terça-feira, maio 03, 2016

Nada de Novo no Horizonte da Palavra



A meus amigos


No sopro de meus dedos todas as glórias
(Que nestas letras se misturam deuses e criaturas)
Barro que tem reflexo de alturas
Onde germina o Corpo, o Tempo e o Modo.

Infinito-Presente que de tão breve é já Futuro.

Nada de novo no horizonte da palavra que respiro
Pois nada de mim se arrasta neste parto.
Sou além de mim – sou queda e brado!
Partitura que por capricho ou ledo engano
Na música se esvai correndo como o pano
Que aberto se fecha sobre palco festivo...

Promessa mil vezes adiada.
Não me lamentem porém os que de mim colhem
A flor de meus desejos.

Que no bosque esperançoso em que incauto teimo
Sou vereda e água – e a palavra sussurrada –
E o vento em cópula de Outono
Sobre as árvores...

Manuel Veiga

"Poemas Cativos", pág.11 - Poética Edições - Lisboa 2014






5 comentários:

Suzete Brainer disse...

Belíssimo poema que desenha o horizonte (universo)
da palavra do poeta, na dimensão maior do voo, além
de si mesmo, a deixar a poética como registro de
ricos significados...
O tempo no modo contínuo, a vida que germina
poesia fértil para os amigos...

Grandioso poema!!

Grata pela oportunidade da leitura.

O genial Chico Buarque, um dos orgulhos do meu País,
o gênio da música (poética) e tão injustiçado no
momento por alguns fanáticos e ignorantes da
política suja.

Fê blue bird disse...

Recebo grata este teu belo poema.
Continua a teimar nas palavras.

Um beijinho

José Carlos Sant Anna disse...

Belo despojamento este pisar com os pés desnudos a ardente aspereza da palavra donde a poesia nasce. Esta (aparente) e obscura seiva!
Abr., poeta!

Agostinho disse...

Li no livro.
Enunciação de palavras que não caem em saco roto.

Abraço

Lune Fragmentos da noite com flores disse...

Ler este teu poemas enudeceu-me. Pelo despojamento, pela sensibilidade colocada nas palavras, uma a uma. Releio-as.

Detive-me morosamente nas duas últimas estrofes. Me emocionam. Dimensão maior de ti.

Beijo, Herético (por vezes, as tuas palavras desmentem o 'Herético')