sexta-feira, novembro 02, 2007

Cérebro Transparente?!...

Há mais de trinta anos, ouvi da boca de um expert norte-americano que a mensagem publicitária deve explodir no cérebro “como uma bala”. A metáfora, de uma eficácia arrepiante, exprime a vocação totalitária do consumo, a que todo o Desejo, Vontade, Emoções e Sentimentos são submetidos pela força prodigiosa da publicidade e do marketing...

Hoje, não é motivo de escândalo!... Mas, então, éramos jovens, tínhamos sonhos e não bebíamos Coca-Cola!... Foi, assim, por nós considerada tão elucidativa imagem como mais um exemplo “prático” da urgência em mudar o mundo... Para que o Homem, liberto das contingências da exploração social e das manipulações do consumo, pudesse, enfim, assumir-se, sem culpa, nem pecado, na reincarnação de Eros e a publicidade não fosse mais que a celebração da Poesia...

Surpreendi-me nestas lucubrações ao ler, no semanário Expresso (27.10.07), que a revista de economia norte-americana Forbes – uma revista de negócios -publicou recentemente um artigo entusiástico sobre os avanços das neurociências, com o sugestivo título (em tradução livre) “À procura do botão/interruptor das compras”.

O artigo em causa não saiu, obviamente, por acaso, mas sim na sequência de um crescente interesse nos meios norte-americanos por este assunto. O Expresso cita, a propósito, uma variedade significativa de artigos sobre o tema e esclarece que a Forbes, “que não brinca em serviço”, segue com atenção o que passa nos laboratórios de investigação das neurociências.

Porquê? Porque estas pesquisas tentam perceber o que acontece no nosso cérebro quando este é sujeito a determinados estímulos. E, claro – diz o Expresso“o facto de as empresas poderem configurar os seus produtos ao conhecimento preciso do que se passa no cérebro do consumidor, é algo cujo potencial só pode ser aliciante”, já que permitirá a perfeita adequação dos produtos ao consumo. E o conhecimento dos impulsos cerebrais permitirá “carregar no botão das compras de cada um de nós, individualmente...”

Por isso, a Forbes – acrescenta o semanário - voltou à carga com novo artigo, desta vez intitulado “Este é o seu cérebro quando faz uma compra”. Este segundo artigo da Forbes terá sido motivado pela publicação de um texto da revista científica Neuron, na qual um grupo de estudiosos revela que, fazendo um scanning - com uma das mais recentes tecnologias disponíveis, o FMRI (Functional Magnetic-Resonance Imaging) – ao cérebro de um indivíduo se “conseguia determinar se ele iria fazer, ou não, uma determinada compra”.

Esclarece ainda o Expresso que os autores do artigo científico em questão pertencem a algumas das mais prestigiadas escolas dos Estados dos Estados Unidos e que trabalham numa nova área de investigação designada “neuroeconomia”. Esta nova “ciência” combina as contribuições das neurociências, da economia e da psicologia na perspectiva de definir, entre outras questões, os padrões de comportamento dos indivíduos na tomada de decisões de consumo...

Como se compreende, os artigos são cautelosos quanto à possibilidade de as “lojas em geral” terem capacidade para “olhar” para dentro do cérebro dos consumidores – “não só pelo custo proibitivo das máquinas que o fazem, como pela sua inadequação aos espaços mais comuns”-, mas garantem que os resultados obtidos permitem já não só compreender melhor os mecanismos da tomada de decisão dos consumidores “como prefiguram claramente o futuro que se prepara”.

Enfim, se eles o dizem...

E, com toda a naturalidade, referem que grandes empresas como a General Motors, por exemplo, têm vindo a utilizar tecnologias de visualização do cérebro em tempo real, para estudarem as reacções dos consumidores perante determinadas imagens específicas (carros, dinheiro, etc.).

Entretanto, a dimensão orwelliana agrava-se quando se fica a saber que tais tecnologias de “leitura do cérebro” serão, num futuro não muito distante, também “passíveis de serem exploradas e aplicadas em contextos muito diversos, como a política e a cultura...”

Eis, pois, o anúncio antecipado da derrota de Eros e do fim da autodeterminação do Homem que, desde os helénicos, tem percorrido História como promessa de realização plena...

Perante isto, que posso dizer-vos?!... Que a metáfora da explosão da bala deixou de fazer sentido?!... Ou que ainda hoje não bebo Coca-Cola?!... Ou dizer-vos da fatalidade do absoluto “Triunfo dos Porcos”? Ou, pelo contrário, proclamar que continuo acreditar na urgência em mudar o Mundo?!...

