terça-feira, abril 03, 2018

ANTI ZOO


 Não gostas de cães? Nem de gatos?

Depende…

Depende?

Sim, depende: gosto de gatos que rosnem
E cães que miem!...

( ?!...)

“Cão que ladra não morde!...”
..........................................................


Manuel Veiga


18 comentários:

Agostinho disse...

Quero um cão que não morde
e não me acorde
e não exija
estrelas michelin!

Abraço.

Manuel Veiga disse...

Compreendo, caro Agostinho
queres um cão a fingir...

abraço

Graça Sampaio disse...

Alegre brincadeira com as palavras... é (também) para isto que "servem" os poetas...

Eu gosto de cães que ladram e de gatos que (não) mordem...

Beijinhos e ronrons.

Larissa Santos disse...

Dizem que não, mas duvido :))

Hoje:- Chuvas que influenciam o nosso amor

Bjos
Votos de uma boa noite

Rogerio G. V. Pereira disse...

E gato que mia, se assanha?

Manuel Veiga disse...

elementar, caro Rogério

vai miar para outro lado, naturalmente...

abraço

Manuel Veiga disse...

Graça,

os animais domésticos dão-se bem contigo
estou certo.

beijo

Menina Marota disse...

Eu gosto de cães de que possa cuidar.
E gosto de gatos que não arranhem.
E gosto de pessoas que falam... ;)

Manuel Veiga disse...

Larissa,

nunca confiando, tem razão,
abraço

Olinda Melo disse...


Anda tudo às avessas, não me admiro nada
que os cães miem e os gatos rosnem...

E será mesmo verdade que "cães que ladram não mordem"?


Abraço

Olinda

Teresa Almeida disse...

Também não gosto de zoos. O meu voto pela liberdade.

Beijinho, Manuel.

Suzete Brainer disse...

Eu posso dizer que os animais não são invejosos,
dissimulados e traidores, eles são classificados
de "seres irracionais" pelos os humanos, "seres racionais",
estou quase aqui, a fazer um "anti humano"...rss

Sei também, que diferente dos cães, os gatos não se deixam
condicionar, porém fazem por amor e prazer "gestos" de
solidariedade únicos com seus donos. Também, algo curioso,
que na literatura e principalmente na poesia, os grandes
poetas com seus gatos, medida de grandes poetas decorrente
dos seus grandes gatos, companheiros na arte da escrita...
Não podemos afirmar que os gatos são determinantes para
ser um grande poeta, porém que todos os grandes poetas
tiveram gatos em sua escolha de amizade, sim...rsss

E, o que eu posso afirmar que o excelente e original poema
do Manuel Veiga é arte da ironia, inteligência e divertido
na reflexão desafiadora...rss
Meu amigo, tu és um grande poeta, independente de ter um
gato como animal de estimação ou não. Mas, os gatos,
na originalidade, independência, autenticidade e
amorosidade especial combinam mais com a Poesia,
isto sim!...rss

Amigo, desculpa o extenso comentário, os exageros
e a minha "apologia" aos gatos...rss

Bjs.

Tais Luso disse...

rssss, meu amigo Manuel, não tenho dúvidas que a nova espécie seria muito interessante, mas um tanto esquisita, porém antes de tudo teríamos de dar' nome aos bois', digo, à nova espécie! rs

Imagino um 'Pitbull' miando...
De qualquer forma adorei a nova espécie e tua brincadeira com as palavras!
Beijo, uma ótima semana!

rosa-branca disse...

Olá amigo Manuel, cão que ladra não morde será? Ou então mordem p'la calada...sempre adorei animais principalmente cães e gatos. Também já me aconteceu apagar. Basta um clique e uma pequena distração. Boa semana amigo é beijos com carinho

José Carlos Sant Anna disse...

Caro Manuel,

Ainda bem que eu volto antes que mudanças mais radicais aconteçam por aqui rss. Pois bem, gosto de ver cães e gatos desta maneira e de lhes apreender seus novos contornos, imune a consensos.
Forte abraço,

Jaime Portela disse...

Há quem goste de ter os outros como acha melhor...
Gostei das palavras divertidas, ainda que elas possam conter uma mensagem diferente da óbvia.
Bom fim de semana, caro Veiga.
Um abraço.

Manuel Veiga disse...

Jaime, meu caro amigo

não apenas podem, como devem (as palavras) ler-se como "mensagem diferente da óbvia" ...

abraço

Ana Freire disse...

Este nosso mundo é tão mais rico... quando nos dispomos a apreciá-lo fora da caixa... de qualquer categoria pré-concebida... e assim talvez o entendêssemos, um dia... finalmente...
Vivemos num mundo de regras... categorias... conceitos... e preconceitos... definimos e catalogamos tudo... na vã esperança de que para cada regra, não haja excepção... não para compreendermos o mundo, mas apenas para nele testarmos os limites, do que podemos controlar, dominar, e subverter e contudo... há cães que ladram, e mordem... os piores de todos... são bípedes... de natureza humana... que tantas vezes se degladiam, quase até à extinção...
Mais um daqueles posts... que nos obriga... a pensar!... De uma forma alternativa... Gosto!!!! :-)
Beijinho
Ana