segunda-feira, julho 09, 2007

O outro lado de Lu(L)a - ou o negro custo do etanol...

Com pompa e circunstância, tivemos em Lisboa a primeira cimeira União Europeia-Brasil. Vimos, na televisão, o senhor Lula tu cá tu lá com o senhor Sócrates, aquele lembrando a sua ascendência lusa, no ilustre apelido de “Silva”, enquanto que este empolgado, como é seu timbre, tecia elogios sobre elogios, como quem semeia pétalas... Uma banalidade, portanto...

Um e outro, porém, irmanados, quais cavaleiros de um novo Graal, nos benefícios de bio combustíveis, prosaicamente reconhecido como etanol... E aqui chegamos ao ponto.

Será que a proclamada “revolução energética do século XXI” (Lula dixit) não irá tornar ainda mais difícil a vida de milhões e milhões de pessoas em todo o Mundo? E quem o diz, não é apenas a voz, até agora, ignorada de Fidel Castro, mas também o insuspeito “Economist”, publicação de culto dos liberais britânicos.

Segundo o periódico britânico, o almejado substituto de petróleo poderá trazer mais problemas à Humanidade do que aqueles se propõe resolver. Desde logo, porque o etanol não é tão “verde” e tão barato, quanto afirmam, sobretudo, quando extraído a partir do milho ou de outros produtos agrícolas.

Conforme a publicação, a produção de etanol consome tanta energia quanta a que produz, absurdo apenas “justificado” pelos faustosos subsídios concedidos às multinacionais da agricultura nos Estados Unidos.

Na mesma linha de preocupações, estão a OCDE e a FAO, que responsabilizam a produção de bio-combustíveis pelo aumento exponencial dos preços dos produtos agrícolas. Três mil milhões de pessoas, nos países mais pobres do Mundo, sofrem as consequências no aumento do preço do milho e, por arrastamento, dos restantes cereais, como o arroz e o trigo.

Nos próprios Estados Unidos, começam a levantar-se vozes críticas. Dois investigadores da Universidade de Minnesota alertam que a opção pela produção etanol pode desencadear “consequências devastadoras para a segurança alimentar mundial”.

Os académicos em causa afirmam que encher o depósito de um automóvel vulgar corresponde a 200 quilos de milho, o suficiente, em teor calórico, para sustentar uma pessoa durante um ano. Uma revelação assustadora, quando metade da humanidade vive sub nutrida, com rendimento inferior a dois dólares por dia...

Mas, também, no Brasil, o sindicalista Lula da Silva tem muito para se coçar, no seu afã de caixeiro-viajante internacional dos bio-combustíveis. E contas a prestar ao seu Povo, certamente.

Afinal é bem possível que as vantagens comparativas da cana-de-açúcar na produção de bio-combustíveis assentem, sobretudo, na sobre exploração do trabalho. De facto, no dia seguinte à cimeira, em notícia circunstanciada, o insuspeito “Público” (5 de Julho – Quinta Feira) referia exactamente o trabalho de escravo como o “lado negro da produção do etanol, com ritmos de produção mais duros do que os impostos aos escravos no sec. XIX”.

Conforme a notícia do referido jornal, um estudo da Universidade Estadual Paulista, concluído em Maio, esclarece que a procura de maior produtividade, motivada pela procura mundial de etanol, leva a ritmos de trabalho infernais, a que os trabalhadores não resistem. Só este ano, terão morrido 19 trabalhadores no Estado de S. Paulo, onde se localiza a maior área de cultivo de cana-de-açúcar.

E, como se fora pouco, os trabalhadores ficam “penhorados” num carrossel diabólico de “escravidão por dívidas”, em que as dívidas ao fazendeiro são sempre maiores que o salário... Os cinco mil milhões de euros das exportações brasileiras de etanol, têm afinal o elevado preço de vidas humanas e do trabalho de escravo. Sem escândalo...

Claro que tal não pode justificar-se pela ascendência lusa do senhor Lula. Ou pelo seu, certamente honrado, apelido Silva. Ou pela universalidade da Língua Portuguesa. Mas que a produção de etanol nos remete para o tempo dos negreiros, parece não existirem dúvidas...

Com as mesuras do senhor Sócrates e o sofisticado cinismo da anafada Europa!...

(Um regresso. Quase. Até breve...)

27 comentários:

isabel mendes ferreira disse...

excelente regresso.


~



beijo.


_____________


como sempre.

Licínia Quitério disse...

Aquele concerto de mesuras Sócrates-Lula e vice-versa causou-me grandes enjoos. Agora que deste estas pistas sobre o etanol percebo melhor a minha reacção psico-somática :) :)

Bom regresso.

Lord of Erewhon disse...

Desta vez o Cherne e o Fócrates fizeram toda a questão em botar discurso na Língua de Camões!

Tristes do caralho! Lula é um ladrão analfabeto!!

Maria disse...

Interessante este post.
Bom descanso
Bom regresso.

Beijo

Maria P. disse...

E que regresso!

E até breve...

Kalinka disse...

Gostei muito...
...como sempre!!!

Já agora:
Olivença é daqueles nomes que já todos ouvimos falar. Sabe-se que é uma terra que fica em Espanha, mas que já foi portuguesa e que alguns dizem ainda ser portuguesa. Em traços gerais, isto deve ser tudo o que a maior parte dos portugueses sabe a respeito de Olivença. Poucos a visitaram ou se deram ao trabalho de consultar um livro sobre a história desta vila.
Olivença situa-se no Alto Alentejo, na margem esquerda do Rio Guadiana, próxima de Elvas. Mais de 80% dos oliventinos ignoram os factos e acreditam que Olivença foi trocada por Campo Maior.
E TU, QUE ACHAS?
Que sabes sobre Olivença?