29 comentários:

Sophiamar disse...

É urgente mudar o mundo. Se por um lado há estes estudos que têm como objectivo o consumismo poetenciado ao extremo tendo como base a neurociência por outro lado é confrangedor ver a miséria a crescer, os expoliados cada vez mais expoliados, a desigualdade cda vez mais assustadoora. Para onde caminhamos com tamanhas assimetrias sociais?
Ai os homens!
Fantástico post!
Beijinhos

sonhadora disse...

Beijinhos embrulhados em abraços. Make love! Forever and ever.

Mar Arável disse...

E ainda há uns cavalheiros

que negam a luta de classes

como se fosse possível

menos ricos menos pobres

uma oferta divina ou de banqueiros

Isabel disse...

Perante tudo isto meu amigo, só te posso dizer que irei continuar, como tu, a proclamar que continuo acreditar na urgência em mudar o Mundo.
Como as árvores espero morrer de pé e teimosamente a proclamar a mesma coisa.

Como escreveu o grande Eugénio de Andrade.

URGENTEMENTE

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
Ódio, solidão e crueldade,
Alguns lamentos,
Muitas espadas.

É urgente inventar a alegria,
Multiplicar as searas,
É urgente descobrir rosas e rios
E manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
Impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
Permanecer.


É urgente permanecer a acreditar que é preciso parar e ficar e ser e deixar ser e terminar esta evolução que é apenas retrocesso.
É urgente mudar para permanecer!

Isabel

Licínia Quitério disse...

Mas esses estudos não estão já concluídos e com aplicação prática? Eu sou dada a pensar que sim. E com uma tal eficiência!!
Olha, vou fazer umas compritas para me abrandar o stress...

Mas não te preocupes. Na volta, escrevo um poema. Ainda...

M. disse...

Assustador! Assustadora a mente humana! Mas finquemos os pés e não seremos derrubados. Tomar consciência das atrocidades mentais que se cometem sobre o ser humano já é meio caminho andado. Por isso te estou grata pelos posts que aqui nos ofereces ao nosso pensar o mundo.

Maria disse...

Prefiro a última frase, que tomo como minha.
Está a tornar-se verdadeiramente assustador o mundo em que vivemos.
É um excelente post, para variar....
Obrigada.

Tem um bom fim-de-semana

D. Maria e o Coelhinho disse...

FINADOS,
CARO CAPITÃO,

DIA DE FINADOS

NEGRO,
NEGRO,
NEGRO

SNIFFF

D MARIA

hora tardia disse...

transparentérrimo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!










------beijo.

velha gaiteira disse...

curiosa e objectiva a maneira com que nos transmite as coisas, Herético.
Gracias

bettips disse...

Neuroeconomia? Mas ainda não inventaram como apagar fogos na CA, como podem ter passado já para a manipulação do cérebro? Desatinos de ricos, poderosos e impunes! Impossível que o mundo não tenha que inverter esta sua marcha... Acredito que tem de mudar. Que temos o direito de nos indignarmos com notícias que nos tratam como ratos de laboratório.
Obrigada por um post tão elucidativo. Urgente. Abraços

Vieira Calado disse...

Claro que sabe, a propósito da cola-cola, que o Salazar nunca a quis por cá.
Dizia-se que era para proteger o vinho "que dava de comer a um milhão de portugueses"
Bom fim de semana.

Maria P. disse...

É urgente mudar.
Ser resistente e persistente.

Bjos*

Graça Pires disse...

Curiosa esta tese da nova área de investigação designada “neuroeconomia”. Tudo para, de certa maneira, se justificar (ou não?) o consumismo desenfreado a que se assiste. Eu também sou dos que acham que é urgente mudar o mundo.
Um abraço.

hfm disse...

Belo artigo, belo encadeado de argumentação para chegar à síntese final; e aí eu proclamo "a urgência em mudar o Mundo?!..."

Quando leio sobre estes assuntos cada vez me sinto mais telúrica.

disse...

Por cá, nem sequer tem sido necessário o recurso a novas neuroses para aumentar a dependência.
A não ser que se tenha já ultrapassado esse estágio e eles não o saibam…

Peter disse...

O teu texto faz-me lembrar um assunto já antigo (como eu) mas que funciona. Se a memória não me está a trair, chama-se "propaganda subliminar" e consiste em introduzir em diversos pontos de um filme em exibição, uma imagem, uma só, de propaganda, tipo: "beba cerveja ...". Nessa altura ainda havia intervalos durante a exibição e constatou-se um aumento significativo de vendas da tal cerveja durante o intervalo.
A imagem exibida (uma só) era detectada pelo cérebro, mas não pela vista.

