terça-feira, novembro 11, 2014

UMA BOA AMIGA - LICÍNIA QUITÉRIO


Descontado o exagero que amizade justifica, deixo-vos com um belíssimo texto da Licínia Quitério, que muito me honra.
...............................................................

POEMAS CATIVOS, de Manuel Veiga

NOTA DE APRESENTAÇÃO

Aqui estou eu, convidada a dizer algumas palavras sobre o livro Poemas Cativos, do meu amigo Herético, que assim foi por mim nomeado durante largo tempo, conhecidos que fomos através do mundo dos blogues, eu no Sítio do Poema e ele com o seu acertadíssimo Relógio de Pêndulo.

Nos primeiros tempos, fui apreciando os seus belos textos em prosa, assertivos, entusiasmados, contundentes, irónicos, esclarecendo, informando, atento sempre não só à espuma dos dias, mas muito mais, à sua conformidade ou inconformidade com os caminhos e descaminhos da Humanidade, dos seus santos e pecadores, para usar expressão tão pouco herética.

Só mais tarde o fui descobrindo poeta que ia publicando, diria, a medo, ou melhor, com o pudor de quem sente a responsabilidade de fazer uso da palavra poética. Foi o seu Relógio de Pêndulo mostrando, mais regularmente, o poeta sensível, a par com o cidadão empenhado e lutador pelas causas que definem, traçam, consolidam o caminho dos homens rumo à Liberdade e à Alegria.

E assim foi crescendo a minha atenção ao Poeta, de seu nome Manuel Veiga, aqui presente hoje como autor do seu primeiro e excelente livro, Poemas Cativos, em boa hora editado pela Poética Editora, graças à Virgínia do Carmo, ela também poeta já publicada.

Tal como afirmei sobre o Eufrázio Filipe, são as palavras de um Poeta a sua mais exacta definição, a sua indelével marca no processo de comunicação mais perigoso, mais difícil, mais subversivo, mais libertador que é a Poesia.

Passo a dar a minha voz, com o maior gosto, a palavras do Manuel Veiga que tocam os domínios do terreal e do sagrado, do concreto e do intangível, e sempre, sempre, as razões do amor e da luta, com a destreza do verbo e o empenho incorrigível deste militante da vida.

Licínia Quitério

Seixal. 7 de Novembro de 2014


4 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Ainda tenho presentes estas palavras
E as palmas
Sim, meu amigo
E as palmas

Majo disse...

~
~ Parabéns pelo seu notável percurso e pelo seu sucesso, Manuel.

~ Quanto à apreciação é igual à que tenho, embora construída recentemente.

~ ~ ~ ~ Um merecido louvor. ~ ~ ~ ~

jrd disse...

Da poesia e dos poetas sabem sabem falar os poetas e mais ninguém como eles.

Abraço para ambos

lis disse...

Que texto bonito!
_cada frase merecida.
Parabéns aos dois.