sexta-feira, abril 27, 2018

CLARIDADE(S) ...



A Poesia é o “grão na voz” na fala do Mundo
……………………………
A Música é iluminação do silêncio
………………………………………
A Vida é a decomposição do Acaso
……………………………………….
As Estrelas não amam – brilham!
…………………………………..
O Amor é o tédio dos deuses
…………………………………….
Tudo e Nada são balões coloridos
Onde cegamos os olhos.
……………………………………….
Sem mácula o rumo dos caminhos:
São os passos quem traça os destinos
……………………………………….
Na escala do Tempo
Todas as viagens são início
………………………………………….


Manuel Veiga
27/04/2018



11 comentários:

Tais Luso disse...

Gostei das 'Claridades'!! Muito interessante.

"Na escala do Tempo
Todas as viagens são início".

Ainda bem que têm início, impulsionam, se convertem em esperanças, surpresas, é ótimo para pensarmos na seguinte e assim por diante.
Porém de vez em quando me pego pensando na chegada, são meio dramáticas certas chegadas!

Beijo, Manuel, um ótimo fim de semana!

Olinda Melo disse...


Olá, Manuel

O "Relógio...", com outro ar. Gosto

Muito interessantes esses pensamentos.
Decompô-los ou desconstruí-los seria
trabalho de muita lucubração.

Escolher entre eles para comentar também
não é tarefa fácil.

Para já, aponto a minha predilecção
para os dois primeiros:

"A Poesia é o "grão na voz" na fala do Mundo",
se significar um certo posicionamento na
sociedade, criticando e construindo;

"A Música é a iluminação do silêncio", tendo
em conta que numa composição o silêncio
também é Música.

Um exercício muito complexo, aqui, para as
minhas fracas capacidades.

Abraço

Olinda

Larissa Santos disse...

Bom dia. Concordo plenamente. A poesia é isso tudo. Parabéns :))

Brincando com as Palavras

Bjos
Votos de um bom Sábado

Gil António disse...

Fantástico. Gostei muito.

* Foi nosso amor ... deslapidada loucura. *
.
Fim-de-semana feliz.

Agostinho disse...

Magnífico o teu oensamento, MV.
São claridades que nos chegam com o tempo, separadas pelo oscilar do pêndulo - esse ladrão que nos dá a gravidade - e que devemos tomar em conta, anotar. Para não esquecer.
Abraço.

Teresa Almeida disse...



Gosto das claridades que se abrem em cada pensamento. E cada um caminhará a seu modo dado que "São os passos quem traça os destinos". Que brilho, meu amigo Manuel!
Por mim, fico meditando no tédio dos deuses.

Beijo.




Alquimia dos Sentidos disse...

Não conhecia este blogue. Na verdade tenho andado afastada deste universo. Regressei e estou a apreciar tanta beleza!
"A Música é iluminação do silêncio...As Estrelas não amam – brilham"...
Concordo, quando o silêncio é profundo entendemos a melodia da nossa alma e as estrelas brilham sim... mas é a nossa Alma que ama e por isso brilha como as estrelas!

Um beijinho*

Fanny Costa

José Carlos Sant Anna disse...

Eis o trabalho do poeta depurar as palavras. Fertilizá-las rumo à sagração da poesia!
Abraços, meu caro amigo!

São disse...

Sim, são os passos que traçam os caminhos!

Beijo e bom fim de semana

Ana Freire disse...

Palavras verdadeiramente brilhantes, Manuel!...
Que destacarei qualquer dia, lá no meu canto, se me der licença!...
Parabéns! Adorei esta magnifica escala do tempo, e de valores...
Beijinho
Ana

Julia Tigeleiro disse...

Nao há caminho. " O caminho faz-se caminhando". Lindo este poema Manuel.