Beijitos.

PintoRibeiro disse...

Pensei que era a corrupção...



(Nem ele nem eu Herético. Aqui não há bloquistas. Só andamos a pé e com pouco dinheiro. Somos de Direita. E a ver miséria vejo-a cá.) Abraço.

vida de vidro disse...

Leio-te e fico um tanto perplexa. Porque sem grandes alternativas viáveis, a não ser a de deixarmos todos o carrinho parado e desistir de mais uma série de "confortos" com gastos energéticos e implicações ambientais. Talvez que afinal, entre a defesa do ambiente que é vital para que as gerações seguintes possam viver e as justas preocupações com a minimização dos problemas dos países menos desenvolvidos, não haja mesmo alternativa. Talvez, para sobreviver, tenhamos todos que mudar de vida. Radicalmente.
Não estou com isto a afirmar que os biocombustíveis sejam a solução. Têm, de facto, grandes inconvenientes, que estão a ser minimizados nesta euforia. Mas qual é a solução?
Talvez seja melhor não pensar muito nisso. Culpa tua... **

Mar Arável disse...

Neste mundo globalizado e de mercado a todo o preço o ar que se respira está irrespirável - entretanto - vozes ao alto

OrCa disse...

De Silva em Silva, lá se vai atropelando o concerto do mundo...

Pois, isso do etanol já ultrapassou a fase do "tem muito que se lhe diga". Creio ser já um dado adquirido que estamos em presença de mais uma má aposta.

O pior é que os grandes interesses já têm o freio nos dentes.

Talvez o futuro acabe por passar, a bem ou a mal, pelo imperativo de termos de andar todos a pé. E, se assim for, vamos a isso. Talvez assim se consiga colocar algum travão à desmesurada pressa em que todos vivemos e nova ordem mundial tenha de ser estabelecida...

É, no entanto, preferível que seja a bem, pois a mal... todos nos iremos dar muito mal.

Um abraço.

Belzebu disse...

Aqui está um regresso que saúdo e com a habitual qualidade.

Quando dois políticos como o nosso Engenheiro e o Lula se juntam, cheios de sorrisos e abraços...eu até tremo. Penso logo naquilo que estarão a tramar e fico na retranca.

Mais uma vez multiplicam-se em argumentos vazios de conteúdo, em demagogias várias e prolixidades bacocas. Enfim...mais do mesmo!

Um abraço infernal!

un dress disse...

.apertos.

.globais. all over.





beijO*

António Melenas disse...

Mas não é o lucro a qualquer preço que constitui a essência do capitalismo?
Dele não há que esperar outra coisa.
Mesmo doente,o Fidel soube ver o que só agora o Economist descobriu. Porque será? conflito de interesses?
Abraço

O JACARÉ 007 disse...

Olá amigo, excelente regresso.
Um homem trabalhar 19 horas por dia e ficar a dever dinheiro ao patrão não lembra ao diabo.

Se o secretário de estado da administração pública lê este blogue é uma carga de trabalhos.

Abraço.

Klatuu o embuçado disse...

AVISO!!!!


Este texto - http://dente-de-marfim.blogspot.com/2007/07/inveja.html - é PLAGIADO do «Abrupto» de Pacheco Pereira!

A menina Kanoff - CUJO BLOG É TODO PLAGIADO - fingiu apagar o anterior blog - e transferiu tudo!

___
Hi5: http://kanoff.hi5.com/

PintoRibeiro disse...

Luares, K'mrd.
Abraço.

uivomania disse...

Este plano, dos bio combustíveis, contempla a bio diversidade?

Mel de Carvalho disse...

Reflectir e induzir sobre, eis o que nos obriga este post.

Um post excelente, num registo crítico de grande qualidade, independentemente da opinião que cada um tenha sobre a matéria.

Um abraço, bom fim de semana
Mel
www.noitedemel.blogs.sapo.pt
www.maresiademel.blogs.sapo.pt

PintoRibeiro disse...

Bom fim de semana e um abraço.

D. Maria e o Coelhinho disse...

E VAMOS DE FÉRIAS !

FÉRIAS !

NÓS QUE AMAMOS PRAIAS E ALGARVE !

BEIJOKAS

D. MARIA E TAMBÉM O COELHINHO
(vamos os dois)

Peter disse...

Esclarecer, denunciar, é preciso, tanto no Brasil, como em Portugal, como em todo o Mundo.
Não só o etanol, como é óbvio, mas tudo o que nos afecta a nós, Portugueses e tudo o que afecta a Humanidade e quem dela se aproveita.

sonhadora disse...

Desejo-te um bom fim de semana e deixo-te uma maré de beijinhos embrulhados em abraços.

Entre linhas... disse...

Um regresso em cheio e com um post de excelente qualidade.
Bom fim de semana
Bjs Zita

Frioleiras disse...

Obrigada pela tua visita !
Vi logo a correr
ver se tinhas novo "post"...

Um bj

grd

F.

Jofre Alves disse...

Prazer imenso em visitar esta excelente página, cheia de qualidade. Boa semana.

Gi disse...

Pois os biocombustíveis reduzem o aquecimento global mas também podem trazer consequências irreversíveis a nível ambiental segundo consta no relatório enviado às Nações Unidas...
Alteração das percebtagens de carbono nos solos, perda de biodiversividade... se não forem aplicados e controlados de forma convenientemente não sei se serão bons não ...

Um beijinho

Anónimo disse...

é sempre bom te ler, amigo.
grato por mais este momento de reflexão.
um abraço fraterno,
batista filho