sexta-feira, setembro 26, 2008

No outro lado do poema...

no outro lado do poema
aí onde a luz colapsa de tão negra
lá onde a palavra brota como lume no seixo
e o nada se faz fogo
inscrevo o nome das coisas...

e na luminosa obscuridade das palavras
e na tatuagem dos dias
e no estilete de bronze
que os deuses em seu desenfado
por vezes emprestam aos mortais
(re)escrevo as dores de meus pensamentos
resguardados da obscena exposição
de martírios, alegrias e de enganos...

e soletro em bebedeira de sentidos todos os rumores
e partilho o poema-outro
o que vem de fora
e de tão íntimo
se mistura no sangue cúmplice
e de tão grave se funde no desejo transgressor
em que vou

ardendo...

33 comentários:

Maria disse...

Deixaste-me sem palavras...
é belíssimo e intenso o que escreveste...

beijos

um Ar de disse...

...
nem uma
palavra a mais
nem uma
palavra a menos
.
[des]medido
no entanto
transbordando-te
...
[Beijo...@]

~pi disse...

arde

) que

tarde água




~



beijo

mdsol disse...

Muito bommmmmmmmmm
Tu sabes. Tu sentes!

:))

Véu de Maya disse...

do outro lado do poema...inflama.se uma vontade quase incontida de chegar à desmedida que as coisas precisam para voltar a ser...poema encantatório, muito serío na fonte e nos sentidos que a fazem jorrar--luminosas obscuridade das palavras-que o vento não levará. Excelente.

abraços, herético.

jrd disse...

No outro lado do poema está este "lado" enorme do poeta.
Muito bom!

mariam disse...

olhe, fiquei encantada!

esse ardor com que soletra os sentires....

um abraço outonal
um mimo
e um sorriso :)

mariam

ah!o prémio também é seu!, faz favor de o ir lá buscar :)

Maria Laura disse...

Um poema digno de ti, da tua estatura de poeta. Transbordante de íntimo saber, ainda que resguardado. Gostei muito.

mundo azul disse...

...é bonito, profundo e reflexivo!

Um poema que dá gosto de ler!!!


Beijos de luz e um domingo muito feliz, meu amigo...

Frioleiras disse...

a poesia.................
sempre


adoçando a alma...................

Licínia Quitério disse...

Mas afinal por onde tem andado este Poeta?
Ainda bem que apareceu.

Um beijo.

Marinha de Allegue disse...

Para poder sentir e comprender é enriquecedor estar dun lado e doutro...

Unha aperta poeta.
;)

hfm disse...

No outro lado do poema; no outro lado das palavras; no outro lado do quotidiano... na zona onde a sombra dignifica a luz e a move para o olhar.

Belíssimo!

M. disse...

Belíssimo!

Menina_marota disse...

"...semanalmente, serão divulgados no item “Blogues em Destaque” (à direita da página), aqueles que pelo seu conteúdo ou carisma, chamaram a atenção da autora desta página."

É esta a mensagem que refere os motivos porque estão, semanalmente, 3 blogues em destaque...

Hoje, a minha escolha recaíu no Relógio de Pêndulo e no Poeta que voltou à ribalta ;))

Um abraço e continuação de bom domingo ;)

São disse...

Que deslumbre!!
Fica bem.

Tinta Azul disse...

Gosto de aqui chegar e ter um poema para ler. E depois não me apetece dizer mais nada. Porque nada acrescentaria...
:)

batista disse...

é, Amigo-irmão: tô percebendo que o versejar anda em alta contigo!... e o que é igualmente bom: tua partilha generosa.

um abraço fraterno.

Mar Arável disse...

Coitados dos que não trangridem

coitados dos indiferentes

coitados dos que afirmam verdades absolutas e desconhecem os sabores da poesia

BELO POETA

ABRAÇO

Maria P. disse...

Lindo!

Bjos.

pront'habitar disse...

venho aqaui atravez do blog da São.

gostei do que por cá vi, mas tem que ser visto com tempo. voltarei.

rosasiventos disse...

bem vindo a

rosasiventos! :)

Lord of Erewhon disse...

Meu poeta romântico disfarçado de empirista marxizante... :)

Abraço.

Sophiamar disse...

Aqui mora um poeta! Leio, releio, releio...incansável. É bonito mesmo! As imagens que vão desfilando na mente do leitor são soberbas.E os sentires? O corpo não lhe é indiferente. Táctil por isso cada verso.
Compila estes poemas e edita.Por favor!
Deslumbrante!

Beijinhos

Beijinhos

Peter disse...

Um poema "maduro", bem ao meu gosto.

Votos de uma boa semana.

dona tela disse...

Uma semana muito fixe para si.

Graça Pires disse...

Inscrever o nome das coisas no fogo, na luz das palavras, no desejo transgressor e... arder!
Belo poema. Um abraço.

tulipa disse...

AMIGO

Caminhos
muros, pedras
portas
rangem de fúria
desconcertam-me
estremeço
oiço vozes
grito, fujo
vou sem destino.

Convido-o a visitar o meu blog:
Momentos Perfeitos, pois participei num raid fotográfico e coloquei 2 das fotos que fiz.
Gostaria da sua opinião, pode ser?

Adoro bosques e pinhais, adoro fotografar árvores.
MAR, água e sol, nuvens, tudo o que tenha a ver com a Natureza.

Boa semana.
Beijinhos.

Carla disse...

ardem as palavras...deste lado o poema!
uma luminosidade intimista que convida à partilha
beijos

As Sombras de Fim do Dia disse...

No outro lado do poema estão as palavras estropiadas, os sentires escondidos, no outro lado do poema está a raiva escondida e o amor envergonhado!

E no outro lado do poema está um fantástico texto, este que escreveste.

Saudades de vir aqui.

Oliver Pickwick disse...

Amigo, a sua poesia evolui a cada dia e torna-se mais e mais virtuosa, de uma linguagem ímpar.
Convém um certo advogado português, de esquerda, deixar as barbas de molho, pois, data venia, meritíssimo não é páreo para e na luminosa obscuridade das palavras
Um abraço!

OrCa disse...

Posto o que atrás de mim já foi comentado, declaro humildemente nada mais ter a declarar.

Um grande abraço.

Beatrice Mar disse...

"levei" este poema.
se não concordar será retirado.
obrigada