sexta-feira, março 23, 2007

Outras Personagens I - Susan Sarandon

A actriz Susan Sarandon denunciou, recentemente, em Las Palmas, a repressão que, no seu País, os Estados Unidos da América, se exerce contra todos os que não pensam como o Governo de Bush.

Laureada, em 1995, com o “Oscar” de melhor actriz no filme de Tim Robbins, “A Última Caminhada”, Susan Sarandon afirmou que "quando alguém expressa opiniões políticas ou sociais diferentes, é condenado em Hollywood a uma espécie de ostracismo e a imprensa chama-lhe coisas tão simpáticas e amistosas como amiguinho de Bin Laden".

Estas afirmações de Susan Sarandon foram proferidas no decurso do VIII Festival Internacional de Cinema de Las Palmas, nas Canárias, onde foi homenageada com o galardão Lady Harimaguada de Honor, em reconhecimento da sua trajectória profissional.

E, com respeito a este ambiente repressivo, que denuncia,responsabilizou não apenas os políticos, mas também aos artistas que se auto censuram, e os jornalistas, que nunca fazem perguntas sobre temas de conteúdo social ou político.

A actriz referiu também as dificuldades do cinema independente no seu País, que qualificou de "desafio ainda maior que antes, porque estamos passando por um período em que debate social não está a ser muito promovido".

Susan Sarandon considerou-se afortunada por poder viajar e falar com os jornalistas estrangeiros, porque nos Estados Unidos "os cidadãos não têm uma ideia do que passa no mundo ou de como as pessoas nos vêem de fora dos Estados Unidos".

Acerca do presidente George W. Bush, limitou-se a afirmar que "muito me agradaria que fosse às casas das famílias dos soldados mortos no Iraque".

Estas afirmações desassombradas vêm na lógica da sua vida de activista dos direitos humanos e de outras afirmações anteriores, denunciando os delitos e abusos da Administração norte-americana.

Acho que nunca estivemos tão próximos de "1984" de George Orwell. Vivemos numa sociedade em que os direitos individuais e a legalidade estão definitivamente ameaçados, e isso me dá medo." – declarou ela à “Folha de Sículos”, em 31.3.2006

E noutro passo da mesma: "Cheguei a um ponto da minha carreira que já não dou ouvidos ao que os outros pensam de mim. Tenho sobrevivido à indústria (do cinema)procurando fazer escolhas que respeitem minhas ideias. Continuo acreditando que podemos fazer diferença nesse mundo. Faço o que está ao meu alcance e não me importo com o que dizem os cínicos...”

Pelo seu empenhamento nas causas mais nobres da humanidade, pelo desassombro das suas atitudes e afirmações, pela qualidade do seu trabalho artístico e porque representa, como poucas actrizes nas últimas décadas, o melhor do cinema independente, Susan Sarandon abre, neste espaço, a galeria “Outras Personagens”!



Fonte: Pesquisa WEB

18 comentários:

Vladimir disse...

Mas os Estados Unidos não são um paraíso democrático?

Opintas/Bernardo disse...

Interessante, umas pernas bonitas. Pena ser de esquerda.
Boa noite e um abraço.
Até gostei do post, a sério.

Cris disse...

Susan Sarandon sempre foi, na minha opinião, uma exclente actriz e uma mulher com um caracter determinado, que nem a todos agrada, eu cá gosto dela e sim, era boa ideia o Bush visitar o Iraque que ele des-contruiu... mas era capaz de não "atingir"

bjkas e bom wk
Cris

jrd disse...

Hollywood poderá estar a reviver o Maccarthismo e o tempo da caça às bruxas, quando bufos como cowboy fascista Ronald Reagan e o traidor Elia Kasan, aterrorizaram os colegas, dos quais muitos tiveram de emigrar.
No entanto ainda há quem resista como Michael Moore (Bowling for Columbine)ou até George Clooney (Good Night and Good Luck, Sean Penn e outros.

Narcisus disse...

GRANDA mulher essa para além de um grande actriz!

M. disse...

O poder da palavra dita, escrita e rescrita por ti. Grata pela partilha.

osangue disse...

