoa?...

16 comentários:

lino disse...

Nada ridículo, mesmo!
Abraço

luisa disse...

O amor não é ridículo. Nem por carta, nem por poema. :)

Laura Santos disse...

O poema é muito bom, mas para algumas pessoas todos os poemas
serão ridículos, por não gostarem de poesia.
Nesse sentido, todo poema e toda a carta de amor serão "ridículos", mas pobre de quem nunca escreveu uma ridícula carta de amor.
xx

Graça Sampaio disse...

... e desde quando os teus poemas são ridículos?...

(Ia dizer que não há poemas ridículos, mas... há. Que nunca os teus!)

«Alinho ternura
No arco sem volta
De qualquer procura...» Muito lindo!!

Beijinhos (ridículos?)

Olívia disse...


Se não fosse ridículo não seria um poema de amor.

E é!

Bj.

Suzete Brainer disse...

Existem Poemas e existem Poetas que ao falar do amor,
caminham numa beleza e voracidade de mãos dadas com
o sublime e o sensorial avassalador.
Sem nenhuma possibilidade de parecer ridículo ou comum...

"Sorvo o vento
No búzio do tempo
Glória sem eco
Que me devora..."
Tenho que te causar a frustração de dizer que não
conseguiste fazer um poema ridículo...rss
Nem com todo o esforço, és um grande Poeta e existe
coerência neste patamar de grandeza...rss
Adorei!!
beijo.

Maria Eu disse...

Terno.

Beijinhos :)

Graça Pires disse...

"O poeta é um fingidor"... Mesmo.
Um beijo, meu amigo.

Janita disse...

Nenhum poema é ridículo!

Mormente...
quando se escreve
aquilo que a alma
sente...

Um grande beijinho de muito apreço, Poeta/Escritor!
Janita

CÉU disse...

Palavras contraditórias e talentosas.
De ridículo nada tem.
Fique bem!

Majo disse...

~~~
O Poeta nostálgico, pedindo elogios e mimos...

Sabe que este belo poema está muito longe de
parecer ridículo, apesar de terna inspiração.

Beijo, ó Herético amigo.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

MARILENE disse...

Que finja, mas que não deixe de fazê-lo com palavras escritas (rss). Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

ridículo?!
não tem nada disso, eu diria que é um poema terno onde o Poeta transbordou o seu talento.
gostei muito!
beijo
:)

Mar Arável disse...

Só existem poemas ridículos para os olhos que não sabem ler a medula das palavras
Abraço sempre

Agostinho disse...

Um poema ridículo?
só quando o branco
do papel fica em branco.
Eu que te leio a tinta
preso não lhe acho
defeito de qualquer pinta.

deep disse...

Porquê ridículo? Nada disso!Antes uma manifestação do Belo. :) Bj