Gi disse...

E desde quando a "vontade" de comprar se traduz na "capacidade" para ... ?! Bem que os monitores podem disparar a dizer que sou uma potencial compradora do artigo "x" , não tenham eles acesso á minha conta bancária e vão ser enganados de certeza. Vontades tenho eu muitas :), além disso continuo a acreditar na supremacia do homem sobre a máquina. uma pena que ele se esteja a deixar levar por elas. Evoluí-se no Mundo e não se evoluímos enquanto pessoas. Demasiado dependentes ... até para as vendas !

Mudar o Mundo? Evidentemente, pena sermos tão cheios de intenções (estou naturalmente incluída no pacote) e fazermos tão pouco. É a isto que se chema o preço do progreso?

Um beijo

OrCa disse...

É, para mim, evidente - e respondendo à tua questão - que isso se deve ao facto de não beberes Coca-Cola!

Por essas e por outras é que eu faço, também, o elogio à ginja e ao medronho, qualquer deles muito mais propiciador do desenvolvimento da Humanidade, desde logo, pela necessidade de manuseamento cuidado do produto.

Poderemos até imaginar que uma boa aguardente de medronho, ao destruir uns não-sei-quantos milhares de ligações neuronais, talvez seja capaz de subverter todas essas manigâncias que andam para aí a congeminar para o controlo das nossas cabecinhas...

Caramba, pá, com esta só me deixas mesmo margem para um comentário anarca! ;-)

Um abraço.

Oliver Pickwick disse...

Texto precioso, caro Herético, só mesmo alguém impregnado pela heresia seria capaz de escrevê-lo com tamanha maestria.
No entanto, seja cuidadoso rapaz, quem sabe não existe por aí, um Tribunal do Santo Ofício The Coca-Cola side of life?
Tenha uma ótima semana!

PintoRibeiro disse...

Lapidar, ou quase. Porcos e cocacola, rima.
Abraço,

vida de vidro disse...

Começo (e se calhar acabo) nessa necessidade de mudar o mundo. Mudar o mundo mas em que sentido? Até que ponto estamos condicionados para podermos dizer isso: eu liberto-me, eu quero mudar o mundo?
Da manipulação da nossa vontade, do nosso comportamento, há muito que se sabe e se “utiliza”. O que não se sabia tanto era o porquê e o como. Agora, a tecnologia ajuda, claro. Então, resignamo-nos e passamos todos a beber Coca-Cola ou vamos dar um real (não virtual) pontapé no que nos condiciona? Eu voto pelo pontapé. Mas pergunto: o Mundo vai mudar em que sentido? **

un dress disse...

cérebro transparente...?

só mesmo pra ver a olho nu o lado emocional...

que tanto escondemos!!:)



beijO

bettips disse...

Passei pela Maria e vim aqui dar-te um abraço: pela clareza.

tolilo disse...

tens toda a razão.
o mundo está só consumismo e a culpa é também da publicidade.
e eu, acredita, consigo mais ou menos ver o que gostarias de comprar/receber no Natal !

Chuac!_

Miosotis disse...

Eu continuo a acreditar plenamente que o Mundo vai mudar!

Não posso dizer quando... não faço futurologia ;) mas, que em tempos próximos mudará, isso sim!

O Homem está a cansar de tanta banalidade, tanto vazio, tanta exploração da sua própria 'cerebralidade' e já busca novas paisagens!

'Abandonou a corte, regressou aos campos
como é sábio o meu amigo![...]

Wang Wei, poeta, há trinta séculos atrás!

A História tenderá sempre a repetir-se...

Sensibilizada pelo olhar poisado em 'fragmentos'!
Um beijo

Tiago Nené disse...

gostava que colaborasses neste grande blogue colectivo:

www.bloguedasartes.blogspot.com

le os estatutos.

saberás o que fazer.

ate ja;)

alexia disse...

As vezes perco a cabeça e procuro blogs alternativos:). De qualquer forma e apesar de não resistir a ser redutora em relação a certos temas deixe-me dizer que esse interruptor...interessa-me e que adoro coca cola...light:)

BFS

Maria disse...

Excelente post!
Como tu, digo "continuo a acreditar que é urgente (e possível) mudar o Mundo".

Obrigada, herético....
Beijinho