Boa escolha. Bom fim de semana e um abraço.

Licínia Quitério disse...

A esta chamo eu uma linda Mulher.

Assustadora a nova versão da caça às bruxas.

david santos disse...

Olá!
Passei para te felicitar pelo teu trabalho e desejar um bom fim-de-semana

vida de vidro disse...

Uma mulher com muito talento e garra. A suficiente para dizer aquilo que muitos calam, protegendo as suas carreiras.
É muito justo tê-la aqui a inaugurar esta galeria. **

Opintas/Bernardo disse...

Ora bom dia e bom domingo!

Maria P. disse...

Parabéns por mais este trabalho, é sempre um pazer passar aqui.

Beijinho*

Jofre Alves disse...

Vim deixar um abraço com o desejo de um bom fim-de-semana.

JPD disse...

Olá!

É celebérrima a caça às bruxas e as assobiadelas para o ar da indústria cinematográfica sempre que alguém do meio bate com a porta ou diz que o rei vai nu.

Quem está no poder, nas condições do Bush filho, exerce em grau zero de tolerância.

Manda-se calar com a mesma ligeireza das trocas de interrogações por exclamações!

Um abraço

Frioleiras disse...

Pois é ...

Gosto de te ler ...

António Melenas disse...

Quanto a mim, continuo a pensar que o programa, apesar de estúpido, pois é idiota perguntar-se a alguém que escolha entre um político, um governante, um poeta, um prosador um pintor, um navegante e por aí fora. qual foi o melhor de todos. Todos o quê?
Apesar de idiota era um jogo apenas. Como outros jogos idiotas da TV.
Só que direita organizou-se militantemente para que o resultado fosse o que foi
Não me surpreendeu.Mas que faz doer, lá isso faz.
Consola-me a ideia, defendida por António Brotas, e transcrita por mim no meu ultimo post de um dos meus blogues de que esta seria uma situação irónica de o Manholas ganhar, com a liberdade que o 25 de Abril nos trouxe, a primeira votação da sua vida. Ele que nunca admitiu ser plebiscitado.

É neste facto que os que votaram nele devem meditar. Se é que eles meditam.

Mas quem deve igualmente meditar e tirar conclusões são os governos que nos têm desgovernado (a começar pelo actual) e cuja desgovernação, levou a que a militância da direita encontrasse terreno fértil para as sua manobras.
È que o povo português está mesmoi zangado com o estado a que isto chegou.
Eu, pelo menos, estou
Um abraço para ti, meu Amigo

António Melenas disse...

OPra bolas!!!Pensei ter colocado aqui um comentário, que agora não encontrava. Pudera, coloquei-o erradamente nos "post" anterior.
Volto pois a repeti~lo aqui, pois aqui é que ele pertence

António Melenas said...

Quanto a mim, continuo a pensar que o programa, apesar de estúpido, pois é idiota perguntar-se a alguém que escolha entre um político, um governante, um poeta, um prosador um pintor, um navegante e por aí fora. qual foi o melhor de todos. Todos o quê?
Apesar de idiota era um jogo apenas. Como outros jogos idiotas da TV.
Só que direita organizou-se militantemente para que o resultado fosse o que foi
Não me surpreendeu.Mas que faz doer, lá isso faz.
Consola-me a ideia, defendida por António Brotas, e transcrita por mim no meu ultimo post de um dos meus blogues de que esta seria uma situação irónica de o Manholas ganhar, com a liberdade que o 25 de Abril nos trouxe, a primeira votação da sua vida. Ele que nunca admitiu ser plebiscitado.

É neste facto que os que votaram nele devem meditar. Se é que eles meditam.

Mas quem deve igualmente meditar e tirar conclusões são os governos que nos têm desgovernado (a começar pelo actual) e cuja desgovernação, levou a que a militância da direita encontrasse terreno fértil para as sua manobras.
È que o povo português está mesmoi zangado com o estado a que isto chegou.
Eu, pelo menos, estou
Um abraço para ti, meu Amigo

uivomania disse...

A Susan Sarandon, acha que nunca estivemos tão perto do Big Brother. Cá para mim, o tipo entrou de mansinho, mas há muito que está no activo.