segunda-feira, setembro 25, 2017

Soberba Construçâo dos Corpos


Soberba a construção dos corpos
Contra a noite.

Sofreguidão de bocas nuas
Abecedário de gestos puros
E palavras em chamas.

Eternos, o tempo e o modo
E colapso de todas as memórias
Apenas a música dos poros

E todas as coisas
Se calam.

Manuel Veiga

Sem comentários: