quarta-feira, agosto 31, 2016

APARIÇÃO DO MILAGRE Sobre a Mesa...

Desdobra-se a paisagem e o verde
Agora é apenas a mantilha descuidada,
Na placidez da tarde, sobre os ombros
Da mulher. E o solícito gesto.

E a brisa é a breve perturbação
Da face, na carícia,
Alongando-se na nuca
Como promessa
E resistência tímida.

Raio de sol perdido
No percurso
E a bailar
De chama em chama
Acesa. Como bocas nuas.
(Itinerário íntimo)
Aparição do milagre.
Sobre a mesa.

Manuel Veiga
Caldas de Monchique, 31.08.2016

10 comentários:

Agostinho disse...

Que aparição advém do "solícito gesto" senão um afago?
É ao fim da tarde que a rede da luz prende as almas apaixonadas.
Sem rosas, são rosas que o poeta dispõe sobre a mesa.

Muito bom, MV.
Abraço.

Graça Pires disse...

Um poema muito belo e muito delicado. O milagre da imensa ternura que te habita...
Um beijo, meu amigo.

Suzete Brainer disse...

Muito belo o poema e o título nos avisa num
tom profético de um milagre?!...rss

A belíssima descrição do sol como símbolo de uma
dança sensual a vestir um momento num "itinerário
íntimo", a luz do sol sobre a mesa...
Um poeta inspirado é assim, um momento de despendida
do sol, se inscreve num poema de um sentir tão belo,
profundo e sensual.

Maravilhoso momento poético, meu amigo!
beijo.

graça Alves disse...

É lindo, sem dúvida :))
bj

José Carlos Sant Anna disse...

Aqui há sempre um "milagre" poético. Acho que Caldas de Monchique inspira ainda o poeta. Luminosos, poema e "aparição".
Forte abraço,

Majo Dutra disse...

Gostei de saber
que a linda e verdejante povoação da serra algarvia
inspirou este canto terno, amoroso e emocionado...
Belissimo, Poeta!
Beijo.
~~

Ailime disse...

Um "milagre" poético magnífico.
Muito bela a sua poesia.
Obrigada pelo seu tão gentil comentário.
Bjs

Pedro Luso disse...

Manoel, aí está mais um poema seu fruto de grande inspiração. Se tivesse de minha opinião a respeito dessa sua obra, diria que se trata de um ótimo poema. Parabéns, meu amigo.
Um abraço.

Carmem Grinheiro disse...


Olá, Herético,
Bela inspiração lhe nasce do milagre ;)
Que nossas vidas pudessem, sempre, desfrutar de milagres assim...
abç amg

Fê blue bird disse...

Caldas de Monchique tem esta magia, transforma um gesto delicado numa belíssima poesia.
Excelente, parabéns!

Um beijinho