sábado, junho 01, 2013

Uma primeira vez ...


 
 
De porto em porto,
António,
 
Que barco parado
Não faz viagem
- Diz quem sabe
E com acerto...
 
 Nem a aragem
Se faz vento...
 
Nem o caminheiro
Se agiganta
Nem os passos
O caminho...
 
E se acaso tropeçares
E no balanço caíres
Será tempo de aprenderes
Que não fraqueja quem tomba
Mas quem a queda
Receia...
 
Ou na queda
Se enleia...
 


19 comentários:

São disse...

Com um conselho tão sábio, teremos bom viajante de certeza.

Um abraço para ti e um beijinho muito doce ao António, neste que é o seu Dia.

© Piedade Araújo Sol disse...

avô babado.
o antónio tem um sorriso lindo e maroto.
beijo
:)

Licínia Quitério disse...

Boa viagem, António! Que bons portos te abracem.

Maria João Brito de Sousa disse...

Uma boa viagem para o pequeno caminheiro! :)


Abraço!

jrd disse...

Que a viagem seja longa e boa e o Mundo um gigante solidário para ele ter espaço e crescer.

Abraço

Maria disse...

O António vai adorar, um dia, ler os poemas que lhe dedicas há tanto (!!!) tempo.
Boa viagem para o António, beijos ao avô.

AC disse...

Lição de sabedoria...

Abraço

Mel de Carvalho disse...

o lirismo, a força da mensagem, a ternura, inigualável, pelos que nos continuam, filhos, netos,
aqui, neste poema.

belíssimo!

fraterno abraço a ambos
Mel

Lídia Borges disse...


"E se acaso tropeçares
E no balanço caíres
Será tempo de aprenderes
Que não fraqueja quem tomba
Mas quem a queda
Receia..."

Assim se faz futuro!

Um poema para guardar na caixinha das coisas preciosas.

Um beijo

Rosa Brava disse...

"...
E se acaso tropeçares
E no balanço caíres
Será tempo de aprenderes
Que não fraqueja quem tomba
Mas quem a queda
Receia..."

De uma Avó babada (pelo meu Luca) para um Avô babado pelo seu António, mais um belo e sensato poema para mais tarde ele ler e recordar!

Bjinho a ambos!

Ana Tapadas disse...

Poema cheio de sageza para transmitir aos vindouros! Não se pode abdicar...

Beijinho

Sandra Subtil disse...

Que ternura!
Belo, belo!


Beijinho

GL disse...

Acabo de conhecer o António, e que prazer me deu! Prazer por ele próprio, pelo avô que vai ser o farol, o mestre que lhe ensina vida.
Parabéns a ambos.

Mar Arável disse...

Não se prendem as estrelas

Abraço

Maria João disse...


Um passo que é lição, desse caminhar pouco a pouco...

tão bonito!

Obrigada...

Um abraço

jorge esteves disse...

Disse o meu avô a alguém e a meu propósito, num já longo dia,'já lhe vou dando alento e aguçando os olhos'.
Se ele fosse poeta...
Belissimo poema, o teu!
abraço.

jorge

lis disse...

Que sorte tem o pequeno Antonio!
eu adoro esse avô ! que ensina tropeçar sem cair.
Bacana,heretico

Daniel Neves disse...

O Antonio vai adorar ler e entender o que o avô escreve com tanto carinho. Forte abraço.

hfm disse...

Da sabedoria!