domingo, fevereiro 21, 2010

O País é de Joana?

Bem sei que, perante o estado da Nação, isto são minudências. Mas que querem?... Se os “deuses moram nas pequenas coisas”, é natural que também os diabos as habitem. E a verdade é que o meu diabinho de estimação anda particularmente azedo...

A questão conta-se em poucas linhas.

Como se sabe, o partido do Eng.º Sócrates, em seu afã de aguentar a maioria absoluta, lançou mão de todos os recursos e arregimentou umas quantas vedetas para exibir na recente campanha eleitoral.

Os resultados foram escassos, como se sabe. Não se conhecem, porém, todos custos, embora vão pingando, aqui e ali, notícias (desportivas eheh) que dão conta de despautério que terão representado para o País.

Seja como for, o grupo parlamentar do PS acabou por integrar uma vedeta do mundo do cinema, cujos méritos artísticos conhecidos, (correndo o risco de ser injusto) serão ser filha do pai e viver... em Paris!

É que nem sequer consta que tenha mostrado seus crepitantes dotes, como fez a irmã em “Henry e June”, o que não a absolvendo, teria ao menos o mérito momentâneo de ser um regalo para os olhos...

Mas enfim, a senhorita, investida em deputada da Nação, continuou, naturalmente, a frequentar Paris aos fins-de-semana.

E, com a maoir inocência, remete para o Parlamento os respectivos bilhetes de avião, ignorando olimpicamente que integra o grupo de deputados eleitos pelo circulo eleitoral por Lisboa, cidade, onde aliás, consta a sua residência oficial, como de resto é norma.

Esclareça-se que os deputados, representando embora o eleitorado no seu conjunto, estão de alguma forma vinculados ao respectivo circulo eleitoral, onde é pressuposto residirem, pelo que tem justificação que, nas respectivas deslocações para exercício das funções parlamentares tenham direito a subsídio de transporte, à razão de 40 cêntimos por quilómetro.

Viver em Paris é manifestamente delicioso (deve ser – imagino!). Mas, para o caso, é uma mera protuberância... A ilustre deputada tem domicílio oficial no círculo eleitoral por onde é eleita. Que razões, pois, para pagamento das viagens de avião para Paris?

No entanto, apesar do óbvio, refere a imprensa que os deputados da Nação no Conselho de Administração da Assembleia da República, torcem e retorcem as meninges para encontrar solução para o magno problema, que apresenta foros de causa nacional, a ser decidida pelo Presidente do Parlamento...

A solicitude é tanta, que a própria Secretária-geral, forçando o inimaginável, teve a genial ideia de considerar, para o efeito, a ilustre senhora como deputada pela emigração. Enfim, expedita solução, que se diria solução Simplex...

Estou tentado a dar-lhes razão. A senhorita merece. E “emigrantes”, estamos a ser novamente – na nossa própria Pátria.

O País é, cada vez mais, de Joana. Ou de Inês...

17 comentários:

Maria disse...

O problema é que o país continua a ser teu. E meu. E nosso!
E não há forma de por cobro a tanta sem-vergonhice que por aí pulula, a todos os níveis do poder.
Para quando o 'homem novo'?

Já estava um pouco furiosa. Fiquei mais.

Beijos e beijos.

Mar Arável disse...

A senhora merece

e Sócrates

chama-lhe um Figo

Não sejas mau

o país betonado não é um país oculto - só não vê quem não quer

lis disse...

E o Brasil é uma enorme casa da mãe Joana, uma bandalheira total.E como filhos de Portugal acredito que aprendemos direitinho a lição! rs
Um levante pra que todos sejam derrutados nas urnas!
deixo abraços

jawaa disse...

Um país injusto, mas que, parece, ninguém quer governar.
Dentro do parece, até parece que tudo está do lado errado, até Deus ao lado de Jardim...

Um grato abraço

jrd disse...

O (desas)sossego desta Inês é comovente. Nem o Camões...

Abraços

Véu de Maya disse...

tanta joaninha a voar.é vida...meu caro...tudo isto chateia bastante...interessante é perceber que és de "dinamite".

abraços

lino disse...

Pelos vistos o mundo é de Inês!
Abraço

alice disse...

ler este seu texto com a entrevista do sócrates em directo neste momento, em que ele acabou de negar as contrapartidas do luís figo no apoio à campanha... dá que pensar!

beijinhos, herético.

MagyMay disse...

Tudo às avessas, não há (re)volta!

Beijo, Herético

maré disse...

ouvi, sim!

não é de agora, esta abusiva forma de estar a "defender" o interesse do povo.
é só mais um/a no meio de muitos.
sejam eles de que "cor" forem.

______

triste?! mais que isso
desilusão!

beijo Herético

Nilson Barcelli disse...

Mais estranho que atribuir essas despesas à AR, é a AR pagar-lhe.
A história é tão linear e absurda que devem faltar outros detalhes importantes...
Mas já vi pior.
Estes abusos, de quem os faz e de quem os consente, são típicos da sociedade portuguesa (sacar o máximo sempre que a ocasião se proporciona é um dos lemas nacionais). E não são um exclusivo deste ou daquele partido.
Abraço.

São disse...

Talvez seja essa a razão do seu ar irónico durante os trabalhos da Comissão de Ética, onde está apesar de ser funcionária de uma revista da Rui Pedro Soares (!!!!)

Fica bem.

Fragmentos Culturais disse...

... 'esta' Inês não é certamente a 'bela Inês de Camões...'

E lembrei 'Lianor' a de Bernardim 'Descalça vai para a fonte/
Lianor pela verdura;/vai fermosa e não segura...'... não vai mesmo! É olhar bem... quanto desassossego nos últimos dias!

Um beijo,

... muito sensível a sintonia sobre o tema 'Tom Waits'...

© Piedade Araújo Sol disse...

pois é, há coisas que são mesmo surreais.

um beij

Graça Pires disse...

Um país desgovernado e ingovernável. É o nosso país e vamos sofrendo com tudo...
Um beijo.

mdsol disse...

Uma tonteria...Já levou um não, acho eu. E, sendo assim, aposto que não se aguenta na função.

:))

Licínia Quitério disse...

Tem todo o ar de estar ali por empréstimo. Mas entretanto...venham as mordomias!