segunda-feira, junho 04, 2018

MAIO 68 - "Tous ensemble, dix ans, ça suffit! ..."



"Ao Maio de 68, a todos os acontecimentos desse ano em todo o mundo, ninguém ficou indiferente. Gostasse ou não deles. Passar do sonho e da utopia à realidade deu força a outros movimentos, mesmo os da intimidade, dos costumes, da igualdade de sexos e da «revolução sexual», que não ficando concluídos, contribuíram para novos comportamentos, ideias, para o carácter do ensino e a atitude dos professores, para a confiança na força da contestação do que parecia imutável e da sua capacidade de transformar."
Mas os media dominantes também criaram mitos, uma interpretação própria das causas e consequências, valorizaram aspectos marginais, desprezando o essencial do que se passou.
Houve os que agiram com uma agenda própria de retirar do movimento operário e da população em geral a influência de organizações políticas e sindicais, que lhes tinham sido essenciais no confronto com o patronato e a direita – o Partido Comunista Francês (PCF) e a Confederação Geral do Trabalho (CGT)..."
(...)  
António Abreu - in AbrilAbril

4 comentários:

Larissa Santos disse...

Não estava cá, ainda :))


Hoje:- Não nego, que o meu coração se apaixonou.

Bjos
Votos de uma óptima Segunda-Feira

José Carlos Sant Anna disse...

Caro amigo,

O que se pode chamar de bela partilha.
Uma excelente análise de António Abreu, valendo a leitura para os que ainda não estavam cá.
Um fortíssimo abraço,



Teresa Almeida disse...

O Maio de 68 não deve cair no esquecimento.
Gostei muito desta análise de António Abreu.
Beijo, amigo Manuel.

Ana Freire disse...

Um ano que delimitou... um antes... e um depois...
Não sendo desta geração... adorei a excelente análise, aqui deixada, deste ano tão marcante, a vários níveis...
Beijinho
Ana