quarta-feira, novembro 09, 2016

DOURADOS REFLEXOS


Tacteio sinais furtivos e emoções breves
Como a brisa no rosto inocente das palavras
Ainda por dizer...

Seminais os caminhos e as veredas. Inaudíveis
Sons de um cântico tão subtil que se esfuma
Em mistério. Como o decair da tarde no zénite de sol.
Ou apenas um gosto acre. Depois da chuva.

Doirados são os reflexos a perseguir
As entranhas do vento. Sem outra glória que não seja
A emoção alada. E o fio ténue que as prende.


Manuel Veiga
in "Poemas Cativos" - Poética Edições 
Maio 2014



Sem comentários: