quinta-feira, novembro 16, 2017

Caligrafia Íntima na RADIO VIZELA



HORA DE POESIA - RADIO VIZELA - Manuel Veiga


Que os Deuses Escravos Sejam...

Que as esferas girem e seu percurso
Seja incandescência. E os olhares o espaço sideral
E seu eterno movimento. E a linha dos dias
Se desenhe no rosto do inesperado.
E sejamos crivo e poalha
Ardente. 

E cada onda encontre o seu reverso.
E todos os amores e todos os afectos se façam.
E cada momento seja infinito instante.
E luminosa dádiva.

E que o fogo seja alimento de poetas.
E festivo, arda. E seja marca e glória a anunciar
As alvoradas.

E o tempo se faça insígnia. E ritmo.
E a vida dança.

E os homens sejam a fecunda chave do Universo.
E os deuses escravos sejam. Gemendo as dores
Da Humanidade.

Manuel Veiga

CALIGRAFIA  ÍNTIMA – pág- 17


PO´ÉTICA Edições

11 comentários:

Pedro Luso disse...


Às vezes tenho dificuldade em em fazer um comentário entre amigos, quer num café, quer nos blogs, sobre um determinado poema, que li num livro ou na Internet; noto que se deve, essa dificuldade, a um constrangimento em relação ao poeta (mesmo que se trate de um Drummond, já falecido), por sentir que o que disser é muito inferior ao significado do poema; e é justamente o que se dá em relação ao seu excelente poema. Parabéns.
Um abraço, caro Manuel.
Pedro

Jaime Portela disse...

Ai se os deuses gemessem as dores da humanidade...
Excelente poema, parabéns.
Bom fim de semana, caro amigo Veiga.
Um abraço.

Tais Luso disse...

Amigo Manuel, pois então o dia 18 está chegando... e vai ser um sucesso.
Escutei na rádio Vizela sua entrevista e a declamação de alguns de seus belos poemas, e como ficou lindo declamado, parabéns! Sentimos o poema por inteiro.
Igualmente lindo 'Que os Deuses Escravos Sejam'.

"E os homens sejam a fecunda chave do Universo.
E os deuses escravos sejam. Gemendo as dores
Da Humanidade."

Um beijo, amigo.

Agostinho disse...

Até que a brasa seja cinza
Até que a luz se extinga
E o impossível seja luta:
"E os deuses escravos sejam. Gemendo dores da Humanidade."
Que todos os homens sejam pessoa!!!

Sublime, caro Manuel Veiga, a poesia e o desígnio.
Depois não venham dizer que não viram, não ouviram, não leram, que têm fome...
Grato e que a sessão seja um êxito.

Abraço amigo.

Olinda Melo disse...


Caro Manuel

Um poema que é um anátema sobre os deuses, que muito me impressionou. Que sofram com as nossas dores para que tenham a noção exacta do vale de lágrimas que plantaram. Mas também um desejo, quase uma prece à força que poderá emanar da nossa própria vontade.

E nós faremos a nossa parte tecendo e entrelaçando afectos. E os poetas sempre presentes nas nossas vidas, alimentando as nossas horas com o fogo da sua escrita. Através deles poderemos visualizar o muito que nos é dado no nosso íntimo e tirar daí proveito.

Desta "Escrita Íntima" vou querer mais intimidade, de certeza. Farei por isso.

Sucesso.

Abraço

Olinda

LuísM Castanheira disse...

meu caro amigo, manuel

ontém, que foi o dia...
("foi bonita a festa, pá..." - espero!)
aproveitei para "te" ouvir
na rádio vizela.
gostei muito de ouvir alguns poemas teus, declamados.
na entrevista que deste, algumas novidades, em especial a ficção, que há-de chegar.
gostei da modéstia,
mas a tua poesia não cabe em classificações de poetas de primeira, segunda, ou terceira linhas.
para mim, há a boa e a má (simples, não?)
ler ou ouvir um poema teu está, assim, entre os melhores.
um abraço, sempre...




lis disse...

Impossível dizer mais alguma palavra quando seus amigos já disseram tudo,
'Escrita Íntima'já é sucesso absoluto,com certeza.
E, que os deuses te ouçam.

maceta disse...

Estranha a energia da poesia...

Teresa Almeida disse...



Esta é uma das pérolas que fizeram da Hora da Poesia "infinito instante. E luminosa dádiva".
Que "os homens sejam a fecunda chave do universo."

Parabéns, Manuel.
Beijinho.

Odete Ferreira disse...

Manuel: ouvi o programa e, como sempre, deixei um comentário sobre o mesmo e a tua poética na página da Conceição Lima. Não sei se o leste mas basta veres as notificações no FB. Posso deixar-to aqui, se assim entenderes.
Bjinho

MJ FALCÃO disse...

Um belo poema!
"E cada onda encontre o seu reverso.
E todos os amores e todos os afectos se façam.
E cada momento seja infinito instante.
E luminosa dádiva."
Sim, é isso mesmo!