quinta-feira, maio 08, 2008

Uma legenda...

dizem-me velhos alfarrábios
que na natureza nada se perde e tudo se transforma
assim eu cadinho de emoções cultivo meu jardim
no desprendimento da água que corre
sem saber se é vida ou letal veneno ...

e da interrogação guardo apenas o momento
breve que seja ou fantasia adiada sem remorsos
pagão de mil desejos como frutos
ou condensação de calcários...

não me queixo, nem lamento
nem ufano me exponho a glórias fúteis
sei que para além de ti e de mim um qualquer lavoisier
no âmago do Desejo irá inscrever um dia a legenda
que o sonho se ergue do sonho calcinado...

18 comentários:

mariadosol disse...

:)

Tinta Azul disse...

Estamos [muito bem] conversados! :)

Mar Arável disse...

BELO

um Ar de disse...

Legenda?
Epitáfio?
POEMA!...
.
.
Pressinto-
-TE
Acho-
-TE
Penso-
-TE
Cocluo-
-TE
...Poeta...


[BEIJO]

Oliver Pickwick disse...

Terra calcinada é recuperável. Quem sabe os sonhos também?

Devia escrever poesias com mais freqüência.
Um abraço!

P.S.: Alfarrábios. Palavra secular, quase extinta da minha mente.

Maria disse...

Soberbo!

beijos, beijos

Maria Laura disse...

A terra calcinada, se bem tratada, volta a dar frutos. Acho que o sonho também. Provavelmente é mesmo só preciso agarrar da água que corre o desprendimento e a determinação. Não encontra ela sempre o seu caminho?
Deixo-te um beijo por este belíssimo poema. Revelada em cada dia, a essência do poeta que és.

Licínia Quitério disse...

Uma legenda? "O poema no âmago de ti".

Um beijo.

Justine disse...

Então, poeta,perante esta evidência, só me resta cumprimentar-te e desejar-te um excelente fim de semana :))

jrd disse...

Ou o poema feito Fénix.
Excelente!

jasmimdomeuquintal disse...

Gostei da tua legenda...

Auréola Branca disse...

Muito bonito o poema...
Se corres, ou se ficas, a natureza te recompensará por belíssimas palavras...
Abraços...

mundo azul disse...

...ser, pelo simples prazer de ser! É lindo esse poema...Beijos e muita luz!

mariam disse...

acostei neste seu rio, afluente deste "mar da palha" e, gostei (muito)


fascinante
o raciocínio
li
de um fôlego

bom fim-de-semana

um sorriso :)

O Puma disse...

O SONHO SE ERGUE DO SONHO

PONTO

M. disse...

Estou espantada com o peso deste poema em contéudo, a riqueza de significado na simplicidade do verbar. No decifrar imediato.

Por outras palavras,gostei muito, a ponto de me silenciar.

Beijo

alice disse...

gostei muito de ler :) um beijinho

OrCa disse...

Ora, bem! Aplauso para este eterno retorno! ;-)

Um abraço.